O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Página 166

CAMARA DOSJDIGNOS PARES

SESSÃO de 18 de janeiro de 1861

PRESIDÊNCIA DO EX.™ 8R. VISCONDE DE IABORIM VICE-PRESIDENTE

o. digno. pHSpSS K do Rio

As duas horas e meia da tarde o sr. presidente occupou a cadeira da presidência.

O sr. Secretario: — verificou pela chamada estarem presentes na sala 15 dignos pares.

O sr. Barão da Vargem:—expoz que ainda não estava reunido numero legal para se abrir a sessão; o que comtu-do não admirava assim acontecesse, pois o ex.mo sr. presidente dissera na anterior sessão que os dignos pares seriam avisados de quando se deveriam reunir, e por tanto se não compareciam, era o motivo por não terem recebido em suas casas prévio aviso, tendo-se unicamente lançado este no Diário de Lisboa como se se annunciasse um dia de espectáculo. Se elle, orador, viera á camará fora porque casualmente lêra o Diário.,..

O sr. Presidente:—eu devo dizer a v. ex.a que a presidência fez o seu dever, dando as ordens, para se fazerem os avisos competentes.

O sr. Barão da Vargem:—continuou dizendo, que podia affirmar a s. ex.a não ter recebido aviso nenhum, e julgava que os mais dignos pares presentes também o não receberam. Isto assim não devia continuar, porque a secretaria tem empregados, e a camará correios para o necessário serviço.

O sr. Visconde de Fonte Arcada:—é para dizer o mesmo que acaba de expor o digno par que me precedeu. Eu não fui avisado do dia de sessão, e só o li no Diário de Lisboa.

Parece-me, sr. presidente, que é contra a dignidade da camará, que os avisos feitos para que ella se reúna se façam como para um leilão.

É preciso que se não tornem a dar factos similhantes.

(Pausa.)

O sr. Visconde de Athoguia:—sr. presidente, v. ex." tem a bondade de me dizer, quantos dignos pares se acham presentes?

O sr. Presidente:—acham-se vinte dignos pares presentes.

O sr. Visconde de Athoguia:—é quantos são necessários para se abrir a sessão?

O sr. Presidente:—são precisos vinte e cinco.

O sr. Visconde de Athoguia:—já se vê pois, pelo adiantamento da hora, que não teremos hoje sessão. Portanto eu pedia a v. ex.a, visto estar prompta a resposta ao discurso do throno, tivesse a bondade de a mandar imprimir a fim de ser depois distribuída. E este um dos primeiros trabalhos que temos para discutir, e que me parece pôde ser mandado para a imprensa sem que seja apresentado á camará.

O sr. Presidente:—o sr. visconde de Athoguia é de parecer que se mande imprimir quanto antes o projecto da resposta ao discurso da coroa, visto ser um objecto que não carece de votação.

Muito bem, agora direi ao digno par o sr. visconde de Fonte Arcada, que a censura que s. ex.a dirigiu á mesa não é bem cabida, porque ella deu as competentes ordens, cumprindo assim o seu dever.

Ora, informando-me da causa d'esta irregularidade, foi-me dito que os avisos tinham sido feitos no Diário de Lisboa por não comportar o tempo entre a ordem para a reunião e o dia d'ella a expedição de avisos por casa de todos os dignos pares.

Eu não sei se esta resposta satisfaz o digno par; mas deve satisfaze-lo a certeza de que a presidência cumpriu com os seus deveres, e por isso de modo algum tem cabimento a censura que se lhe quer fazer.

O sr. Barão da Vargem: — replicou que não provocara a mesa, e só dissera que isto assim não devia continuar; para que tem esta casa correios e empregados? Não píodem aquelles dentro de duas horas entregar os officios a todos os dignos pares, oíficios que já devem estar promptos?

O sr. Visconde de Fonte Arcada: — eu só tenho a dizer que me não contento com o que acaba de propor o sr. visconde de Athoguia. S. ex.a diz que se imprima o projecto de resposta ao discurso da coroa, a fim de se discutir quanto antes. Devo dizer que me parece que, sem os tres dias que se costumam dar para se poder estudar, não deve entrar em discussão.

O sr. Visconde de Castellões:—é para mandar para a mesa um parecer da commissão de fazenda, que passo a ler. (Leu.)

Manda-se imprimir.

O sr. Presidente (dirigindo-se ao sr. visconde de Athoguia):—eu não ouvi bem o que v. ex.* disse, mas creio que a sua indicação se limita a que, visto não haver numero na sala, se leia a resposta ao discurso do throno, visto que

a sua leitura agora é uma mera formalidade, e que em seguida seja impressa e distribuida pelos dignos pares, determinando também o dia em que- deve haver sessão.

A camará estou que annue a isto (apoiados).

Vou portanto fazer a sua leitura. (Leu.)

Ha de imprimir-se para se distribuir; e dar-se-ha o in-tervallo necessário, a fim de ser depois discutido.

Agora devo participar á camará, que o sr. visconde de Algés me encarregou de lhe participar que não pôde assistir ás discussões d'esta casa, por se achar doente; mas que, esperando restabelecer-se, em breve virá tomar então parte nos seus trabalhos.

O sr. Visconde de Athoguia:—é facto que as commissões trabalham no intervallo dos dias de sessões; mas devo dizer a v. ex.a que causa grande emoção lá fora não constar isto...

