O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

J 66

do throno, manifestar o prazei que sentia, vendo de novo reunidos os representantes da nação, legítimos e únicos interpretes da opinião

A

Seu

, .

<_3e p='p' príncipes='príncipes' tvfagestade='tvfagestade' pôso-tj='pôso-tj' t='t' awçusloi='awçusloi' vossa='vossa' joá='joá' _='_'>

petis

só piopoicionou áquelles povos uma occasião de expressarem clara e directamente os leaes sçn-lrUoWlo» q aã aRHuara a iodo» os partugue-zes, mas lambem sem duvida será para elles fértil em saudáveis resultados.

O oascímeiito da, Sereníssima Infanta e' um fausto acontecimento cora que a Providencia, que vela mcançavel sobre a felicidade destes reinos, firmou com mais tim penhor a perp

É suinrnkcrrentô grata para a câmara dos de; pulados a participação que' Vossa Majestade B Sei vida fazer-IBe, de que aã nações alhadas continuam a dar provas dê sincera amizade. Grjin-de sei á asnlisfução deslàcamaia nociva em que •só te-rminarpru as negociações com a Santa Sc, concíTiados os direitos da dynas-tia, as regrfií.ib da corÔT , A independência da nação, c as 101-mnnidadcs tra igreja lasrfctrta ; objectos sobre os quaes os portiiguezes sào zelosos, e que Vossa Magestflde Saberá sempre defender contra todas as tentativas.

Na conservação- da tranquilidade nestas reinos, em rneio das difficeis circunstancias por que terçi passado a nação visinha, claramente se reconhece, depois da Vontade Divina, o as-srduo desvelo de Vossa Magestade, coadjuvado pela índole e progressiva iliustraçâo do povo poríuguez.

A camará trnctará com attenção escrupulosa da conveniente fixação da'força de terra e mar.

Aguarda a camará que1 o governo de Vobsa M.-igestade lhe íiprosonte o orçurnento da receita e crcsjjcza do betado pafa o futuro aimo eco-no(íijco, e as propostas relativas aos vários ramos do serviço pnbhco. esperando firmemente que o mesuro governo appl içara os mais sérios cuidados ;m melhoramento da f.izenda, e a que aejam propOblns taes piovidèncias, que definitivamente eqnilibiern a receita e despega da nação, providencias que acharão apoio na ea-ma-ra dos deputados, q\iartda neJlas sã altèftder aos . recursos dos contribuintes, ás exigências do serviço, e íí acluaíidade da situação.

Vopsa M.igeslade encontrará constanlemenfe os deputados 'da nação promptos para cooperar' na consolidação da grande obra. ojue4 o sempre chorado Pai de Vossa Mdgèstade legou aos portuguczes,, e cujo legitimo desenvolvimento preenche tocras as condições de independência,-segurança, e liberdade.

Palácio das' corte*,' em 03 de janeiro de 1844. = Bernardo Gorjâo tfenndues, presidente. :z= *rfrdt>Mo Plccnte Peixoto, deputado secretario. = dntonio Ermtio Corrêa de Sá Brandão^ de-pnlado secretario.

PARTE m

•t ,

CAMARÁ DOS DIGNOS PARES.

dz sessão de 2tí de janeiro de 18é4. (Presidiu o sr. D. de Palmella, ,e depojs o > . . sr. S)lva Carvalho.) '

For. al>eita a sessão pela uma hora e meia da Urde; presentes 33 dignos1 pares, e o sr. ministro d*os negocioá cio reirtó.

O &r: secretario Machado léii "a "acta da sessão precedente, e approvou-sè*.

O sr. secretario C. .de Lumjare.s deu conta aos seguintes officios:

. 1." Do ex.mosr. José António da Silva Rebe!-lo, bispo de Bragança c Miranda, participando que. principiara a joinada para e3ta corte, porém vira que não poderia continua-la sem ffra-

i i j •

vê detrimento de sua saúde, motivo que o mv

pfdia de comparecer nesta camará, por ora, o que não deixdria de fazer logo que as circum-stancus lhe permittissem.— Inteirada. , 2." 'Do digno par-fl. d'Ancede, participando que contava seguir viagem para esta corte, ag, segtnoíç seoiaaa., no vapor. — inteirada.

