O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

23 DE NOVEMBRO DE 2012

49

A Sr.ª Presidente: — Antes de dar a palavra ao Sr. Deputado João Pinho de Almeida para dar explicações,

tenho de pedir desculpa, expressamente, ao Grupo Parlamentar do CDS-PP, pois esqueci-me de que, no

início do debate, um Sr. Deputado do CDS-PP pediu a palavra para defender a honra e esse pedido foi

remetido para o fim do debate, mas, pelo stress deste debate, para o que todos, infelizmente, temos

contribuído, agora, acabei por dar a palavra a um outro Sr. Deputado, que também a pediu para defender a

honra.

Por isso, peço que contribuam menos um bocadinho para o meu próprio stress.

Tem a palavra, Sr. Deputado João Pinho de Almeida.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr.ª Presidente, naturalmente, está aceite o seu pedido de

desculpas e percebemos perfeitamente o que se passou.

Quero dizer ao Sr. Deputado Jacinto Serrão que, obviamente, não se tratou de uma questão de honra. O

que o Sr. Deputado tem de compreender é que a hierarquia entre a Constituição e o estatuto é, de facto, uma

hierarquia e, se a Constituição determina que é em sede de estatuto político-administrativo que se definem as

regras para os titulares de cargos políticos na Região Autónoma da Madeira, exatamente pelas suas palavras

e por aquilo que o Sr. Deputado defendeu, a Constituição prevalece sobre o estatuto e, portanto, esta

alteração só pode ser feita em sede de estatuto.

É uma questão jurídica, porque a questão política permanece: o Sr. Deputado diz aqui, com muita força,

algumas coisas que não diz, com a mesma força, na Madeira.

Aplausos do CDS-PP.

A Sr.ª Presidente: — Vamos prosseguir, Srs. Deputados.

Relativamente ao artigo 78.º — Alteração à Lei n.º 60/2005, de 29 de dezembro, que estabelece

mecanismos de convergência do regime de proteção social da função pública com o regime geral da

segurança social no que respeita às condições de aposentação e cálculo das pensões, a Mesa não regista

pedidos de palavra, pelo que passamos ao artigo 79.º — Aposentação, no âmbito do qual está já inscrito o Sr.

Deputado Michael Seufert, do CDS-PP.

Tem a palavra, Sr. Deputado.

O Sr. Michael Seufert (CDS-PP): — Sr.ª Presidente, Srs. Deputados, muito rapidamente, quero apenas

dizer que a proposta de alteração, apresentada pela maioria, retira da abrangência do n.º 2 do artigo 79.º os

docentes afetados pelo Decreto-Lei n.º 77/2009. Estamos a falar de uma mão cheia de pessoas que tinham

um regime próprio, porque foram ultrapassadas na carreira pelos professores regressados do Ultramar em

1974/75, e que, assim, se mantêm em regime de igualdade com os restantes.

O Sr. Honório Novo (PCP): — O que é o Ultramar?!

A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra a Sr.ª Deputada Sónia Fertuzinhos.

A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Sr.ª Presidente, Sr.as

e Srs. Membros do Governo, Sr.as

e Srs.

Deputados, este Orçamento é mau, porque põe os trabalhadores e os reformados a pagar, mais uma vez, o

esforço de consolidação orçamental, que, em 2013, será maior do que em 2012, porque o Governo falhou em

toda a linha em 2012 com esta mesmíssima receita.

Mas, se é errado e inaceitável o aumento dos sacrifícios pedidos aos trabalhadores e aos reformados para

continuarem a pagar uma estratégia de consolidação orçamental, que, até agora, falhou, e que vai continuar a

falhar, é ainda mais errada e mais inaceitável a forma como o Governo acrescenta, de modo completamente

leviano e gratuito, instabilidade e insegurança à vida das pessoas.

