O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 21

36

por estes; do ordenamento florestal com respeito pela Estratégia Nacional para as Florestas e pelos planos

regionais de desenvolvimento florestal; da intervenção na prevenção de incêndios e limpeza de florestas.

São áreas — e menciono estas a tipo de exemplo — onde a ação dos municípios pode e deve ser potenciada

e exercida com vantagem para os cidadãos, quer cidadãos enquanto utilizadores, quer cidadãos enquanto

contribuintes, e também, como é óbvio, para a própria Administração.

Esse conjunto de propostas visam, ainda, garantir que este processo de descentralização é acompanhado

da transferência dos necessários recursos financeiros, humanos e patrimoniais atualmente associados a esses

serviços é outro dos requisitos essenciais à sua concretização e cujas propostas serão apresentadas e debatidas

mais à frente e na devida oportunidade.

Queremos, com a apresentação das nossas propostas, uma Administração com rosto, uma Administração

próxima das pessoas, uma Administração que, conhecendo as dificuldades das pessoas, melhor corresponda

às suas necessidades, fazendo mais e melhor com os mesmos recursos.

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra a Sr.ª Deputada Susana Amador, do Grupo Parlamentar do PS.

A Sr.ª Susana Amador (PS): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Membros do Governo, Sr.as e Srs. Deputados, o

Orçamento do Estado para 2017 é um bom Orçamento para o poder local, é um bom Orçamento para as

autarquias, logo, é um bom Orçamento para as populações e para todos os portugueses e todas as portuguesas.

Este Orçamento do Estado para 2017 fortalece, felizmente, um caminho de consolidação da autonomia do

poder local, tendo-se adotado já, para o efeito, um conjunto de alterações pontuais mas com muito impacto na

área da administração local.

Igualmente, com este Governo e os sucessivos Orçamentos, também já se alargou o quadro de ação dos

municípios no âmbito do acesso aos fundos europeus, que o Governo anterior tinha praticamente bloqueado, o

qual continuará a ser alvo de grande prioridade.

Neste Orçamento do Estado, Sr.as e Srs. Deputados, verifica-se um reforço das transferências para o poder

local, visando dar cumprimento, sim, à Lei das Finanças Locais, com o aumento de 2,9%, mais de 74 milhões

de euros. Voltamos ao nível de transferências de 2011, o que, obviamente, é um fator que merece a nossa

saudação e o nosso aplauso.

Ao mesmo tempo, é um Orçamento de rigor, de responsabilidade e que apresenta o menor défice da

democracia portuguesa.

As propostas de alteração, apresentadas pelo PSD, ao artigo 59.º, sobre a descentralização, inserem-se num

outro quadro geral que não o deste Orçamento do Estado, mas de um processo de descentralização. Merecem

a nossa rejeição, porque encerram um triplo défice, desde logo o défice da universalidade.

O PSD continua a insistir, mal, no caminho da contratualização e da opacidade. Para o PS, este processo

tem de ser integrado, objeto de um quadro legal competente, com caráter universal, como aquele que está em

curso e que estará concluído no primeiro trimestre de 2017.

Iremos reforçar as competências das autarquias locais, sim, permitindo transferências de competências da

administração central para a local, para as comissões de coordenação e desenvolvimento regional, para as

áreas metropolitanas, que ganharão acrescida legitimidade.

Para os municípios, sim, queremos reforçar as competências dos municípios nas áreas sociais, educativas,

de saúde, culturais e noutros domínios, e também as das freguesias, as quais beneficiarão de competências

adaptadas à sua realidade local, em função da sua natureza, e poderes próprios em domínios hoje atribuídos

por mera delegação municipal.

Mas as propostas do PSD têm um segundo défice: o défice de auscultação e participação. Para o PS, houve,

desde a primeira hora, um imperativo: o de ouvir e partilhar, criando grupos de trabalho interministeriais, e o de

ouvir também a ANMP (Associação Nacional de Municípios Portugueses) e a ANAFRE (Associação Nacional

de Freguesias). Este processo de partilha e de participação não se coaduna com propostas avulsas de

descentralização.

As propostas do PSD não têm o alcance vasto, sistémico e integrado que tem, por exemplo, o nosso

Programa Nacional para a Coesão Territorial ou o programa das florestas.