Tiveram o destino dado a situilhautes as representações seguintes, todas contra o projecto dénoínitíado daà Misericórdias:

Da mesa e n mãos da santa casa da míseri-eoMía^ete Santar, no districto de Vizen;

Da jufita de parochia da freguesia de Santo r, e da-irmandade do Santíssimo da mes-

DIÁRIO DO GOVERNO.

ma freguesia (apreisçnudas pelo sr. V. de .Fon

te Arcada); • >

v 3P» mesa e irmandade da santa casa da

Ia vil|a $e ,Mesão-frio,

(apresentada pelo si1.

i' r

se fórma a j'rma&A*<íe p='p' de='de' aguiar='aguiar' beiça='beiça' toiseíicordia='toiseíicordia' dj='dj' apresentada='apresentada' v.='v.' viha='viha' pelo='pelo' da='da' sr.='sr.'>

,. - -,... ^^, -

foi introduzido na sala, prestou juramento, e turpnu Jogar « sr. V. de Berliatnios.,

O sr. V. de Sj.i apresentou a seguinte Proposta.

— Ficou para segunda leitura. -O «r-, Tr!grje4ros leu e$le

, • Requerimento. '

«JPor paríe da çoíHmissão

— Foi »p[>r0vfídfr sem discussão. • ' \ O mes'no digno par,1 relator da referida com-

miobuo len também, e mdtidou puja a mesa, o parecer delia sobre a proposta ao sr. Ci de Lavradio paru-que as votações sobre tnalenas de impostos fossem iiwiiitra«&: esto pareece propõe a r

Co?no se achu^se premente o st. oainistio dos negócios do remo? o sr. Serpa Machado indicou parecer-lhe oppoVtuuo que tivesse-logar a iiiLerpellação pelo ^ig/jo 'par jndicada, acerca da oij-cuW» -da.flssooiaçào eleitoral; « como o mesmo sr. miruslro-significasse achar-se proa» pio a responder por'parte do goveino, effecti-vaoiente passou aquel lê membro a fazer a suai n-terpellação.

^^TrrecJ^ido-ae d« pnblícar esra interpelfã» cão, e successiva discussão na ruaior. .exlenção posaivel, não podemos1 dá-la no presente numero, o que coulâholoa fòzer no^egi»iRtev

GABARA DOi SENHORES JJÉPUTÁBOS»

Sessão em 26 -de, janeiro de 1844. (Presidência da sr: Gorjão Heiiriqiíes.) SITA a chamada-, e estando preseflíesí 54 sr-' deputados, abriu-se a sessà© poae» depois do meio dm

A acta foi approvkda. • • * ' '

O sr. presidente paiticipou á camará que a deputação encarregada 'lê -apresentai* aSuaMa-geâtade a Tet.po!-ta ao 'dftcuisn dti coroa, òutó-priu a sua missão houteru, e quê Sua Aíagesta-de ouviu a Ittitura Ay résposltí1 eorfl a mais benigna attehçào, e n*c>bt?ra a deputado com a atf.tbiliddde quo a caràcLeriãa.

A oaffictia recebeu -com agrado «stá commu-nicação. " , , • '

O sr. secretariff Silva e Mntt& detr conta á camará da seguinte correspondência:

Um offieio do oíinisleno do reino, enviando os reqticnuíen-tos de» capitães da guarda municipal de Lisboa, pedindo se Ifeeâ applique a disposição do alvaj-á de 16 de dezembro de 1790 s que concede-o habito -ds Avb aos capitães dn exercito qive con tarem v?ate aonos dó serviço eftecli\o, por isso que o1 governo não está aulhò-risjdo para lhe defefrjr. — A'eommis-são de guerra-.

