O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

23 DE NOVEMBRO DE 2012

47

que estamos a falar de princípios constitucionais que estão a ser violados, através deste «biombo», que é o

Estatuto Político-Administrativo da Madeira.

Por isso, Sr.ª Presidente, peço-lhe que me responda, se me puder ajudar, e que esclareça ao Sr. Deputado

Hugo Velosa qual destas leis tem maior força jurídica para a Assembleia da República: a Constituição da

República Portuguesa ou o Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma da Madeira.

Aplausos do PS.

O Sr. Hugo Velosa (PSD): — Sr.ª Presidente, permite-me uma interpelação à Mesa?

A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, não podem abusar da figura regimental de interpelação à Mesa e

tem havido, desde sempre, um abuso sistemático. Isto interrompe os trabalhos e perturba a continuidade

argumentativa entre os diferentes oradores.

Mas, se o Sr. Deputado Hugo Velosa entende que é mesmo uma interpelação à Mesa, faça favor.

O Sr. Hugo Velosa (PSD): — Sr.ª Presidente, é uma interpelação à Mesa no mesmo sentido…

A Sr.ª Presidente: — Sim, terá de ser, porque o Sr. Deputado tem de ser tratado de modo igual.

Exatamente!

Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Hugo Velosa (PSD): — Sr.ª Presidente, quero apenas dizer, em 10 segundos, que não há violação

da Constituição. É matéria do Estatuto, não é matéria da Constituição.

Portanto, não vale a pena vir aqui dar a entender uma coisa que não existe: não há violação da

Constituição em relação àquilo que se passa na Região Autónoma da Madeira.

A Sr.ª Presidente: — Tem, agora, a palavra o Sr. Deputado João Pinho de Almeida.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr.ª Presidente, Srs. Deputados, há duas matérias essenciais

que devem ser analisadas em relação a esta proposta: uma matéria política e uma que tem a ver com a

conceção do regime democrático.

Devemos dizer que, no que diz respeito à questão política, o CDS concorda, em absoluto, com a

argumentação do Sr. Deputado Jacinto Serrão. É uma vergonha, é inadmissível que num país vigorem

sistemas diferentes, consoante a localização geográfica em que as realidades se passam. É uma vergonha

que haja titulares de cargos políticos, na República e na Região Autónoma dos Açores, que se sujeitam a

umas regras e que haja outros titulares de cargos políticos, na Região Autónoma da Madeira, que tenham

regras especiais para si próprios.

O Sr. Honório Novo (PCP): — Sr. Deputado Hugo Velosa, peça uma interpelação à Mesa!…

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — É inadmissível que apliquem um regime que está ao arrepio

de toda a conceção ética e legal do que deve ser o regime dos titulares de cargos políticos no País. Isto é

político e, sobre isto, não temos qualquer dúvida em dizer que estamos completamente de acordo com a

proposta do Partido Socialista, porque aquilo que se passa na Madeira é totalmente inadmissível e merece

censura.

Mas há outra questão.

Vozes do PCP: — Ah!

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Há, Srs. Deputados, porque não vale tudo! Não vale tudo!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Já vão ver!

Páginas Relacionadas
Página 0002:
I SÉRIE — NÚMERO 21 2 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, Srs. Membr
Pág.Página 2
Página 0003:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 3 A Sr.ª Presidente: — Sr. Deputado Duarte Pacheco, pode ind
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 21 4 O que é que eu quero dizer com esta pergunta? S
Pág.Página 4
Página 0005:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 5 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Luís Faz
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 21 6 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr.
Pág.Página 6
Página 0007:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 7 Sr.ª Presidente, terminando, ninguém compreende que, nesta
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 21 8 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, a M
Pág.Página 8
Página 0009:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 9 Para além do mais, Sr.ª Presidente, é absolutamente inacei
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 21 10 quer fazer, impondo o seu número mas não a raz
Pág.Página 10
Página 0011:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 11 Vozes do PSD: — Muito bem! O Sr. Duarte Pac
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 21 12 O Sr. Cristóvão Crespo (PSD): — Muito bem!
Pág.Página 12
Página 0013:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 13 Este Orçamento do cenário macroeconómico é um Orçamento d
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 21 14 Propomos que se vá buscar àqueles que não têm
Pág.Página 14
Página 0015:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 15 Só há uma solução para este Orçamento: rasgá-lo e substit
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 21 16 Este é, portanto, um Orçamento que se insere n
Pág.Página 16
Página 0017:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 17 Mais, Sr.ª Presidente: há um ano, o Partido Socialista de
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 21 18 Os senhores apresentam um Orçamento que é uma
Pág.Página 18
Página 0019:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 19 A Resolução do Conselho de Ministros n.º 101-A/201
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 21 20 A primeira nota é para dizer que ficou claro q
Pág.Página 20
Página 0021:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 21 O Sr. Duarte Pacheco (PSD): — Sr.ª Presidente, Sr.as <
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 21 22 Assim, Os Verdes propõem neste artigo as trans
Pág.Página 22
Página 0023:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 23 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 21 24 melhorar este Orçamento e não a funcionar como
Pág.Página 24
Página 0025:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 25 É fundamental prosseguir este caminho para tornar sustent
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 21 26 O Sr. Honório Novo (PCP): — … que até a venera
Pág.Página 26
Página 0027:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 27 Administração Pública. E é também, por esta via, um ataqu
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 21 28 A Sr.ª Isabel Santos (PS): — Sr.ª Presi
Pág.Página 28
Página 0029:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 29 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Secretário de Es
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 21 30 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 30
Página 0031:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 31 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Quem falou de crime foi
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 21 32 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 32
Página 0033:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 33 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, como referi h
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 21 34 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr.ª P
Pág.Página 34
Página 0035:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 35 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Rui Jor
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 21 36 O Sr. Honório Novo (PCP): — É um escând
Pág.Página 36
Página 0037:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 37 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 21 38 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Sr.ª Presidente, Srs
Pág.Página 38
Página 0039:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 39 O Sr. Honório Novo (PCP): — Despede!
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 21 40 Administração Pública — aliás, até obrigam à r
Pág.Página 40
Página 0041:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 41 Quanto ao artigo 61.º — Redução de trabalhadores no setor
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 21 42 entende que também a administração local não p
Pág.Página 42
Página 0043:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 43 Então, o Sr. Secretário de Estado acha que se refo
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 21 44 Portanto, a pergunta que se impõe, Sr.as
Pág.Página 44
Página 0045:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 45 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, vamos passar
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 21 46 introduzir equidade na distribuição dos sacrif
Pág.Página 46
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 21 48 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): —
Pág.Página 48
Página 0049:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 49 A Sr.ª Presidente: — Antes de dar a palavra ao Sr. Deputa
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 21 50 aposentação vejam essa mesma aposentação aprov
Pág.Página 50
Página 0051:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 51 A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Quanto é que vai poupar?
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 21 52 público», quer na busca e salvamento, quer no
Pág.Página 52
Página 0053:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 53 sido o Sr. Deputado com todos os dentes que tem e, como é
Pág.Página 53