O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

11 DE ABRIL DE 2015 37

O Sr. Bruno Inácio (PSD): — … mas, depois, não teve repercussão legislativa.

O PS está em fase intensa de cultivo: semeia promessas para colher vitórias, mas a verdade é que esse…

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Sr. Deputado, terminou o tempo de que dispunha. Queira concluir.

O Sr. Bruno Inácio (PSD): — Vou já terminar, Sr.ª Presidente.

Como estava a dizer, o PS está em fase intensa de cultivo: semeia promessas para colher vitórias, mas

esse intenso cultivo apenas lhe irá dar derrota no próximo ato eleitoral.

Termino, dizendo o seguinte: o dinheiro dos contribuintes é dos contribuintes, não é do Estado, e deve ser

redistribuído por aqueles que mais precisam. É isso que estamos a fazer com esta política!

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Ainda para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado Michael

Seufert.

O Sr. Michael Seufert (CDS-PP): — Sr.ª Presidente, Srs. Deputados: Em relação à questão que está hoje

a ser discutida, nomeadamente a criação de passes para jovens, julgo que há dois tipos de abordagens que se

podem fazer: uma, é a de encarar a política social como uma política que deve apoiar quem necessita, porque

não cumpre determinados critérios ao nível do agregado familiar, da capitação, da autonomia económica;

outra, é a de dizer que tal não interessa, a idade é um posto ou ainda não é um posto e toda a gente,

independentemente da sua condição social, merece ter acesso a uma política que, é preciso dizê-lo, custa

dinheiro a todos os contribuintes.

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — É dos impostos!

O Sr. Michael Seufert (CDS-PP): — Fazer-de-conta que a criação de um passe deste tipo não custa

dinheiro aos contribuintes, é… Bom, não é original, e o Sr. Deputado Bruno Inácio recordou-o, porque foi

assim que o Partido Socialista legislou, ou seja, já estava este Governo em pleno mandato, em dezembro de

2011, quando teve de pagar às empresas de transportes, por via do que o Partido Socialista prometeu, mas

não pagou, os passes sociais, um valor total de 52 milhões de euros. O Sr. Deputado Bruno Inácio referiu 25

milhões, mas esse é o valor de um de dois passes. Mas são dois: é o passe sub 23 e é o passe 4_18. São 52

milhões de euros!

Pausa.

O Sr. Deputado Rui Pedro Duarte ri-se, mas devia explicar esse riso aos jovens de hoje que estão a pagar

a dívida que os senhores deixaram!

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

Os passes que os senhores deram estamos nós a pagá-los, Sr. Deputado. Não se ria que isto é muito

sério. Esta é a forma de o Partido Socialista fazer política. O Partido Socialista faz política, hoje, para os votos

de hoje, para que venham uns, a seguir, pagar. Isso não é sério, Sr. Deputado! E o senhor não devia rir-se

com a irresponsabilidade orçamental do seu partido.

Srs. Deputados, vale a pena referir que o Passe Social +, que existe, abrangeu, no ano passado, um sem

número de famílias e de viagens e é devidamente orçamentado — sei que isto não é muito habitual, mas é

absolutamente verdade. Já agora, digamos também que, quanto à dívida do setor dos transportes, tem sido

feito um trabalho de recuperação notável que não põe em risco, no futuro, a sustentabilidade deste setor, mas

o que está a acontecer, que é o alargamento do serviço público de transportes a todo o território, permite que

Páginas Relacionadas
Página 0038:
38 I SÉRIE — NÚMERO 72 o Passe Social +, de hoje, seja uma realidade de um jovem co
Pág.Página 38
Página 0039:
11 DE ABRIL DE 2015 39 sobreviva, repito, sobreviva, num rendimento familiar com 50
Pág.Página 39