O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1092
DIARIO DO GOVERNO.
CAMARA DOS SENADORES.
Sessão de 25 de Junho de 1839.
(Presidencia do Sr. Duque de Palmella).
UM quarto depois da uma hora da tarde, foi aberta a Sessão; estavam presentes 30 Srs. Senadores.
Leu-se e approvou-se a Acta da precedente, e na desta se mandou lançar a seguinte
Declaração.
«Declaro que na Sessão de 22 do corrente fui de voto, que se não creasse ao Tribunal de Contas uma Secção de Supplentes para conhecerem, concedida a Revista, das Causas dos responsaveis. = Fernando Pinto do Rego Cêa Trigueiros = Visconde de Laborim = Francisco Tavares de Almeida Proença = Francisco de Serpa Machado = Manoel Gonçalves de Miranda = João Salinas de Benevides.»
O. Sr. Ministro dos Negocios do Reino: — Sua Magestade a RAINHA recebe, ámanhã pelo meio dia, a Deputação que por parte desta Camara foi encarregada de apresentar alguns authographos á Sancção Real. — A Camara ficou inteirada.
Mencionou-se um Officio, pelo Ministerio da Marinha, incluindo uma Nota da divida da sua Repartição até 31 de Maio antecedente. — Para a Secretaria.
Passaram á Commissão de Administração tres Representações das Camaras Municipaes de Palmella, Azeitão e Ulme, sobre divisão de territorio; as duas primeiras apresentadas pelo Sr. Duque de Palmela, e a ultima pelo Sr. Pereira de Magalhães.
Não se achando ainda presentes Membros em numero sufficiente para deliberar sobre os objectos dados para ordem do dia, disse o Sr. Presidente que se suspendia a Sessão. Era uma hora e meia da tarde.
Ás duas horas continuou a Sessão: verificando-se que não havia concorrido mais nenhum dos Srs. Senadores á Sala, disse o Sr. Presidente que a ordem do dia para o seguinte seria a mesma que se achava designada; e fechou a Sessão.
Errata. - No Diario N.º 167, a pag. 1085, col. 3.ª, lin. 79 (discurso do Sr. Leitão), onde se lê = nem julgar é decidir uma contestação = deve lêr-se = nem julgar ou decidir uma contestação.