O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

28 DE OUTUBRO DE 2016

13

A Sr.ª Vânia Dias da Silva (CDS-PP): — Ora bem!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — É uma questão de exemplo e de a democracia ser saudável.

O Sr. Deputado João Oliveira vem apelidar-nos de extrema-direita…

O Sr. João Oliveira (PCP): — Não vem, não!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): —… quando o PCP apresenta uma moção ao congresso que, de resto,

faz a reabilitação da União Soviética e até diz que a União Soviética é que estava certa?!

O Sr. Bruno Dias (PCP): — Tem de lavar os ouvidos! Ou de usar cotonetes!

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — E quando, de alguma forma, «limpa» os eventos de Budapeste e Praga

que fazem 60 anos nesta semana?

Mas, Sr. Deputado, há uma coisa que não se escapa de ouvir: somos coerentes!

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado, tem de concluir.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Termino, Sr. Presidente.

Quando pedimos um esforço — e não fomos nós que o pedimos, mas o seu Governo e a sua maioria,

aumentando o IMI dos portugueses por causa do sol ou das vistas —, damos o exemplo.

E há outra coisa que ficámos todos a perceber: o PCP, quando se trata da sua propriedade, é o primeiro a ir

a correr em busca de defender os proprietários.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Peço a palavra, Sr. Presidente.

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado João Oliveira, pede a palavra para que efeito?

O Sr. João Oliveira (PCP): — Sr. Presidente, para intervir.

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado, há a tradição de que nos agendamentos potestativos são os partidos

responsáveis pela marcação que encerram os debates, mas este não é o caso.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Sr. Presidente, se me permite, o agendamento foi do PSD, que entendeu

gastar o tempo todo a que tinha direito.

O Sr. Presidente: — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Sr. Presidente, muito brevemente, queria dizer o seguinte ao Sr. Deputado

Nuno Magalhães: afinal de contas percebemos que o projeto do CDS visava o PCP, e percebemos porquê.

Protestos do CDS-PP.

É que o PCP, neste debate, é, de facto, um exemplo. É um exemplo de quem se financia com o seu próprio

esforço, com o esforço dos seus militantes e não depende das subvenções do Estado ou de favores de empresas

para se financiar.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Ai não?!

Páginas Relacionadas
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 18 18 Efetivamente, não foi ainda dada resposta caba
Pág.Página 18
Página 0019:
28 DE OUTUBRO DE 2016 19 balcões do SEF demoram meses a fio a marcar um atendimento
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 18 20 manutenção de situações de ilegalidade de pess
Pág.Página 20
Página 0021:
28 DE OUTUBRO DE 2016 21 A Sr.ª Susana Amador (PS): — Sr.ª Presidente, Sr.as e Srs.
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 18 22 as quais, com objetivos diferentes, vão tentar
Pág.Página 22
Página 0023:
28 DE OUTUBRO DE 2016 23 O Sr. José Manuel Pureza (BE): — Sr.ª Presidente, Sr.as e
Pág.Página 23