O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 11

50

A Assembleia da República e o País tinham todo o direito de saber o que se passou no BANIF. Portanto,

esta Comissão de Inquérito teve plena justificação e, do meu ponto de vista, cumpriu o mandato que lhe foi

atribuído, com todo o empenho e eficácia.

Foi difícil proceder a um apuramento rigoroso dos factos e das responsabilidades. Importa aqui dizer que

houve da parte de algumas entidades, designadamente, da DGComp, da União Europeia, da Comissão

Europeia e do Banco Central Europeu algumas dificuldades que foram criadas à Comissão de Inquérito para

obter toda a informação de que a Comissão necessitava. Só devido a um grande empenho da Comissão e de

todos os grupos parlamentares que nela participaram, e com grande insistência da nossa parte, foi possível,

ainda assim, obter um acervo de informação que permitiu à Comissão de Inquérito concluir os seus trabalhos

de uma forma satisfatória.

Queria deixar um agradecimento especial aos Srs. Vice-Presidentes da Comissão, os Srs. Deputados Filipe

Neto Brandão e Luís Marques Guedes, pela pronta disponibilidade que tiveram enquanto membros da Mesa

desta Comissão; aos Srs. Deputados Coordenadores dos grupos parlamentares e aos demais membros da

Comissão Parlamentar de Inquérito; aos serviços de apoio, que foram inexcedíveis em tudo o que foi necessário,

nomeadamente em todos os contactos que foi necessário fazer para que a Comissão pudesse levar a cabo os

seus trabalhos; e, finalmente, queria deixar uma viva felicitação ao Sr. Deputado Eurico Brilhante Dias, Relator

desta Comissão, pelo magnífico trabalho que realizou com a elaboração deste Relatório.

Aplausos do PCP, do PS e do BE.

Independentemente das posições que todos os grupos parlamentares tenham relativamente ao seu

conteúdo, e certamente pelos sentidos de voto que foram expressos manifestaram divergências relativamente

ao conteúdo do Relatório, todos reconhecerão que se tratou de um grande trabalho, de um exaustivo trabalho

de apuramento de factos e de responsabilidades que justifica e prestigia esta Comissão Parlamentar de Inquérito

e que, creio, também contribui para o prestígio da Assembleia da República.

É esta a última palavra que queria deixar, renovando, naturalmente, os agradecimentos a todos os Srs.

Deputados e a todos aqueles que participaram nos trabalhos desta Comissão Parlamentar de Inquérito, a que

me coube, com muita honra, presidir.

Aplausos do PCP, do PSD, do PS e do BE.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Dou agora a palavra ao Sr. Relator, Deputado Eurico Brilhante

Dias.

O Sr. Eurico Brilhante Dias (PS): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados, escreveu o poeta Mário

Cesariny: «Faz-se luz pelo processo de eliminação de sombras». Foi o que procurámos fazer.

Apesar da luz, da exposição mediática do caso BANIF, a Comissão Parlamentar de Inquérito elaborou um

Relatório onde os preconceitos de um primeiro olhar pudessem dar lugar a factos e conclusões que conduzissem

à resposta às inquietações, ao âmbito e objetivos da resolução aprovada nesta Câmara.

As «sombras» que existiam foram sendo reveladas pelo método sistemático em torno de três grandes

questões: por que teve o Estado que capitalizar o BANIF em janeiro de 2013? Por que foi impossível aprovar

um plano de reestruturação, apesar das oito versões apresentadas à Direção-Geral da Concorrência entre 2013

e 2015? E, finalmente, por que teve o Estado de despender 4000 milhões de euros de ajuda pública, que

acabaram por conduzir a uma exposição final de mais de 3000 milhões de euros, num processo de resolução?

A resposta à primeira pergunta encontra-se numa necessidade identificada, ainda durante o último trimestre

de 2012, de 1100 milhões de euros de ajuda pública a um banco que apresentava um modelo de negócios

insustentável, com elevada exposição ao setor imobiliário, com uma gestão de risco deficiente ou mesmo

temerária e uma organização e sistemas de informação frágeis e insuficientes.

Os acionistas, os administradores, mas também o supervisor bancário, em particular no período anterior à

intervenção da troica, revelaram, no mínimo, pouca eficácia. Os resultados da auditoria forense entretanto

realizada e das ações legais em torno do BANIF Brasil poderão vir a demonstrar que, além de incompetência,

também poderemos encontrar indícios de natureza cível e criminal.

