O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 22

34

permitindo assim a sustentabilidade de muitas empresas em todo o País. E aqui temos de saudar este

Governo, que, através de um diálogo permanente que se traduziu na assinatura, já este ano, de um

memorando com Associação Nacional de Municípios Portugueses, tem sabido honrar a palavra dada, ao

contrário do que acontecia anteriormente.

De referir ainda que o Governo veio a consignar neste Orçamento do Estado que o produto do aumento

das receitas de IMI provenientes do processo de avaliação geral dos prédios urbanos seja alocado à

consolidação orçamental dos municípios, ao contrário do inicialmente previsto no Memorando assinado pelo

Governo do PS, em que esta verba se destinava à consolidação orçamental do Estado.

De referir ainda que, de acordo com o artigo 95.º, não são reduzidos os limites ao endividamento líquido,

continuando a poder ser excecionados empréstimos para determinado tipo de obras, às quais se junta agora

uma proposta do PSD e do CDS que permite ainda, em alguns casos, ultrapassar os limites de endividamento.

Termino, Sr.ª Presidente, dizendo que, apesar da imposição de algumas regras fundamentais para a

consolidação orçamental, este Governo tem cumprido os seus compromissos com as autarquias, mostrando

assim uma visão estratégica e uma vontade de mudança, e tem reconhecido e reconhece com este

Orçamento o papel importantíssimo que o poder local tem e terá na modernização e no desenvolvimento do

País.

Aplausos do PSD.

A Sr.ª Presidente: — Prosseguimos com a proposta de artigo 93.º-A, com os artigos 94.º e 95.º, com a

proposta de artigo 95.º-A e com os artigos 96.º. 97.º, 98.º e 99.º.

Passamos ao Capítulo V — Segurança social, e entramos nos artigos 100.º — Saldo de gerência do

Instituto do Emprego e da Formação Profissional, IP, e 101.º — Mobilização de ativos e recuperação de

créditos da segurança social, em relação aos quais não há inscrições. Seguem-se os artigos 102.º, 103.º,

104.º, 105.º, 106.º, as propostas de artigos 106.º-A, 106.º-B, 106.º-C e 106.º-D, os artigos 107.º, 108.º, 109.º,

110.º e as propostas de artigos 110.º-A, 110.º-B, 110.º-C, 110.º-D, 110.º-E e 110.º-F.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Peço a palavra, Sr.ª Presidente.

A Sr.ª Presidente: — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr.ª Presidente, o Sr. Deputado Jorge Machado pretende intervir julgo

que relativamente à proposta de artigo 110.º-E.

A Sr.ª Presidente: — Então, relativamente ao artigo 110.º — Suspensão do regime de atualização do valor

do indexante dos apoios sociais, das pensões e outras prestações sociais, tem a palavra o Sr. Deputado Jorge

Machado.

O Sr. Jorge Machado (PCP): — Sr.ª Presidente, Srs. Membros do Governo, Sr.as

e Srs. Deputados: A

minha intervenção diz respeito à nossa proposta de artigo 110.º-E, que concerne à aplicação das regras do

subsídio de desemprego e é uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado.

Numa altura em que temos, por culpa deste Governo PSD/CDS-PP, um desemprego que não para de

aumentar, numa altura em que temos mais de 1,2 milhões de trabalhadores desempregados e apenas 300

000 recebem subsídio de desemprego, o PCP considera inaceitáveis as sucessivas alterações, para pior, das

regras de atribuição do subsídio de desemprego.

O PCP considera ainda inaceitável a proposta correlacionada com esta e contida no artigo 113.º da

proposta de lei, em que se corta 5% no subsídio de doença e 6% no subsídio de desemprego. Cortar

prestações sociais a quem já vive com grandes dificuldades é inaceitável e é uma insensibilidade social cortá-

las a quem está doente ou desempregado.

Nessa medida, o PCP propõe não só a eliminação do corte no subsídio de doença e no subsídio de

desemprego, mas também faz uma proposta muito concreta de melhoria do regime de atribuição do subsídio

de desemprego que aqui discutimos.

