O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

40 I SÉRIE — NÚMERO 72

Unido e muitos outros países da União Europeia para onde estes jovens emigraram. Para todos os outros

jovens, o fim dos passes afetou, sim, a mobilidade.

E não nos atirem com os descontos: os descontos são para os miseráveis, são para as famílias que não

têm mais de 500 €/mês para sobreviver! Sim, deixam de fora muita gente pobre!

Só a insensibilidade social deste Governo é que não vê isso e acha que uma família com mais de 500 € é

rica o suficiente e por isso bem pode pagar passes de cento e tal euros por mês!

Vozes do BE: — Muito bem!

A Sr.ª MarianaMortágua (BE): — Esquece-se também que o transporte público não é para os mais

pobres, o transporte público é para todos! É um modo de vida, é uma aposta no futuro, na qualidade do País,

na qualidade ambiental, na mobilidade! E esquece-se que a redistribuição é feita nos impostos! É por isso que

uma pessoa que ganha mais paga mais impostos e uma pessoa que ganha menos paga menos impostos,

mas todos temos acesso aos mesmos direitos. Chama-se a isto, Sr. Deputado, igualdade! É a isto que se

chama igualdade: cada um dá de acordo com o tem; todos temos acesso aos mesmos serviços públicos. É

uma ideia bem diferente daquela que o PSD e o CDS têm.

Já agora, uma última nota, Sr. Deputado Michael Seufert: o que não é sério é vir aqui dizer que a dívida do

sistema de transportes se deve aos passes sociais e aos passes para jovens,…

O Sr. Michael Seufert (CDS-PP): —Grande parte dela, deve-se!

A Sr.ª MarianaMortágua (BE): — … quando todos sabemos que a dívida do sistema de transporte se

deve a anos, anos e anos de desorçamentação, inclusive por Governos PSD/CDS,…

Protestos do PSD e do CDS-PP.

… quando todos sabemos que a dívida dos transportes se deve a swaps especulativos, negociados e

pagos pela vossa Ministra das Finanças!

Por isso, não venham agora atirar as culpas para os passes que permitem a mobilidade e garantem

igualdade na sociedade.

Aplausos do BE.

A Sr.ª Presidente: — Segue-se a intervenção de Os Verdes. a

Sr. Deputada Heloísa Apolónia, tem a palavra.

as

A Sr.ª HeloísaApolónia (Os Verdes): — Sr. e Srs. Deputados, em particular, Sr. Deputado Bruno Inácio:

Parece que quis brincar com os argumentos de Os Verdes,…

O Sr. BrunoInácio (PSD): — Brincar?!

O Sr. Hugo Lopes Soares (PSD): — Vindo da Sr.ª Deputada…!

A Sr.ª HeloísaApolónia (Os Verdes): — … fazer uma chalaça, digamos assim, com os argumentos que

Os Verdes apresentam no seu projeto de lei, mas quero dizer-lhe que não acertou uma! Não acertou uma!

Mas, Sr. Deputado, normalmente, quando há falta de argumentos, não se acerta mesmo!

A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Exatamente!

A Sr.ª HeloísaApolónia (Os Verdes): — O Sr. Deputado vem dizer que o fim dos passes de estudante não

veio afetar a mobilidade dos estudantes e dos jovens. Eu não sei em que país é que vive ou se o senhor,

porventura, gosta de nebular a realidade para que não se veja, que não se encare.

Páginas Relacionadas
Página 0038:
38 I SÉRIE — NÚMERO 72 o Passe Social +, de hoje, seja uma realidade de um jovem co
Pág.Página 38
Página 0039:
11 DE ABRIL DE 2015 39 sobreviva, repito, sobreviva, num rendimento familiar com 50
Pág.Página 39