O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

54 | I Série - Número: 040 | 20 de Janeiro de 2011

A Sr.ª Ana Paula Vitorino (PS): — » que nunca defenderam o metro do Mondego como grande projecto, que anularam um concurso em 2002, que lançaram, em 2005, outro concurso que se auto-extinguia e que vêm, agora, oportunisticamente, manipular as populações com demagogia eleitoral de curtíssimo prazo.

Aplausos do PS.

Quero aqui, hoje, reafirmar, como dirigente nacional do Partido Socialista, em coerência com os nossos compromissos eleitorais e Programa do Governo, que, para o PS, o metro do Mondego é uma prioridade política,»

Vozes do PSD e do CDS-PP: — Nota-se!

A Sr.ª Ana Paula Vitorino (PS): — » um projecto devidamente estudado, que reforça a competitividade da região, e um acto de justiça para com as populações do ramal da Lousã. E o PS continua a considerar o projecto prioritário.

Aplausos do PS.

Protestos do PSD e do CDS-PP.

Este projecto tem a marca dos Governos de José Sócrates. Foi apresentado em 2006, as obras iniciaramse em 2008 e somos muito claros na aplicação a este caso da doutrina sobre investimento público consagrada no Orçamento do Estado para 2011.
É por isso que o projecto de resolução apresentado pelo PS é a reafirmação do compromisso com este projecto, adequando-o com realismo às exigências da actual situação económica e financeira do País.

O Sr. Emídio Guerreiro (PSD): — Vão vender carris?!

A Sr.ª Ana Paula Vitorino (PS): — Compreendemos bem a situação económico-financeira de Portugal e, por isso, admitimos a reanálise do faseamento das obras na zona urbana de Coimbra — não fazemos como o PSD, que remete para a tal grande comissão de reanálise de projectos — ,»

Vozes do PS: — Muito bem!

A Sr.ª Ana Paula Vitorino (PS): — » independentemente da intervenção que ç necessário fazer, desde já, na baixa da cidade.
Mas, por exigência de justiça, é fundamental que seja assegurada a imediata continuidade das empreitadas necessárias à introdução do serviço ferroviário ligeiro no ramal da Lousã.
A ligação ferroviária foi o grande motor do desenvolvimento populacional da Lousã e de Miranda do Corvo nos últimos 20 anos, combatendo a desertificação! Esta ligação ferroviária foi interrompida por boas razões: para dar lugar a uma solução de qualidade a olhar para o futuro!

Risos do PSD.

E começaram as obras, Srs. Deputados. É, pois, da mais elementar justiça honrar os compromissos indo ao encontro das expectativas criadas!

Vozes do PS: — Muito bem!

O Sr. Presidente: — Agradeço que conclua, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Ana Paula Vitorino (PS): — Vou concluir, Sr. Presidente.

Páginas Relacionadas
Página 0050:
50 | I Série - Número: 040 | 20 de Janeiro de 2011 Aplausos do CDS-PP. Quando, há um
Pág.Página 50
Página 0051:
51 | I Série - Número: 040 | 20 de Janeiro de 2011 Além disso, há um facto muito objectivo,
Pág.Página 51
Página 0055:
55 | I Série - Número: 040 | 20 de Janeiro de 2011 O PS defende hoje o que defendeu em 1996
Pág.Página 55
Página 0056:
56 | I Série - Número: 040 | 20 de Janeiro de 2011 O PCP condena esta atitude, porque o que
Pág.Página 56