O sr. Santos- Silva Júnior mandou 'para a mesa uma repiesentação aásig&ada por^â indivíduos de Balthar sobre 'foraes'. — Ficou para segunda leitura.

O sr. A^ila pediu que algum -dos íllustres membros d-a tx)tnm-i3&HO

O sr. Agostin-lio -Albano-dis^e '^tí^ membro dacomniissãoi e fiãò eoitto seu em resposta ao sr; deputado, dizia qrie a sua

adinimção eri justa, por quanto a faf notou ou dqduziu do da fazenda èvístia ; mas suppuafcuj | missão íiíio..jactara d.iq^elle HauEauita-se ,á y v|ffca nSBeestwiit

como

dê fa'zer existir u falta, ser branca que a cornmissãoconsideiars mas que pão reduzira^

Declarou que na sua opirjiâo o Iril thesouro carece de lefòrma^ e gui dccupado õ governo, •ptirifTié. lê tribunal, parapreeijcher os seus devidos tos, precisa de uma u->va wgaimaçâo, da o píiiz tiraria'grandes reáfutóidoí^^',«-

O sr, .Anta recquhecèíi ^lie^a '"" IrabaJiios dava causa a. Uaver d-aroir estar satiefeito'eotn as deputado.

O sr. secretano

recer. VOÍQ da_ commr^^Q ^^tg, a mesa „ v para a secretaria, Q daíii para a imprensa' a menor' alteração.

O fií, J£a?içr da ve?es pçdido -^efíoí imposto dos quatro, por cento das rèt casas^ quo íjl^uj faltavam ^oufros, 05

se

verno,, ^ bem

dos direitos do pescado; porque,

pedir a- palavra por pifete dft ee>u*uai

áêeféa, dos pçs^dores, ell carecia daqueHes ebCJ^recimefílc: «ussâo. > . --•

O ar.^seerctarjo Pejjtoto ob^erVôíi a0 tado que, tendo vindo alguns .dos tos acerca dos quatro -por ceiHo» oç sirica-íos pata ver os.quê falavam, pedcneoi-. precisa oieirte;.. pescado

O &T. Xavjeír dfe Sihret para a mesa uma ^epTesèatagêo 109 cidadãos déslã- c^pUal, -perfieBceptç gUeziia-de-S.-Pdulò,5 em- qwe-^qír^'"* terpet'mç^o riteéa ao artigo 3.* dá outubro dFe, 4837' áctífca do p'agamf»n por ceato- da rfnâardafr lojas cf eécnpt habitados. • '

Fez várias con&icretações * acerca da dade'de '^è^,tterifdor ia «£ta faatena p^í rnvolviefeíft-o^ direitos rd» íijuítoí- cidadã potído mii/dadenLè e ãèoníecido aestó t e teríoi&ou poF^dtf o^ie-cóíí preséótaçãó ftjssê uiatóada ã zenda. - ' "* • .>,

A (^marawscmveiu nèst& pedido.

O sV:vt3&o!ini'€preéentou uma i sobre a mesma tòatería,-designada por dâos tfa freguezja de Santos^

Tave ígual 4éslln&. . .

O ár.-A^itó^ho urna rçpresenta^ãp bros da eamar^.Eniinieipai.da i dindo aauppressâf^ da^

Bstabojfíeiçla; em terior destino. _

Q SN Ferrla preaeotação do roara E cão da

Ficou

Km seguida dou para

neílí

4^

.«Tendo $ído preseqtç 4 çars «m. requerimeoto em íDorae do& peàcad;0r

o-.eSfiJxaíj, e'em qii^ se sereta guardada^, as avenças « lí obtiveram ^rr> coíifornudffí da oâfta de Já de lQr.4e J.

é de parecej, v §ei. o flaíq^ro e sécre

negócios da fazenda com urgência , sobre o f^cto que com missão eai -SI& de

. )

Novaes = RebeUo- Cabral^ Ferrão. ,»