Pergunto, Sr.as

e Srs. Deputados da maioria, o que justifica que este Governo e esta maioria eliminem o

tempo de transição para a convergência da idade de reforma do setor público com o setor privado. O que

justifica, Sr.as

e Srs. Deputados da maioria, que este Governo atropele as regras mais básicas da segurança e

da confiança jurídicas que são devidas às pessoas, ao querer que as pessoas que venham a requerer a

Páginas Relacionadas
Página 0002:
I SÉRIE — NÚMERO 21 2 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, Srs. Membr
Pág.Página 2
Página 0003:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 3 A Sr.ª Presidente: — Sr. Deputado Duarte Pacheco, pode ind
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 21 4 O que é que eu quero dizer com esta pergunta? S
Pág.Página 4
Página 0005:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 5 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Luís Faz
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 21 6 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr.
Pág.Página 6
Página 0007:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 7 Sr.ª Presidente, terminando, ninguém compreende que, nesta
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 21 8 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, a M
Pág.Página 8
Página 0009:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 9 Para além do mais, Sr.ª Presidente, é absolutamente inacei
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 21 10 quer fazer, impondo o seu número mas não a raz
Pág.Página 10
Página 0011:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 11 Vozes do PSD: — Muito bem! O Sr. Duarte Pac
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 21 12 O Sr. Cristóvão Crespo (PSD): — Muito bem!
Pág.Página 12
Página 0013:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 13 Este Orçamento do cenário macroeconómico é um Orçamento d
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 21 14 Propomos que se vá buscar àqueles que não têm
Pág.Página 14
Página 0015:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 15 Só há uma solução para este Orçamento: rasgá-lo e substit
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 21 16 Este é, portanto, um Orçamento que se insere n
Pág.Página 16
Página 0017:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 17 Mais, Sr.ª Presidente: há um ano, o Partido Socialista de
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 21 18 Os senhores apresentam um Orçamento que é uma
Pág.Página 18
Página 0019:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 19 A Resolução do Conselho de Ministros n.º 101-A/201
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 21 20 A primeira nota é para dizer que ficou claro q
Pág.Página 20
Página 0021:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 21 O Sr. Duarte Pacheco (PSD): — Sr.ª Presidente, Sr.as <
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 21 22 Assim, Os Verdes propõem neste artigo as trans
Pág.Página 22
Página 0023:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 23 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 21 24 melhorar este Orçamento e não a funcionar como
Pág.Página 24
Página 0025:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 25 É fundamental prosseguir este caminho para tornar sustent
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 21 26 O Sr. Honório Novo (PCP): — … que até a venera
Pág.Página 26
Página 0027:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 27 Administração Pública. E é também, por esta via, um ataqu
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 21 28 A Sr.ª Isabel Santos (PS): — Sr.ª Presi
Pág.Página 28
Página 0029:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 29 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Secretário de Es
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 21 30 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 30
Página 0031:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 31 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Quem falou de crime foi
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 21 32 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 32
Página 0033:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 33 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, como referi h
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 21 34 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr.ª P
Pág.Página 34
Página 0035:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 35 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Rui Jor
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 21 36 O Sr. Honório Novo (PCP): — É um escând
Pág.Página 36
Página 0037:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 37 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 21 38 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Sr.ª Presidente, Srs
Pág.Página 38
Página 0039:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 39 O Sr. Honório Novo (PCP): — Despede!
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 21 40 Administração Pública — aliás, até obrigam à r
Pág.Página 40
Página 0041:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 41 Quanto ao artigo 61.º — Redução de trabalhadores no setor
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 21 42 entende que também a administração local não p
Pág.Página 42
Página 0043:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 43 Então, o Sr. Secretário de Estado acha que se refo
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 21 44 Portanto, a pergunta que se impõe, Sr.as
Pág.Página 44
Página 0045:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 45 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, vamos passar
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 21 46 introduzir equidade na distribuição dos sacrif
Pág.Página 46
Página 0047:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 47 que estamos a falar de princípios constitucionais que est
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 21 48 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): —
Pág.Página 48
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 21 50 aposentação vejam essa mesma aposentação aprov
Pág.Página 50
Página 0051:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 51 A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Quanto é que vai poupar?
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 21 52 público», quer na busca e salvamento, quer no
Pág.Página 52
Página 0053:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 53 sido o Sr. Deputado com todos os dentes que tem e, como é
Pág.Página 53