O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

13 DE OUTUBRO DE 2016

23

O Sr. Ministro Adjunto: — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Na fase final deste debate, não posso

deixar de me espantar com a intervenção do PSD proferida pelo Sr. Deputado Leitão Amaro.

Quem foi o rosto da governação de direita radical em quatro anos de crispação contra a Constituição, contra

o serviço público?! Quem foi o rosto de quem expulsou 350 000 portugueses para a emigração?!

Aplausos do PS.

Protestos do PSD e do CDS-PP.

Quem deixou 1,2 milhões de portugueses sem médico de família?! Quem deixou Portugal com 30 000

professores a menos e com mais de 1000 escolas a menos?! Foram esses os atropelados pela vossa

governação.

Vamos olhar para o futuro! Vamos olhar para quem vai dar médico de família, já no próximo ano, a 500 000

portugueses! Vamos olhar para quem vai dar justiça de proximidade em mais 40 comarcas! Vamos olhar para

quem garantiu um início de ano letivo com tranquilidade! Vamos olhar para quem vai melhorar o exercício da

segurança pública em Lisboa ou no Porto!

O Sr. Presidente: — Peço-lhe que conclua, Sr. Ministro.

O Sr. Ministro Adjunto: — Vamos trabalhar para o futuro! Foi assim que os portugueses, verdadeiramente,

pelo voto, os tiraram de pista, em 4 de outubro do ano passado.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Para encerrar o debate, tem a palavra o Sr. Deputado Nuno Magalhães, do CDS-PP.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sr. Presidente, Srs. Deputados José Luís Ferreira, Mariana Mortágua,

Paula Santos, João Paulo Oliveira e Luísa Mesquita: Estamos em 12 de outubro de 2016. Os senhores

cristalizaram em 2015, mas hoje foram, e bem, confrontados pelo CDS com uma realidade que vos incomoda,

e por isso demoraram tanto tempo a inscrever-se.

Risos dos Deputados do BE Mariana Mortágua e Pedro Filipe Soares.

Governam há um ano — as listas de espera são vossas, os professores não colocados são vossos, as

escolas fechadas são vossas, as queixas dos transportes são vossas, as dívidas que contraem são vossas!

Tudo isso com a vossa cumplicidade, com a vossa conivência, com o vosso apoio.

Falou-se aqui em ideologia. Srs. Deputados, a nossa ideologia é viver num País em que alguém pode ir

comprar um bilhete de metro e não tem um Ministro do Governo que diz que não há porque foi um azar, foi um

«azarucho»,…

O Sr. Filipe Lobo d’Ávila (CDS-PP): — Essa é boa!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — … é viver num País em que os membros do Governo assumem

responsabilidades.

Aplausos do CDS-PP e de Deputados do PSD.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Essa é responsabilidade vossa!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — E nesse sentido, Sr. Ministro, não é um ato de contrição, é um ato de

acusação. Os senhores prometeram o fim da austeridade, mas a austeridade não acabou e o risco aumentou.

Dizem que a culpa é da União Europeia — da chantagem da União Europeia —, da situação em Angola, da

Páginas Relacionadas
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 11 24 situação no Brasil, das eleições norte-america
Pág.Página 24