O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1503 | I Série - Número 025 | 28 de Novembro de 2003

 

os povos. Ora, o que aconteceu é o contrário da tolerância, por isso vivamente condenamos os atentados terroristas.
Sr.ª Presidente, se me permite, gostaria ainda de referir-me a alguns aspectos das intervenções que aqui foram proferidas.

A Sr.ª Presidente (Leonor Beleza): - Sr. Deputado, peço-lhe que conclua, pois já esgotou o tempo de que dispunha.

O Orador: - Concluirei rapidamente, Sr.ª Presidente.
Srs. Deputados, está longe de ser clara a relação entre as acções militares iniciadas no Iraque há meses e a luta contra o terrorismo internacional.

Protestos do PSD.

Admiro-me que possa falar-se com tanto à-vontade desta matéria, produzindo afirmações em contradição manifesta com aquilo que a generalidade da opinião pública mundial a esse propósito - repito, a esse propósito - entende.
Por último, quero dizer que não bastam proclamações contra o terrorismo…

Risos e aplausos do PSD e do CDS-PP.

Os Srs. Deputados do PSD e do CDS-PP sabem bem do que estou a falar e que tenho razão!
É preciso que em Portugal façamos - e que o Governo o faça - um trabalho de luta contra o terrorismo, mas que seja de preparação de todos os instrumentos necessários para fazer face à ameaça terrorista. É isto o que esperamos do Governo!

Aplausos do PS.

A Sr.ª Presidente (Leonor Beleza): - Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado João Teixeira Lopes.

O Sr. João Teixeira Lopes (BE): - Sr.ª Presidente, Srs. Deputados: Congratulamo-nos com o prémio atribuído a António Lobo Antunes, um escritor que tanto se tem dedicado a falar de Portugal, fazendo-o com potencial de universalidade, sem saudosismos, sem exaltação patrioteira; um Portugal visto de uma forma lúcida, ácida e irónica.
Gostamos, em António Lobo Antunes, da forma como a lentíssima música das vozes ganha espaço para o silêncio e para o vazio e de como, nesse silêncio e vazio, as palavras tomam todo o seu sentido.

Aplausos do BE e de Deputados do PS.

A Sr.ª Presidente (Leonor Beleza): - Srs. Deputados, vamos, então, passar às votações.
Em primeiro lugar, vamos proceder à votação do voto n.º 108/IX - De pesar pela trágica morte do Subchefe da PSP Armando Luís Caleiro Lopes, ocorrida no desempenho das suas funções profissionais (PS).

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

É o seguinte:

Voto n.º 108/IX
De pesar pela trágica morte do Subchefe da PSP Armando Luís Caleiro Lopes, ocorrida no desempenho das suas funções profissionais

A trágica morte do Subchefe da PSP Armando Luís Caleiro Lopes, no passado dia 10 de Novembro, ocorrida no momento em que cumpria os seus deveres profissionais com zelo e dedicação, constitui um acto cruel e consubstancia um crime repugnante e intolerável, que merece o mais profundo repúdio.
Perante a trágica morte do Subchefe Armando Lopes, a Assembleia da República vem manifestar o seu profundo pesar pela ocorrência e expressar os seus mais sentidos pêsames à família enlutada, em particular à sua mulher e filhos.

Páginas Relacionadas
Página 1504:
1504 | I Série - Número 025 | 28 de Novembro de 2003   A Assembleia da Repúbl
Pág.Página 1504
Página 1505:
1505 | I Série - Número 025 | 28 de Novembro de 2003   Voto n.º 110/IX De
Pág.Página 1505