O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

0931 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003

 

operação, é um negócio de especulação imobiliária que se vem acobertar pelo eventual interesse público da candidatura a uma regata, visto que ainda nem sequer sabemos se a sua organização será atribuída a Portugal.
Na verdade, é isto que acontece. Há pessoas desesperadas, angustiadas, que se vêem sem alternativas. São milhares de pessoas, com 45, 50 anos, que vão directamente para o desemprego. Não são apenas os 138 trabalhadores da delegação de Lisboa da Docapesca.
Por isso, deixo a acusação: há uma total ausência de consciência social. Não me fale de ambiente, porque o ambiente pode ser preservado e desenvolvido com uma doca de pesca.
Em que sentido foram os últimos investimentos realizados na Docapesca? Foram no sentido de a dotar de um conjunto de infra-estruturas mais modernas e desenvolvidas. Vai ser arrasada uma fábrica de gelo, que há pouco tempo teve investimentos comunitários e que tem tecnologia actualizadíssima. Vai ser demolida uma câmara frigorífica, a câmara 14, que é a maior da capital.
Neste momento, nem sequer os responsáveis sabem o que é que vão fazer ao pescado que está instalado nas câmaras frigoríficas. Não há capacidade de escoamento no mercado, no espaço de um mês, para aquele pescado todo. Neste momento, não se sabe o que vai acontecer a todas aquelas toneladas de pescado, que ali estão armazenadas. Provavelmente, a destruição será o seu fim.
Tudo isto é anti-económico. Tudo isto está eivado de irracionalidade económica. Tem, sim, uma racionalidade: é a de lucro, não do lucro de desenvolvimento da actividade económica sustentada, mas do lucro da especulação imobiliária. Foi nisso que, manifestamente, o Grupo Espírito Santo mostrou todo o interesse e que o Governo, afanosamente, se prestou a que fosse imediatamente implementado.

O Sr. José Apolinário (PS): - Muito bem!

O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, terminámos o período de antes da ordem do dia.

Eram 16 horas e 15 minutos.

ORDEM DO DIA

O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, vamos dar início à discussão conjunta, na generalidade, das propostas de lei n.os 88/IX - Aprova o regime jurídico da responsabilidade civil extracontratual do Estado, 89/IX - Aprova o estatuto do pessoal dirigente dos serviços e organismos da administração central, regional e local do Estado, 90/IX - Aprova a lei-quadro dos institutos públicos e 91/IX - Estabelece os princípios e normas a que deve obedecer a organização da administração directa do Estado, e dos projectos de lei n.os 347/IX - Estabelece o estatuto do pessoal dirigente da Administração Pública (PS), 348/IX - Aprova a lei-quadro dos institutos públicos integrantes da administração do Estado (PS), 349/IX - Estabelece os princípios e as normas a que deverá obedecer a organização dos serviços da administração directa do Estado (PS) e 367/IX - Lei-quadro dos institutos públicos (PCP).
Está combinado fazer-se a apresentação de cada um destes conjuntos de diplomas pelos autores dos respectivos textos e, depois dos pedidos de esclarecimento a cada um deles e das respectivas respostas, abrir-se-á o debate geral.
Em primeiro lugar, tem a palavra a Sr.ª Ministra da Justiça.

A Sr.ª Ministra da Justiça (Maria Celeste Cardona): - Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: O que nos traz aqui, hoje, é um motivo válido e no momento certo.
O motivo é a amplamente reconhecida necessidade de revisão do regime jurídico da responsabilidade extracontratual do Estado, concretizando de forma clara, ampla e responsável os princípios e valores expressos no artigo 22.° da Constituição.
O Estado tem de ser uma pessoa de bem, não basta que seja uma pessoa bem intencionada. E as pessoas de bem regem-se por regras claras, conhecidas e exigentes. É esse o espírito deste diploma.
A proposta que o Governo hoje apresenta, ao rever uma legislação que é boa, pretende clarificar deveres e obrigações e ampliar responsabilidades de forma séria e equilibrada. Consagra, explicitamente, uma visão do Estado enquanto entidade responsável pelos seus actos e omissões e pelas suas consequências.

O Sr. António Montalvão Machado (PSD): - Muito bem!

A Oradora: - É, pois, uma proposta exigente. E é também por isso que este é o momento certo.
Ao associar a revisão deste regime jurídico à profunda reforma da Administração Pública, o Governo assume a orientação clara de dotar a Administração de instrumentos válidos para a sua eficácia e, ao

Páginas Relacionadas
Página 0932:
0932 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   mesmo tempo, de regras
Pág.Página 932
Página 0933:
0933 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   especiais e anormais di
Pág.Página 933
Página 0934:
0934 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   responsável, capaz de r
Pág.Página 934
Página 0935:
0935 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Essa diferenciação não
Pág.Página 935
Página 0936:
0936 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Estou certa de que esta
Pág.Página 936
Página 0937:
0937 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   de aposentação na Admin
Pág.Página 937
Página 0938:
0938 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Onde está desenvolvido
Pág.Página 938
Página 0939:
0939 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Vozes do PS: - Muito be
Pág.Página 939
Página 0940:
0940 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   A parcialidade do manda
Pág.Página 940
Página 0941:
0941 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   O Sr. José Magalhães (P
Pág.Página 941
Página 0942:
0942 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   prestado directamente p
Pág.Página 942
Página 0943:
0943 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   um repúdio unânime por
Pág.Página 943
Página 0944:
0944 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Em todo o caso, Sr. Dep
Pág.Página 944
Página 0945:
0945 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   uma decisão sensata por
Pág.Página 945
Página 0946:
0946 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   pelo também socialista
Pág.Página 946
Página 0947:
0947 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   sua relação com a refor
Pág.Página 947
Página 0948:
0948 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Protestos do PS.
Pág.Página 948
Página 0949:
0949 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Novembro. Pode este
Pág.Página 949
Página 0950:
0950 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Finanças. A Sr.ª
Pág.Página 950
Página 0951:
0951 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Aplausos do PSD e do CD
Pág.Página 951
Página 0952:
0952 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   deveríamos concluir o s
Pág.Página 952
Página 0953:
0953 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Dados, a propósito de u
Pág.Página 953
Página 0954:
0954 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   A Oradora: - … e, natur
Pág.Página 954
Página 0955:
0955 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   A Oradora: - O Sr. Depu
Pág.Página 955
Página 0956:
0956 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   tomam como referência d
Pág.Página 956
Página 0957:
0957 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   no Novo Sistema Retribu
Pág.Página 957
Página 0958:
0958 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Portanto, Sr. Deputado,
Pág.Página 958
Página 0959:
0959 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   O Sr. José Magalhães (P
Pág.Página 959
Página 0960:
0960 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   O Sr. José Magalhães (P
Pág.Página 960
Página 0961:
0961 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   O Sr. António Pinheiro
Pág.Página 961
Página 0962:
0962 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   imparcialidade da Admin
Pág.Página 962
Página 0963:
0963 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   a desastrosa experiênci
Pág.Página 963
Página 0964:
0964 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   mais pequeno e ágil é,
Pág.Página 964
Página 0965:
0965 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Aplausos do PS. O
Pág.Página 965
Página 0966:
0966 | I Série - Número 018 | 31 de Outubro de 2003   Aplausos do PSD e do CD
Pág.Página 966