O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

43 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008

O Sr. Presidente: — Vamos votar a proposta do Bloco de Esquerda, de aditamento de um n.º 3 ao artigo 2.º da proposta de lei.

Submetida à votação, foi rejeitada, com votos contra do PS, do PSD e do CDS-PP, votos a favor do BE, de Os Verdes e de 1 Deputada não inscrita e a abstenção PCP.

Era a seguinte:

3 — O regime exclui garantias a operações que não sejam realizadas em euros.

O Sr. Presidente: — Passamos à votação da proposta, apresentada pelo PCP, de aditamento de um artigo 2.º-A à proposta de lei.

Submetida à votação, foi rejeitada, com votos contra do PS, do PSD e do CDS-PP e votos a favor do PCP, do BE, de Os Verdes e de 1 Deputada não inscrita.

Era a seguinte:

Artigo 2.º-A Condições de financiamento

As instituições de crédito beneficiárias da concessão de garantias pessoais prestadas pelo Estado estabelecem os contratos de financiamento, previstos no artigo anterior, fixando uma taxa de juro igual à taxa de refinanciamento do Banco Central Europeu acrescida de um spread máximo de 0,75%.

O Sr. Presidente: — Vamos proceder à votação da proposta do Bloco de Esquerda, de aditamento de um artigo 2.º-A à proposta de lei.

Submetida à votação, foi rejeitada, com votos contra do PS, do PSD e do CDS-PP e votos a favor do PCP, do BE, de Os Verdes e de 1 Deputada não inscrita.

Era a seguinte:

Artigo 2.º-A Prazo para a concessão extraordinária de garantias pessoais pelo Estado

O prazo da aplicação do regime concessão extraordinária de garantias pessoais pelo Estado em contratos de financiamento é de 6 meses a contar da data da entrada em vigor do presente diploma.

O Sr. Presidente: — Entramos, agora, nas votações relativas ao artigo 3.º da proposta de lei.
Começamos por votar a proposta, apresentada pelo PCP, de alteração do n.º 2 do artigo 3.º

Submetida à votação, foi rejeitada, com votos contra do PS, do PSD e do CDS-PP e votos a favor do PCP, do BE, de Os Verdes e de 1 Deputada não inscrita.

Era a seguinte:

2 — A violação por parte de membros do Governo do disposto na presente lei constitui crime de responsabilidade punível com pena de prisão até três anos.

O Sr. Presidente: — Vamos votar o artigo 3.º da proposta de lei.

Páginas Relacionadas
Página 0024:
24 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 Aplausos do PCP. O Sr. Presidente:
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 o seu caminho. Assistimos, nos último
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 estabilidade e a equidade e de, em conse
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 vindo do Governo. Relativamente à que
Pág.Página 27
Página 0030:
30 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 Os Srs. Deputados falaram também em oper
Pág.Página 30
Página 0031:
31 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 O Sr. Ricardo Martins (PSD): — Muito bem
Pág.Página 31
Página 0032:
32 | I Série - Número: 014 | 17 de Outubro de 2008 não lhes dá jeito, em que nos desautoriz
Pág.Página 32