O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

3 DE MAIO DE 2013

29

Repare-se na estratégia seguida, e pelos vistos reconhecida por todos como bem seguida, na diplomacia

económica — o Partido Comunista fala nisso. Pela primeira vez, o País percebeu que era fundamental pôr

toda a sua rede externa, toda a sua rede de embaixadas a trabalhar sobre um único objetivo: o de promover o

País, promover os produtos portugueses e acompanhar as empresas.

O Governo e o Sr. Ministro da Economia apresentaram aqui um plano ambicioso, um memorando para o

crescimento.

Protestos do PCP e do BE.

Os Srs. Deputados podem ter críticas a fazer, podem ter visões diferentes, mas onde estão as propostas

para ajudar?

É ou não verdade que uma carta de missão para a Caixa Geral de Depósitos faz sentido? É ou não

verdade que faz sentido criar uma instituição de apoio à exportação e de apoio às empresas portuguesas? Faz

ou não sentido reduzir a taxa portuária em 50%?

Há um conjunto de medidas relativamente às quais sabemos que se forem feitas alterações com atenção

as pessoas compreendem que fazem sentido.

Estava a ouvir as intervenções que foram proferidas neste debate e a consultar o site do Instituto Nacional

de Estatística e verifiquei que quer o indicador do clima económico quer o indicador da confiança das famílias

na economia portuguesa aumentaram. Foi um aumento ténue, é certo, mas aumentou entre janeiro e abril.

Estamos perante duas realidades diferentes: enquanto a oposição chama pelo lado pior da crise, as famílias,

as empresas portuguesas agarram-se ao lado melhor da crise.

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Mas os senhores vão ficar sozinhos nesse combate, porque o que

queremos é que o povo português, as empresas e as famílias portuguesas percebam que estamos a dar o

melhor que temos, o melhor de nós, para conseguir resolver os problemas do País.

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Sei que, nessa batalha, precisamos de compromisso. Por isso, é uma

pena que o Partido Socialista — algumas propostas suas, tal como o memorando do Governo, merecem ser

ouvidas com atenção, bem como o Partido Comunista também tem algumas propostas que merecem ser

ouvidas — tenha vindo fazer um discurso perfeitamente inócuo, vazio, sem dar qualquer oportunidade ao

compromisso, sem apresentar uma solução para os problemas reais do País, tendo apenas apresentado um

conjunto de intenções e boas vontades.

Esperava-se mais. Esperava-se, no mínimo, que fosse coerente. Vão votar contra, mas não era de esperar

outra atitude.

Do lado do Partido Comunista Português, ficou também, mais uma vez, demonstrado que quanto pior

melhor.

Protestos do PCP.

Poderia referir o exemplo da Câmara de Setúbal, que pede aos seus credores que vão à Caixa Agrícola

contrair empréstimos para pagar a dívida, que depois será suportada pela Câmara.

Protestos do PCP.

É um modelo engenhoso. É um modelo capitalista à maneira do Partido Comunista Português.

Protestos do PCP.

Páginas Relacionadas
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 84 36 O Sr. Bruno Dias (PCP): — Que falsidade
Pág.Página 36