O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1958
CAMARA DOS DIGNOS PARES
SESSÃO DE 20 DE JULHO DE 1861
PRESIDENCIA DO EX.MO SR. VISCONDE DE LABORIM
VICE PRESIDENTE
Secretarios: os dignos pares Conde de Mello
Conde de Peniche
(Presentes, os ex.mos srs. presidente do conselho e ministros da fazenda, guerra e marinha.)
As tres horas da tarde, achando-se presente numero legal, declarou o sr. presidente aberta a sessão.
Lida a acta da antecedente, julgou-se approvada na conformidade do regimento, por não haver reclamação em contrario.
O sr. Secretario: — Participo que os srs. marquez de Vallada e barão de Pernes não podem comparecer á sessão por incommodo de saude.
O sr. Conde do Bomfim: — Sr. presidente, peço licença a V. ex.ª e á camara para lêr um artigo que vem no Jornal do Commercio de hontem, no qual se inscreve um projecto sobre melhoramentos do exercito, projecto que não é meu, mas que adopto e mandarei para a mesa.
V. ex.ª e a camara hão de conhecer até certo ponto, que o nosso exercito está extremamente reduzido, e é preciso olhar-se para isso. A um dos srs. ministros ouvi eu aqui dizer que estamos nas melhores relações com os nossos vasinhos. Não precisa o nobre ministro do meu testemunho, como auctoridade de um districto limitrophe, para confirmar a sua afirmativa. Não obstante isso, não devemos deixar de cuidar em ter as cousas no pé em que devem estar para que a independencia nacional seja mantida devidamente e a ordem publica se conserve no estado em que deve estar. No visinho reino não se descuidam d'isto, e ainda ultimamente, ali mandaram-se fazer 300:000 armas raiadas, do systema moderno, e 2:000 peças, tambem do mesmo systema. Nós temos mandado vir aquellas que as forças do nosso thesouro têem permittido que venham. Sobre isso hão de produzir-se alguns esclarecimentos indubitavelmente necessarios para quando se trate de pôr em acção o plano que passo a lêr no Jornal do Commercio, como já disse.
«Sr. redactor. — O artigo junto, relativo a augmento de soldos, gratificações e prets do exercito, era destinado para a Revista Militar, mas não póde ser publicado no numero d'esta quinzena. Em consequencia vou rogar a v. o especial favor de publicar no seu periodico o dito artigo. — De V. etc... Lisboa, 17 de julho de 1861. = Luiz Travassos Valdez.
Augmento de soldos, gratificações e pret ao exercito
É reconhecida a insuficiência dos vencimentos dos officiaes e praças de pret do exercito em serviço activo. Os sol