O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 31

26

A Sr.ª Luísa Salgueiro (PS): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: Vou ser muito breve, apesar de

estarmos a analisar, em 3 minutos, quatro projetos de lei, sete projetos de resolução e uma petição. Começo

por renovar os cumprimentos aos peticionantes de São João da Madeira, que são mais de 9000 e que aqui

tem muitos representantes.

Gostava de dizer, rapidamente, que a transferência dos hospitais do SNS para as Misericórdias teve

sempre, na opinião do PS, três condições: a necessidade de garantir que a redução dos 25% no corte da

despesa não afetasse os serviços prestados à comunidade, o envolvimento dos órgãos autárquicos locais e a

sua concordância e a salvaguarda dos interesses dos colaboradores.

O que se verificou, nestes casos, foi que isso não aconteceu. E mais fácil e rápido do que estar aqui a

discutir a estratégia é dizer o que o PS pensa, porque o Governo, mal tomou posse, logo, em 11 de janeiro,

decidiu esta questão, mantendo os hospitais de São João da Madeira e de Santo Tirso na esfera pública, no

SNS. Esta é a decisão que o Governo entende que acautela melhor o interesse das populações.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — É, é!

O Sr. António Carlos Monteiro (CDS-PP): — Quem os viu e quem os vê!

A Sr.ª Luísa Salgueiro (PS): — Portanto, acompanhamos os projetos de lei e de resolução apresentados

pelas bancadas da esquerda, mas a nossa decisão está tomada: o Governo do Partido Socialista defende a

manutenção destes dois equipamentos, de São João da Madeira e de Santo Tirso, na esfera pública, no SNS.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Atenção ao tempo de que dispõe, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Luísa Salgueiro (PS): — Serei breve, Sr. Presidente.

Gostaria de desafiar a Sr.ª Deputada Andreia Neto, que, sendo eleita pelo Porto, se diz defensora dos

interesses dos tirsenses, a dizer como é que, tendo a Assembleia e a Câmara Municipais de Santo Tirso e os

seus eleitores e munícipes manifestado a sua posição esmagadoramente contra esta transferência, é capaz

de ir a uma reunião com os responsáveis dizer que, afinal, os serviços do hospital estavam enfraquecidos e

que, agora, é preciso um novo investimento deste Governo para os reforçar.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Queira concluir, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Luísa Salgueiro (PS): — Não faz sentido e talvez por isso a Sr.ª Deputada não tenha ido ontem à

Comissão, mas, hoje, aqui, tem oportunidade de defender aqueles que diz defender, quando intervém em

público.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para uma intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Andreia Neto.

A Sr.ª Andreia Neto (PSD): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: No reconhecimento do inestimável

papel das Misericórdias na defesa da saúde pública e na preservação do bem-estar das populações, o anterior

Governo — um verdadeiro governo de coligação —…

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. João Oliveira (PCP): — Já apresentam projetos separados!

A Sr.ª Andreia Neto (PSD): — … estabeleceu uma melhor adequação das respostas de saúde às

populações, num assumido projeto de verdadeira estratégia de desenvolvimento da cooperação com o sector

social.