O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

[392]

substituão tudo o que for necessário: 3.ª, que se supprimão as palavras por saída: e que se diga e Decrescente no fim que sair em viagem: forão todas
approvadas, salva a redacção.
O Artigo 3.° foi approvado, salvas as emendas offerecidas na discussão. É propondo o Sr. Presidente se devia passar-se para este artigo a respectiva
doutrina já vencida no projecto sobre as relações commerciaes, se venceu que sim. Propoz mais: se o custo do navio se deve entender o primitivo, ou aquelle que o navio tiver no acto davaração, naufrágio, etc. Venceu-se que fosse o actual, e que assim se fizesse claro na redacção. E propondo, que se diga apresado por navio português, se venceu que sim.
O artigo 4.° não foi approvado. £ se venceu a sua suppressão. E propondo o Sr. Presidente se se approvava a emenda proposta pelo Sr. Deputado Correia de Seabra que diz: se conceda aos navios portugueses, que daqui em diante se construírem, gozem ó privilegio de não pagarem direitos de primeira carga de géneros nacionaes que exportarem. Foi approvado.
O artigo 5.º não foi approvado: e mandou-se igualmente supprimir.
O artigo 6.º não foi approvado, mandando-se supprimir.
O artigo 7.° foi approvado, e rejeitada a indicação de que se estendesse aos navios estrangeiros.
O artigo 8.º foi approvado como está. E o artigo 9.º ficou adiado por ter chegado a hora de findar a sessão.
Deu o Sr. Presidente para a ordem do dia a continuação do projecto numero 285 sobre a nova forma da administração da marinha. E disse que levantava a sessão publica, para se seguir a sessão secreta, como se achava determinado. Francisco Barroso Pereira, Deputado Secretario.

RESOLUÇÕES E ORDENS DAS CORTES.

Para Sebastião José de Carvalho.

Illustrissimo e Excellentissimo Senhor. - As Cortes Geraes e Extraordinárias da Nação portuguesa mandão remetter ao Governo a conta inclusa da Commissão do thesouro publico, em data de 7 do presente mez, expondo que não comparecerão naquelle dia alguns dos seus membros, e que por isso se não procedeu á eleição de Presidente e Secretario.
Deus guarde a V. Exca. Paço das Cortes em 9 de Setembro de 1832.- João Baptista Felgueiras.
Redactor - Velhos.

SESSÃO DE 10 DE SETEMBRO.

ABRIU-SE a sessão á hora do costume, sob a presidência do Sr. Freire, e lida a acta da antecedente, foi approvada.
Passou o Sr. Secretario Felgueiras a dar conta dos negócios do expediente, e mencionou;

1.º Uma carta do presidente da assemblea eleitoral do concelho de Garvão, participando, que ali se fizerão as primeiras eleições para Deputados, e as dos camaristas, de que as Cortes ficarão inteiradas.
2.° Uma memória offerecida pelo juiz, de fora de Tarouca, José Taveira de Magalhães Sequeira, que se mandou para aã Com missões de agricultura e
commercio.
3.º O Um projecto de lei sobre dízimos, offerecido por Domingos Gil Caldeira, que se mandou para a Com missão onde está a dissertação a que se refere.
4.° Uma representação dos cidadãos do lugar de Bem crença, termo de Penamacor, com os seus agradecimentos pelo decreto de 3 de Junho de 1822, de que as Cortes ficarão inteiradas.
5.° Um officio do Presidente da Camara de Aveiro , enviando a copia da acta da junta da cabeça da divisão eleitoral de Aveiro, de que as Cortes ficarão inteiradas, e se mandou para a secretaria.
6.° Uma felicitação do professor de grammaticalatina de Arraiolos, Francisco Joaquim Teles Jordão, que foi recebida com agrado.
7.° Uma carta com o titulo de Epaminondas Americano, dirigida ao Sr. Deputado o Excellentissimo Bispo do Paru, apresentada pelo Sr. Deputado Lino Coutinho, a qual se mandou para a Secretaria por já ler sido apresentada outra idêntica, que se mandou para a Commissão de Ultramar.
8.º Uma representação dos moradores do lugar de Bemcrença, termo de Penamacor, que se mandou para a Commmissão de petições.
9.º Uma felicitação de José Telles Lacerda, da cidade de Angra, que fui ouvida com agrado.
10.º Uma carta do Sr. Deputado Soares de Castello Branco, dando motivo de haver faltado ontem, e pedindo mais dias de licença, por continuar a moléstia que o obrigou áquella falta: e lhe forão concedidos quinze.
11.° Igual participação do Sr. Deputado o Excelletissimo Bispo de Beja, a quem só concederão quinze dias de licença.
Procedeu-se á verificação dos Srs. Deputados presentes , e se acharão 108, faltando com licença 35, os Senhores Moraes Pimentel, Moreira, Canavarro, Ribeiro Costa, Arcebispo da Bahia, Bernardo de Figueiredo, Sepulveda, Bispo de Beja, Bispo de Castello Branco, Ledo, Feijó, Borges de Barros, Lyra, Bettencourt, Costa Brandão, Carneiro, Ferreira da Silva, Ramos, Castello Branco, Annes de Carvalho, Vicente da Silva, Belfort, Gouvea Osorio, Faria, Sousa e Almeida Xavier de Araújo Martins Bastos, Pinto da França, Sande e Castro, Marcos António, Vergueiro, Araújo Lima, Bandeira, Sousa Machado, Manoel Patrício e sem ella 12, os Senhores Sarmento, Bueno, Aguiar Pires, Moniz Tavares, Baeta, Almeida e Castro, João de Figueiredo, Ribeiro Saraiva, Correia de Seabra,
Rebello da Silva, Fernandes Thomaz, Cirne.
Passou-se á ordem do dia, para que fora destinado o projecto n.º 295, do qual o Sr. Presidente extraiu as duas proporções seguintes, que offereceu á discussão; 1.ª - Qual deve ser a autoridade militar