O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

23 DE MAIO DE 2015

31

rapidamente, porque é a prova concreta de que é mentira que não haja alternativas, é a prova concreta de que

é preciso defender a TAP, não a entregando ao privado, como quiseram fazer com a Swissair no Governo de

Guterres, como quiseram fazer com o Sr. Efromovich neste Governo.

É preciso dizer aqui que, aconteça o que acontecer, a verdade é que este processo já tem custos

gravíssimos para a TAP,…

O Sr. Nuno Serra (PSD): — Já! Milhões!

O Sr. Bruno Dias (PCP): — … quando se vê a instabilidade que provocaram à companhia, quando se vê a

devassa sobre a TAP e a informação crítica para a sua atividade e operação, que foi fornecida às concorrentes

mas foi recusada ao Parlamento. É caso para dizer, Srs. Deputados, que, para pior, já basta assim. Para pior,

já basta assim!

O que é preciso é parar com a privatização da TAP. E não queremos esta discussão de privatizar a

companhia desta ou daquela maneira; o que é preciso é travar a privatização e impedir que ela aconteça.

As duas coisas que este Governo tem de fazer são muito simples: cancelar a privatização e ir-se embora,

de uma vez por todas!

Aplausos do PCP.

O Sr. Presidente (Miranda Calha): — Srs. Deputados, terminámos o debate conjunto do projeto de

resolução n.º 1150/XII (4.ª), das petições n.os

454/XII (4.ª) e 460/XII (4.ª), do projeto de resolução n.º 1472/XII

(4.ª), do projeto de lei n.º 902/XII (4.ª), na generalidade, e do projeto de resolução n.º 1479/XII (4.ª).

Pergunto aos grupos parlamentares se haverá consenso no sentido de procedermos em seguida às

votações regimentais.

Pausa.

O Sr. Adão Silva (PSD): — Sr. Presidente, permite-me o uso da palavra?

O Sr. Presidente (Miranda Calha): — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Adão Silva (PSD): — Sr. Presidente, quero só assinalar que, da parte do PSD, não há qualquer

problema.

O Sr. Presidente (Miranda Calha): — Tem a palavra o Sr. Deputado João Paulo Correia.

O Sr. João Paulo Correia (PS): — Da parte do Grupo Parlamentar do PS, também não há qualquer

problema.

O Sr. Presidente (Miranda Calha): — Tem a palavra o Sr. Deputado João Oliveira.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Sr. Presidente, o que pretendia sinalizar à Mesa era que fizéssemos agora

as votações, mas que pudéssemos fazer também a votação do projeto relativo ao IRS.

O Sr. Presidente (Miranda Calha): — Então, vou anunciar o último ponto da nossa ordem do dia, que está

agendado sem tempos para debate e depois procederemos às votações.

Refiro-me ao projeto de lei n.º 957/XII (4.ª) — Altera o Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas

Singulares, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 442-A/88, de 30 de novembro, alargando o âmbito da dedução das

despesas de saúde (PSD e CDS-PP), ao qual não foi atribuído tempo para discussão e que será votado

posteriormente.

Neste momento, reassumiu a presidência a Presidente, Maria da Assunção Esteves.

Páginas Relacionadas
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 90 36 A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, va
Pág.Página 36