O sr. Presidente:—eu devo declarar, com quanto se tenha feito acreditar que a camará suspende os seus trabalhos, que ella não os suspende, pois durante o espaço que | ha estão os seus membros trabalhando nas differentes commissões.

O sr. Aguiar: — não ha duvida, sr. presidente, que isso suçceda; mas eu devo dizer que ha algumas commissões que se não reúnem porque os seus presidentes estão impedidos de vir aqui, e ellas não se podem reunir sem que sejam convidados os seus membros. A v. ex." compete tomar as providencias necessárias sobre este objecto.

(Entrou o sr. presidente do conselho de ministros e ministro do reino, marquez de Loulé.)

O sr. Presidente:—acham-se na sala 25 dignos pares, e portanto está o numero legal para se abrir a sessão. Já se vê por este facto, que não são bem cabidas as censuras que se fizeram á presidência, pois se até agora não houve numero, é porque os dignos pares não vieram em tempo competente para se abrir a sessão.

Está portanto aberta a sessão e vae ler-se a acta.

(Eram tres horas.)

Leu-se a acta da sessão antecedente, que se julgou ap-provada na conformidade do regimento, por não haver reclamação em contrario.

Deu-se conta da seguinte correspondência:

Um officio do ministério da fazenda, enviando, para serem distribuídos pelos dignos pares, quarenta exemplares do relatório sobre a fabrica nacional de vidros da Marinha Grande, apresentado pela commissão de inquérito nomeada pela portaria de 4 de junho de 1859.

Mandaram-se distribuir.

-Do digno par visconde da Granja, participando continuar o seu incommodo de saúde, não podendo por agora regressar a esta cidade.

-De Jeronymo Romero, primeiro tenente da armada,

remettendo um exemplar da memoria acerca do districto de Cabo Delgado e da colónia de Pembo.

Para o archivo.

O sr. Margiochi:—é para mandar para a mesa um projecto de lei, precedido de uma exposição que peço á camará licença para ler. (Leu.)

Como a hora se acha adiantada, eu peço a v. ex.a tenha a bondade de me dar a palavra na seguinte sessão, a fim de concluir a sua leitura.

O sr. Presidente:—peço a attenção da camará. A discussão, ou antes conversa que houve antes de se abrir a sessão, começou com um pequeno numero de dignos pares; porém para restituir á mesa o credito que ella merece, devo dizer que, apesar da falta de avisos, acham-se n'esta casa vinte e sete dignos pares.

Estão assim, no meu conceito, defendidas as providencias que a mesa deu, e a honra dos dignos pares.

Pedia agora aos dignos presidentes das commissões que apresentassem alguns trabalhos para serem discutidos; pois na synopse que mandei vir não ha trabalhos preparados, e só ha alguns que estão dependentes das commissões. A commissão de legislação tem o seu presidente doente, e se a camará concordar em que eu, na qualidade de presidente d'esta casa, seja auctorisado a fazer os convites, assim procederei.

Em .quanto ao projecto de resposta ao discurso do throno, vae ser impresso, e será depois distribuído....

O sr. Visconde de Fonte Arcada: — um dia é de certo muito pouco.

O sr. Presidente: — o nosso regimento ordena que sejam tres dias, porém nós estamos tão atrazados em trabalhos, que não ha tempo para tanto.

O sr. Visconde de Castro: — eu pedia licença a v. ex.a para dizer que algumas commissões têem trabalhado, e até já têem mandado para a mesa os seus trabalhos. Digo isto para que se não pense que as commissões têem estado ociosas.

O sr. Presidente: — talvez me não soubesse explicar. Eu não disse que as commissões não têem apresentado trabalhos, disse que aquellas que não os têem apresentado digam qual o inconveniente que têem, a fim de se remediar.

O sr. Aguiar:—eu devo declarar que a commissão de legislação não se tem reunido por falta de presidente. E necessário que alguém tome a iniciativa n'este negocio, e eu entendo que v. ex.a o poderá fazer não só como presidente d'esta casa, mas como membro da mesma commissão.

O sr. Visconde de Athoguia:—é necessário que para a discussão de algumas propostas, que estão na commissão, appareçam os membros do governo.

O sr. Presidente:—hão de íazer-se os competentes avisos tanto aos srs. ministros como á commissão de legislação.

O sr. Aguiar:—eu desejava saber o dia em que essa commissão se ha de reunir?

O sr. Presidente:—na segunda-feira. Em quanto ao dia da seguinte sessão, igualmente serão avisados os dignos pa-

res. Está levantada a presente sessão—Eram quatro horas e um quarto da tarde.

Relação dos dignos pares, que estiveram presentes na sessão do dia 18 de janeiro de 1861

Os srs. visconde de Laborim; marquezes: de Ficalho, de Loulé, de Ponte de Lima; condes: de Bomfim, de Linhares, de Thomar; viscondes: de Athoguia, de Balsemão, de Benagazil, de Castellões, de Castro, de Fonte Arcada, de Fornos de Algodres, de Ovar; barões: de Pernes, de Porto de Moz, da Vargem da Ordem; Mello e Saldanha, Pereira Coutinho, F. P. de Magalhães, Ferrão, Margiochi, Aguiar, Silva Costa, Eugénio de Almeida, Silva Sanches, Brito do Rio.________

Exportar páginas

Página Inicial Inválida
Página Final Inválida

×