Páginas Relacionadas
Página 0003:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 3 professores no correspondente escalão da carreira docente
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 21 4 A ação do PCP foi ainda decisiva no âmbito do a
Pág.Página 4
Página 0005:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 5 de crescimento económico que tinha para o País. Fazem hoje
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 21 6 A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Não encontrámos
Pág.Página 6
Página 0007:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 7 A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Este Orçamento tem os cons
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 21 8 Perguntamos também: qual foi a parte do último
Pág.Página 8
Página 0009:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 9 A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — Ora bem!
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 21 10 €. É um Orçamento que promove este aumento sem
Pág.Página 10
Página 0011:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 11 Gostava que se lembrassem daquilo que, eventualmente, os
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 21 12 Propomos também mais incentivos e o empenho do
Pág.Página 12
Página 0013:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 13 Disseram também aqui que temos o crescimento que temos —
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 21 14 Não se chateie, Sr.ª Deputada, porque a
Pág.Página 14
Página 0015:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 15 É um bom debate para todas e para todos! Muito obrigado!
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 21 16 O Governo PSD/CDS iniciou funções com troica e
Pág.Página 16
Página 0017:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 17 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sr. Presidente, Srs. Mem
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 21 18 homens. Ou seja, vamos ter mais 800 homens nas
Pág.Página 18
Página 0019:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 19 Entendemos, assim, que a execução desta medida através do
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 21 20 rendimento numa prestação — atenção! — igualit
Pág.Página 20
Página 0021:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 21 Temos indicação de que a Assembleia Regional da Madeira n
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 21 22 absolutamente acima de qualquer dúvida, e que
Pág.Página 22
Página 0023:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 23 O Sr. NunoMagalhães (CDS-PP): — Sr. Presidente, Srs. Memb
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 21 24 É uma proposta equilibrada e sensata. Viabiliz
Pág.Página 24
Página 0025:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 25 Sabe qual é a diferença, Sr. Secretário de Estado? É que
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 21 26 O Sr. JorgePauloOliveira (PSD): — Seja séria!
Pág.Página 26
Página 0027:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 27 concretização de um projeto de vida. E este é um caminho
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 21 28 O Governo aqui não tem credibilidade! Só prome
Pág.Página 28
Página 0029:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 29 O Sr. Luís Vales (PSD): — Em 2015, Sr. Deputado, foram co
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 21 30 Aplausos do PCP. O Sr. Pr
Pág.Página 30
Página 0031:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 31 O Sr. Presidente: — O próximo artigo é o 29.º — Aplicação
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 21 32 34.º e 35.º da proposta de lei do Orçamento do
Pág.Página 32
Página 0033:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 33 Tem a palavra a Sr.ª Deputada Sara Madruga da Costa, do G
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 21 34 … mas as maiores dificuldades vieram mesmo do
Pág.Página 34
Página 0035:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 35 O Sr. Jorge Duarte Costa (BE): — Sr. Presidente, S
Pág.Página 35
Página 0037:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 37 Por último, as propostas do PSD têm ainda um outro défice
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 21 38 A Sr.ª Berta Cabral (PSD): — Sr. Presidente, S
Pág.Página 38
Página 0039:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 39 O Sr. Maurício Marques (PSD): — Sr. Presidente, Srs. Memb
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 21 40 e responde a necessidades priorizadas pelas pr
Pág.Página 40
Página 0041:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 41 Por isso, Sr.as e Srs. Deputados, não estamos de acordo,
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 21 42 Vozes do PSD: — Muito bem! O Sr.
Pág.Página 42
Página 0043:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 43 Srs. Deputados, Srs. Membros do Governo, gostaria ainda d
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 21 44 Protestos do PSD. É que e
Pág.Página 44
Página 0045:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 45 Em termos de futuro, queria perguntar-lhe: tem medo da tr
Pág.Página 45
Página 0046:
I SÉRIE — NÚMERO 21 46 de apoio a milhares de desempregados de longa
Pág.Página 46
Página 0047:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 47 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Sabe bem como é que foi!
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 21 48 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para
Pág.Página 48
Página 0049:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 49 A Sr.ª Clara Marques Mendes (PSD): —… no sentido de as su
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 21 50 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Inscreveu-se
Pág.Página 50
Página 0051:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 51 A Sr.ª Diana Ferreira (PCP): — Fizemo-lo no Orçamento do
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 21 52 O problema é que ao dizer isto tudo e o seu co
Pág.Página 52
Página 0053:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 53 congeladas entre 2011 e 2015 e que continuariam a ter as
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 21 54 O Sr. Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP)
Pág.Página 54
Página 0055:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 55 A Sr.ª Maria das Mercês Soares (PSD): — E o Partid
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 21 56 Não se sente a Sr.ª Secretária de Estado incom
Pág.Página 56
Página 0057:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 57 A Sr.ª Joana Barata Lopes (PSD): — Sr. Presidente, Srs. M
Pág.Página 57
Página 0058:
I SÉRIE — NÚMERO 21 58 está a trabalhar nisso. Então, se está a traba
Pág.Página 58
Página 0059:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 59 O Sr. João Oliveira (PCP): — Onde é que foi ver is
Pág.Página 59
Página 0060:
I SÉRIE — NÚMERO 21 60 Protestos da Deputada do PSD Inês Domin
Pág.Página 60
Página 0061:
25 DE NOVEMBRO DE 2016 61 A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — A vossa políti
Pág.Página 61