Páginas Relacionadas
Página 0003:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 3 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, Srs. Membros do Gover
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 22 4 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — É um ad
Pág.Página 4
Página 0005:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 5 A Sr.ª Presidente: — O Sr. Deputado tem razão. No entanto,
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 22 6 A Sr.ª Mariana Aiveca (BE): — Por isso,
Pág.Página 6
Página 0007:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 7 do trabalho sem pedir autorização ou consentimento e sem q
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 22 8 Por isso, vimos de novo trazer aqui esta discus
Pág.Página 8
Página 0009:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 9 13.º mês! E depois ainda se diz que se está a dar cumprime
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 22 10 Não temos o comportamento que teve o Pa
Pág.Página 10
Página 0011:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 11 Aplausos do PSD. A Sr.ª Presidente:
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 22 12 pensões de 7000, de 8000 e de 9000 €, as grand
Pág.Página 12
Página 0013:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 13 Protestos do CDS-PP. … mas que, nest
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 22 14 O Sr. Pedro Jesus Marques (PS): — Sr.ª Preside
Pág.Página 14
Página 0015:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 15 O Sr. Secretário de Estado da Solidariedade e da Seguranç
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 22 16 É revogada a Lei n.º 54/2011, de 19 de outubro
Pág.Página 16
Página 0017:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 17 1 — O pagamento de trabalho extraordinário prestado em di
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 22 18 A Sr.ª Presidente: — Tem razão, Sr. Dep
Pág.Página 18
Página 0019:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 19 fixando, caso a caso, as condições e termos a observar pa
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 22 20 Submetida à votação, foi rejeitada, com votos
Pág.Página 20
Página 0021:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 21 Fica prejudicada a votação das propostas 29-C, do BE, e a
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 22 22 O Sr. Honório Novo (PCP): — Sr.ª Presidente, a
Pág.Página 22
Página 0023:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 23 pensionistas abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 127/2011, de
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 22 24 Vamos, então, votar a proposta 526-C, apresent
Pág.Página 24
Página 0025:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 25 Submetida à votação, foi rejeitada, com votos contra do P
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 22 26 O Sr. Honório Novo (PCP): — Sr.ª Presidente, s
Pág.Página 26
Página 0027:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 27 1 — Todas as entidades, independentemente da respe
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 22 28 O Sr. Honório Novo (PCP): — Sr.ª Presidente, p
Pág.Página 28
Página 0029:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 29 A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Bernard
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 22 30 A Sr.ª Secretária (Maria Paula Cardoso)
Pág.Página 30
Página 0031:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 31 Tenha calma, Sr. Deputado, eu já dei o meu contributo nas
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 22 32 Quadro de Referência Estratégico Nacional (QRE
Pág.Página 32
Página 0033:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 33 Naturalmente, são matérias que, estando a ser analisadas,
Pág.Página 33
Página 0035:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 35 Aplausos do PCP. A Sr.ª Presidente:
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 22 36 Aplausos do PSD e do CDS-PP.
Pág.Página 36
Página 0037:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 37 Tem a palavra o Sr. Deputado Artur Rêgo. O
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 22 38 É com medidas como esta que o Governo mostra a
Pág.Página 38
Página 0039:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 39 mínimas é aumentar as pensões? Não! Não aumentam absoluta
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 22 40 Sr. Secretário de Estado, o seu Governo coloca
Pág.Página 40
Página 0041:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 41 iniciativas da máxima importância sob o ponto de vista so
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 22 42 Tem a palavra o Sr. Deputado Bruno Dias. <
Pág.Página 42
Página 0043:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 43 existem e sendo feito investimento na própria empresa, se
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 22 44 O Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Defesa
Pág.Página 44
Página 0045:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 45 Aplausos do PSD e do CDS-PP. A Sr.ª
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 22 46 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): —
Pág.Página 46
Página 0047:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 47 Aplausos do PSD e do CDS-PP. Protest
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 22 48 Bruno Dias, esclarecendo que as empresas priva
Pág.Página 48
Página 0049:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 49 Aplausos do PS. …a lei da República, queren
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 22 50 O Sr. Nuno Reis (PSD): — De resto, o PC
Pág.Página 50
Página 0051:
24 DE NOVEMBRO DE 2012 51 A Sr.ª Secretária de Estado do Tesouro: — A questão da re
Pág.Página 51