Páginas Relacionadas
Página 0003:
13 DE OUTUBRO DE 2016 3 O Sr. Presidente: — Sr.as e Srs. Deputados, Sr.as e Srs. Fu
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 11 4 Portugal reforça-se na Europa graças à sua voca
Pág.Página 4
Página 0005:
13 DE OUTUBRO DE 2016 5 Da mesma forma, salientamos igualmente a extraordinária imp
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 11 6 O Sr. Presidente: — Tem a palavra, para
Pág.Página 6
Página 0007:
13 DE OUTUBRO DE 2016 7 numa estratégia comum, ativa, eficaz e global de defesa e p
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 11 8 originalidade própria, não mimetizando aspetos
Pág.Página 8
Página 0009:
13 DE OUTUBRO DE 2016 9 Os países mais pobres são os mais vulneráveis a fenómenos c
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 11 10 Mas vamos falar, então, do dia a dia e comecem
Pág.Página 10
Página 0011:
13 DE OUTUBRO DE 2016 11 é aquilo que temos visto, que é a política de esconder a v
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 11 12 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Exatamente! <
Pág.Página 12
Página 0013:
13 DE OUTUBRO DE 2016 13 Sei que vos custa ouvir, mas são os factos, e contra facto
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 11 14 O Sr. Ministro Adjunto (Eduardo Cabrita): — Sr
Pág.Página 14
Página 0015:
13 DE OUTUBRO DE 2016 15 Nos transportes, à beira de eleições, tentaram fazer ajust
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 11 16 investem e até têm dificuldades para comprar e
Pág.Página 16
Página 0017:
13 DE OUTUBRO DE 2016 17 Mas passemos para a saúde: de 2011 a 2014, menos 1500 milh
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 11 18 O Sr. Filipe Lobo d’Ávila (CDS-PP): — N
Pág.Página 18
Página 0019:
13 DE OUTUBRO DE 2016 19 A Sr.ª Paula Santos (PCP): — … senão não teria promovido p
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 11 20 A Sr.ª Paula Santos (PCP): — Este também é um
Pág.Página 20
Página 0021:
13 DE OUTUBRO DE 2016 21 O Sr. João Oliveira (PCP): — Não precisa de trombetas a ac
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 11 22 A Sr.ª Luísa Salgueiro (PS): — … a aumentar o
Pág.Página 22
Página 0023:
13 DE OUTUBRO DE 2016 23 O Sr. Ministro Adjunto: — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Dep
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 11 24 situação no Brasil, das eleições norte-america
Pág.Página 24
Página 0025:
13 DE OUTUBRO DE 2016 25 Há um ano, decidimos, nesta Casa, a alteração da forma de
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 11 26 Daí propormos que possa haver alterações nos e
Pág.Página 26
Página 0027:
13 DE OUTUBRO DE 2016 27 Sr. Presidente, permita-me realçar o empenhamento dos func
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 11 28 Assim, apoiaremos todas as medidas que visem m
Pág.Página 28
Página 0029:
13 DE OUTUBRO DE 2016 29 tarifas a praticar pelos sistemas de titularidade municipa
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 11 30 Transformar esta estrada numa via verde nacion
Pág.Página 30
Página 0031:
13 DE OUTUBRO DE 2016 31 recuperação de toda a sua marcação granítica, casas e abri
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 11 32 na âncora de alguma economia local, nomeadamen
Pág.Página 32
Página 0033:
13 DE OUTUBRO DE 2016 33 de milhões de euros enterrados em PPP (parcerias público-p
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 11 34 estrada nacional n.º 2 de cima a baixo, na alt
Pág.Página 34
Página 0035:
13 DE OUTUBRO DE 2016 35 Vozes do PSD: — É verdade! O Sr. Carl
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 11 36 A alternativa ao desemprego não é a precarieda
Pág.Página 36
Página 0037:
13 DE OUTUBRO DE 2016 37 que se abram lugares no mapa de pessoal dos organismos púb
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 11 38 Já agora, convém lembrar, como ainda há pouco
Pág.Página 38
Página 0039:
13 DE OUTUBRO DE 2016 39 nada se passava como ainda ajudou à festa. Ao nível da adm
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 11 40 O Sr. António Filipe (PCP): — Muito bem! <
Pág.Página 40
Página 0041:
13 DE OUTUBRO DE 2016 41 O Sr. Rui Riso (PS): — Termino, Sr. Presidente.
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 11 42 O Sr. António Filipe (PCP): — A ideia não foi
Pág.Página 42
Página 0043:
13 DE OUTUBRO DE 2016 43 Gostava de lhes perguntar, Srs. Deputados, nomeadamente do
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 11 44 Protestos do PSD e do CDS-PP. Nã
Pág.Página 44
Página 0045:
13 DE OUTUBRO DE 2016 45 será, aliás, possível com as valiosas infraestruturas lite
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 11 46 Quando olhamos para este território na sua rel
Pág.Página 46
Página 0047:
13 DE OUTUBRO DE 2016 47 O Sr. António Costa Silva (PSD): — Mas, Sr. Deputado José
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 11 48 O Sr. Pedro Mota Soares (CDS-PP): — Sr. Presid
Pág.Página 48
Página 0049:
13 DE OUTUBRO DE 2016 49 O Sr. Pedro Mota Soares (CDS-PP): — O grande paradoxo aqui
Pág.Página 49
Página 0051:
13 DE OUTUBRO DE 2016 51 Parte da resposta à segunda pergunta encontra-se na incapa
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 11 52 O Sr. Carlos Abreu Amorim (PSD): — Sr.
Pág.Página 52
Página 0053:
13 DE OUTUBRO DE 2016 53 Deste modo, o Relatório é deficiente quanto aos factos e t
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 11 54 O Sr. Deputado quer esconder isto, mas
Pág.Página 54
Página 0055:
13 DE OUTUBRO DE 2016 55 Vozes do PSD: — Muito bem! O Sr. José
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 11 56 sequer da acusação que fez ou de trocas de fav
Pág.Página 56
Página 0057:
13 DE OUTUBRO DE 2016 57 A Sr.ª CecíliaMeireles (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as e
Pág.Página 57
Página 0058:
I SÉRIE — NÚMERO 11 58 apesar de ter havido um grupo parlamentar — qu
Pág.Página 58
Página 0059:
13 DE OUTUBRO DE 2016 59 A próxima sessão plenária realizar-se-à amanhã, às 15 hora
Pág.Página 59