O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 21

52

público», quer na busca e salvamento, quer no apoio à luta contra os fogos, e outro tipo de missões

absolutamente extraordinárias que os nossos militares fazem.

Esta é uma forma de demonstrar todo o apreço e reconhecimento que o Governo e os partidos da maioria

têm por esse trabalho.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional.

O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional (Paulo Braga Lino): — Sr.ª Presidente, Sr.as

e

Srs. Deputados, intervenho para dar nota de que, na senda daquilo que foi a preparação do Orçamento para

2012, quisemos também em 2013 manter uma clara equidade de tratamento e o respeito por aqueles que

servem o País, designadamente os deficientes das Forças Armadas, e por todos aqueles que ainda prestam

serviço ativo, respeitando a sua condição militar.

Registo o que o Sr. Deputado João Rebelo disse há pouco, quando referiu que já em 2012 tínhamos

aprovado a não redução das pensões de caráter indemnizatório dos deficientes das Forças Armadas, o que,

do nosso ponto de vista, foi um passo muito relevante. Em 2013, essa questão volta a colocar-se, à

semelhança, de resto, do que já foi falado em relação à contribuição extraordinária de solidariedade.

Queria ainda deixar aqui uma nota relativamente às propostas de alteração que os Grupos Parlamentares

do PSD e do CDS introduziram nos artigos 75.º, 79.º e 82.º, pelas quais nos congratulamos, e dizer que,

independentemente da alteração em si mesma, são acima de tudo, em alguns casos, propostas de clarificação

que visam garantir os direitos dos militares, não só dos que estão no ativo, mas, sobretudo, dos deficientes

das Forças Armadas.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

A Sr.ª Presidente: — Não há mais inscrições para intervir sobre o artigo 82.º.

Queria dizer aos Srs. Deputados e aos Srs. Membros do Governo que já há acordo para que os nossos

trabalhos terminem agora.

Antes disso, darei a palavra ao Sr. Deputado Artur Rêgo para defesa da honra.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Contra quem?!

A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra, Sr. Deputado Artur Rêgo.

O Sr. Artur Rêgo (CDS-PP): — Sr.ª Presidente, Sr. Deputado Jorge Machado, relativamente à sua

intervenção, digo-lhe com a maior das tranquilidades que a Lei n.º 75/98 definia no artigo 2.º, n.º 1, o seguinte:

«As prestações atribuídas nos termos da presente lei são fixadas pelo tribunal e não podem exceder,

mensalmente, por cada devedor, o montante de 4 UC.». Para quem não sabe, quatro unidades de conta

representam 408 €.

A alteração agora proposta, isto é, o artigo 3.º, n.º 5, do Decreto-Lei n.º 164/99, passa a dizer o seguinte:

«As prestações a que se refere o n.º 1 são fixadas pelo tribunal e não podem exceder, mensalmente, por cada

devedor, o montante de 1 IAS (…)». Ou seja, um indexante de apoios sociais corresponde a 419,22 €.

Conclusão: Meus Senhores, aquilo que eu disse está perfeitamente confirmado. O Governo, com esta

alteração, aumentou o valor das prestações de alimentos a fixar pelo tribunal de 408 € para 419,22 €.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — A questão não é essa!

O Sr. Artur Rêgo (CDS-PP): — Foi isto que eu disse e é isto que reafirmo.

Se quiser, posso mandar distribuir a proposta ao Sr. Deputado. Mas retribuo-lhe o cumprimento que me fez

dizendo-lhe o seguinte: isto está escrito, foi o que eu disse e é verdade. Se alguém aqui mentiu, então, terá

Páginas Relacionadas
Página 0002:
I SÉRIE — NÚMERO 21 2 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, Srs. Membr
Pág.Página 2
Página 0003:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 3 A Sr.ª Presidente: — Sr. Deputado Duarte Pacheco, pode ind
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 21 4 O que é que eu quero dizer com esta pergunta? S
Pág.Página 4
Página 0005:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 5 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Luís Faz
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 21 6 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr.
Pág.Página 6
Página 0007:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 7 Sr.ª Presidente, terminando, ninguém compreende que, nesta
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 21 8 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, a M
Pág.Página 8
Página 0009:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 9 Para além do mais, Sr.ª Presidente, é absolutamente inacei
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 21 10 quer fazer, impondo o seu número mas não a raz
Pág.Página 10
Página 0011:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 11 Vozes do PSD: — Muito bem! O Sr. Duarte Pac
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 21 12 O Sr. Cristóvão Crespo (PSD): — Muito bem!
Pág.Página 12
Página 0013:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 13 Este Orçamento do cenário macroeconómico é um Orçamento d
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 21 14 Propomos que se vá buscar àqueles que não têm
Pág.Página 14
Página 0015:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 15 Só há uma solução para este Orçamento: rasgá-lo e substit
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 21 16 Este é, portanto, um Orçamento que se insere n
Pág.Página 16
Página 0017:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 17 Mais, Sr.ª Presidente: há um ano, o Partido Socialista de
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 21 18 Os senhores apresentam um Orçamento que é uma
Pág.Página 18
Página 0019:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 19 A Resolução do Conselho de Ministros n.º 101-A/201
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 21 20 A primeira nota é para dizer que ficou claro q
Pág.Página 20
Página 0021:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 21 O Sr. Duarte Pacheco (PSD): — Sr.ª Presidente, Sr.as <
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 21 22 Assim, Os Verdes propõem neste artigo as trans
Pág.Página 22
Página 0023:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 23 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 21 24 melhorar este Orçamento e não a funcionar como
Pág.Página 24
Página 0025:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 25 É fundamental prosseguir este caminho para tornar sustent
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 21 26 O Sr. Honório Novo (PCP): — … que até a venera
Pág.Página 26
Página 0027:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 27 Administração Pública. E é também, por esta via, um ataqu
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 21 28 A Sr.ª Isabel Santos (PS): — Sr.ª Presi
Pág.Página 28
Página 0029:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 29 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Secretário de Es
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 21 30 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 30
Página 0031:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 31 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Quem falou de crime foi
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 21 32 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr.ª Presiden
Pág.Página 32
Página 0033:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 33 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, como referi h
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 21 34 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr.ª P
Pág.Página 34
Página 0035:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 35 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Rui Jor
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 21 36 O Sr. Honório Novo (PCP): — É um escând
Pág.Página 36
Página 0037:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 37 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 21 38 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Sr.ª Presidente, Srs
Pág.Página 38
Página 0039:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 39 O Sr. Honório Novo (PCP): — Despede!
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 21 40 Administração Pública — aliás, até obrigam à r
Pág.Página 40
Página 0041:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 41 Quanto ao artigo 61.º — Redução de trabalhadores no setor
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 21 42 entende que também a administração local não p
Pág.Página 42
Página 0043:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 43 Então, o Sr. Secretário de Estado acha que se refo
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 21 44 Portanto, a pergunta que se impõe, Sr.as
Pág.Página 44
Página 0045:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 45 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, vamos passar
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 21 46 introduzir equidade na distribuição dos sacrif
Pág.Página 46
Página 0047:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 47 que estamos a falar de princípios constitucionais que est
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 21 48 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): —
Pág.Página 48
Página 0049:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 49 A Sr.ª Presidente: — Antes de dar a palavra ao Sr. Deputa
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 21 50 aposentação vejam essa mesma aposentação aprov
Pág.Página 50
Página 0051:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 51 A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Quanto é que vai poupar?
Pág.Página 51
Página 0053:
23 DE NOVEMBRO DE 2012 53 sido o Sr. Deputado com todos os dentes que tem e, como é
Pág.Página 53