O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

13 DE OUTUBRO DE 2016

11

é aquilo que temos visto, que é a política de esconder a verdade e de «atirar areia para os olhos» dos

portugueses, fingindo que as coisas não são aquilo que são e que a realidade não é aquilo que eles veem todos

os dias.

É uma política em que aos cortes passam a chamar poupanças, às graves dificuldades nos serviços chamam

eficiência e, mais, às filas que todos os dias crescem nos transportes, nos hospitais ou nas escolas por abrir

chamam aposta no serviço público. Eu, Srs. Deputados, chamo-lhes falta de respeito por quem trabalha.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente: — Sr.ª Deputada, a pedido do seu Grupo Parlamentar, que a Sr.ª Deputada usou a mais

na sua intervenção desconta na intervenção seguinte.

Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado João Paulo Correia.

O Sr. João Paulo Correia (PS): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados, o CDS perdeu por completo o

bom senso: está há um ano fora do Governo e já se esqueceu de todas as maldades que fez aos portugueses.

Aplausos do PS.

O CDS fez parte de um Governo que moveu o maior ataque ao serviço público de transportes desde o 25 de

Abril. Durante quatro anos, emagreceram os transportes urbanos do Porto e emagreceram os transportes

urbanos de Lisboa; durante quatro anos, desinvestiram nas empresas públicas de transportes.

Recordo-lhe, Sr.ª Deputada Cecília Meireles, que durante quatro anos, de 2011 a 2015, a Carris ficou com

menos 700 trabalhadores, a Metro de Lisboa ficou com menos 300 trabalhadores, a Transtejo e a Soflusa ficaram

com menos 80 trabalhadores. Só nos transportes urbanos de Lisboa estas empresas ficaram com menos de

1080 trabalhadores.

De 2011 a 2015, o anterior Governo, do qual fez parte o CDS, desinvestiu na manutenção, desinvestiu no

material circulante, desinvestiu nas infraestruturas, desinvestiu na bilhética, desinvestiu no serviço. Durante

esses quatro anos, a oferta de serviço no Porto e Lisboa foi reduzida em 25%. Mas isso tinha uma estratégia,

que era tornar estas empresas, com este emagrecimento, apetecíveis para as privatizações e para as

subconcessões a privados.

Aplausos do PS.

E só uma nova maioria parlamentar e um novo Governo é que travaram esta agenda obsessiva por parte do

PSD e do CDS.

Terminaria esta intervenção dando alguns indicadores que registam bem a melhoria do serviço nos

transportes urbanos de Lisboa e do Porto, contrariando tudo aquilo que disse o CDS. A procura nos transportes

urbanos de Lisboa, até setembro, face ao período homólogo de 2015, cresceu 2,5%, sendo que na Metro de

Lisboa cresceu 10%. A procura, no mês de setembro, na STCP, no Porto, cresceu 7,1% face ao mês homólogo

de 2015.

O número de reclamações na STCP, entre janeiro e setembro de 2016, desceu 81% face a 2015. Esses são

dados que revelam que o caminho adotado por esta nova maioria, a reversão das subconcessões a privados, a

descentralização das operações dos transportes urbanos de Lisboa e do Porto são dados positivos, melhoram

o serviço e, sobretudo, vão ao encontro daquela que é a expetativa dos utentes.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado José Luís Ferreira, de Os Verdes.

O Sr. José Luís Ferreira (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: O CDS agendou, e bem,

este debate de atualidade sobre os serviços públicos. O CDS, que integrou um governo que ficará para a História

como o governo que não conseguiu esconder a sua aversão a tudo o que era público,…

Páginas Relacionadas
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 11 16 investem e até têm dificuldades para comprar e
Pág.Página 16
Página 0017:
13 DE OUTUBRO DE 2016 17 Mas passemos para a saúde: de 2011 a 2014, menos 1500 milh
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 11 18 O Sr. Filipe Lobo d’Ávila (CDS-PP): — N
Pág.Página 18