O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

0225 | I Série - Número 08 | 04 de Setembro de 2001

 

presidente da bancada do PCP, ainda bem que as palavras que o Sr. Deputado Francisco de Assis me dirigiu não o atingiram a si, porque então é que seria realmente aterrador pensar-se que o Sr. Deputado teria ainda tantos anos assim na oposição.

Risos do PSD.

Agradeço-lhe sinceramente as suas palavras e espero que mantenhamos as nossas relações institucionais dentro do quadro democrático em que estamos habituados a conviver.

O Sr. Luís Marques Guedes (PSD): - Muito bem!

O Sr. Presidente: - Tem a palavra o Sr. Deputado Basílio Horta, para formular o seu pedido de esclarecimento.

O Sr. Basílio Horta (CDS-PP): - Sr. Presidente, Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite, permita-me que antes de me dirigir a si me dirija ao Sr. Deputado António Capucho, para o saudar de uma maneira muito amiga e cordial.
Sr. Deputado António Capucho, quero dizer-lhe que foi um privilégio trabalhar consigo. O senhor é um homem de palavra e um político com quem foi útil, para o País, para o centro e para a direita, trabalhar durante este período. Desejo-lhe, nos seus novos desafios, as maiores felicidades.

O Sr. Sílvio Rui Cervan (CDS-PP): - Muito bem!

O Orador: - Aliás, estamos unidos nesse mesmo desafio.
Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite, como já tive a ocasião de lhe dizer, entendo que a Assembleia se prestigiou com a sua eleição. Pelas suas qualidades, pelo seu passado, pela forma como encara a política, nós todos estamos de parabéns, mesmo aqueles que, aqui ou ali, estão em divergência consigo.
Estamos, realmente, de parabéns e nós entendemos, tal como disse no congresso onde voltei à política profissional, que duas oposições que dialogam é sempre melhor do que duas oposições que se digladiam.
Até agora tem sido esta a regra, as nossas duas oposições têm sempre dialogado; esperamos, sinceramente, que esse diálogo não só continue como se aprofunde e aperfeiçoe.
V. Ex.ª também referiu aqui que o seu partido quer ser alternativa a este poder. Como eu a compreendo!… E como só quero que isso não nos divida, chamo a sua atenção para o facto de que essa alternativa a este poder não pode ser feita sem os democratas-cristãos e muito menos contra eles. Pensar o contrário é atrasar o País muitos anos. Espero que V. Ex.ª o não faça, que não cometa esse erro.
De outra forma, se não for assim, estamos seguramente de acordo e, na construção dessa alternativa, também teremos um longo e útil caminho a percorrer.
Desejo-lhe, Sr.ª Deputada, Minha Senhora, as maiores felicidades e os maiores êxitos nas suas novas funções.

O Sr. Presidente: - Para responder, tem a palavra a Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite.

A Sr.ª Manuela Ferreira Leite (PSD): - Sr. Presidente, Sr. Deputado Basílio Horta, agradeço, a si e à sua bancada, a simpatia com que sempre me têm distinguido, tenha ou não o Sr. Deputado dúvidas quanto à lealdade e à boa colaboração que a minha bancada vai continuar a manter com a sua. Não estou aqui, com certeza, para me digladiar com ninguém para além do Partido Socialista, mas não lhe nego também que estou aqui, Sr. Deputado, para reforçar o PSD.

O Sr. Presidente: - Tem a palavra, Sr. Deputado Fernando Rosas.

O Sr. Fernando Rosas (BE): - Sr. Presidente, Srs. Deputados: Permita-me, Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite, que, no momento em que toma a cargo a liderança do Grupo Parlamentar do PSD, lhe dirija uma saudação; permita que, de um grupo parlamentar que ideologicamente está longe do seu, venha uma palavra de homenagem e de respeito pela sua competência, pelo seu rigor, pela sua frieza, pelo seu brilho de parlamentar ilustre, tanto mais que é uma parlamentar que tem honrado a estirpe de grandes parlamentares do liberalismo português que a antecederam nessa função. Permita também que saliente o facto de ser uma mulher a assumir a liderança do Grupo Parlamentar do PSD. Tal ocorrendo num partido onde, digamos, a problemática do género não é um «prato forte» nem uma opção principal, isso mais reforça o seu mérito específico e particular.

O Sr. Presidente: - Para responder, tem a palavra a Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite.

A Sr.ª Manuela Ferreira Leite (PSD): - Sr. Presidente, Sr. Deputado Fernando Rosas: Agradeço sinceramente as palavras simpáticas que me dirigiu e que penso mesmo terem sido excessivas. O único ponto em que seria capaz de ter algumas divergências consigo, para além daquelas que não foram aqui explicitadas, é sobre o facto de eu ser mulher.
Como sabe, não faço parte do grupo das pessoas que define esse tipo de critério para a escolha seja do que for, mas, em todo o caso, também não posso deixar de reconhecer, a todas aquelas mulheres que entendem que isso é um facto importante, que me sinto orgulhosa de, a essas, poder dar alguma satisfação.

Vozes do PSD: - Muito bem!

A Sr.ª Maria Celeste Correia (PS): - Pode crer!

O Sr. Presidente: - Tem a palavra, Sr.ª Deputada Isabel Castro.

A Sr.ª Isabel Castro (Os Verdes): - Sr. Presidente, Sr.ª Deputada Manuela Ferreira Leite: Inscrevi-me porque, mais do que analisar o conteúdo da sua intervenção, não ficaria bem comigo se não a saudasse no momento em que assume aquela que considera ser a mais complexa tarefa que terá de desempenhar.
É realmente uma tarefa de grande exigência, é uma tarefa dura, mas, independentemente das enormes divergências que temos e que seguramente reconhece, todos lhe reconhecemos frontalidade, respeito e um grande rigor. Ora, essas são características extremamente importantes, são seguramente valores preciosos para, num espaço onde, mais do que a ambiguidade de consensos, a luta deve ser

Páginas Relacionadas