O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1 DE FEVEREIRO DE 2013

59

Vozes do CDS-PP: — Ora bem!

O Sr. Abel Baptista (CDS-PP): — Essa, seguramente, não é a nossa agricultura!

O Sr. Presidente (Ferro Rodrigues): — Agradeço que termine, Sr. Deputado.

O Sr. Abel Baptista (CDS-PP): — Não é por aí que queremos ir, não é por esse lado que iremos! E

também não é, seguramente, com qualquer tipo de saudosismo relativamente a programas do Estado Novo.

Não «atirem essa pedra», porque essa «pedra» também não é, da parte do CDS, aquilo que nos interessa.

Queremos o futuro, não queremos o passado; olhamos a agricultura como o futuro de Portugal e não como

algo do passado.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

O Sr. Presidente (Ferro Rodrigues): — Para intervir nos 17 segundos que restam ao PSD, tem a palavra o

Sr. Deputado Hélder Sousa Silva.

O Sr. Hélder Sousa Silva (PSD): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: Constatamos, hoje, que a

oposição virou as costas à agricultura e ao mar não em nome de princípios nem do interesse nacional, não em

nome do interesse dos agricultores e dos pescadores mas, sim, para reavivar, como já foi dito também pelo

Deputado Abel Baptista, «velhos fantasmas» com a RTP, ignorando o sentimento do sector. Estou certo que

os agricultores e pescadores irão registar a vossa posição, Srs. Deputados!

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

O Sr. Presidente (Ferro Rodrigues): — Tem a palavra, para intervir, o Sr. Deputado João Ramos.

O Sr. João Ramos (PCP): — Sr. Presidente, Srs. Deputados: Os senhores, enquanto cidadãos, podem

contatar o Provedor da RTP e sugerir-lhe os programas que bem entendam. Mas um órgão de soberania não

deve fazer essa recomendação à RTP, deve preocupar-se, sim, com a estruturação do Ministério da

Agricultura, com a criação de condições no Ministério da Agricultura para que, junto dos agricultores, promova

aquilo que os senhores já começaram aqui a propagandear. Ou seja, criar condições no Ministério para que

este possa apoiar os agricultores, apoios que, infelizmente, eles não têm.

Aplausos do PCP.

O Sr. Presidente (Ferro Rodrigues): — Srs. Deputados, entramos no quarto ponto da ordem do dia, de que

consta a apreciação conjunta da petição n.º 121/XII (1.ª) — Apresentada pela Comissão de Utentes do Centro

de Saúde de Vizela, solicitando à Assembleia da República o prolongamento do horário de funcionamento do

Centro de Saúde, durante a semana e a sua reabertura aos sábados, domingos e feriados, e do projeto de

resolução n.º 593/XII (2.ª) — Recomenda ao Governo o prolongamento do horário de atendimento nas USF

Physis e Novos Rumos, em Vizela (BE).

Aproveito para saudar todos os que assinaram a petição e, em especial, aqueles que aqui se deslocaram.

Tem a palavra, para uma intervenção, a Sr.ª Deputada Helena Pinto, do Bloco de Esquerda.

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: As minhas primeiras palavras, em

nome do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, são dirigidas aos milhares de cidadãos e cidadãs de

Vizela que deram corpo a esta petição e dirigiram uma reivindicação muito justa a este Parlamento. Quero

dizer-vos que compreendemos a situação que nos relatam e, mais, consideramos que têm absoluta razão.

Páginas Relacionadas
Página 0060:
I SÉRIE — NÚMERO 48 60 As unidades de saúde familiar, quando foram co
Pág.Página 60
Página 0061:
1 DE FEVEREIRO DE 2013 61 Ora, ocorre que a população de Vizela era servida por um
Pág.Página 61
Página 0062:
I SÉRIE — NÚMERO 48 62 trabalho para irem ao médico; só quem não sabe
Pág.Página 62
Página 0063:
1 DE FEVEREIRO DE 2013 63 Dito isto, importa esclarecer desde já que, em primeiro l
Pág.Página 63