O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

30 DE NOVEMBRO DE 2016

47

Estamos, agora, em condições de pensar politicamente a mais largo prazo, de realizar uma agenda de

transformações institucionais e políticas, que lancem, decidida e sustentadamente, Portugal na senda de maior

crescimento, mais emprego, mais qualidade de vida e mais equidade social e territorial.

Aplausos do PS.

São essas estratégias que vamos prosseguir no próximo ano, com o Orçamento cuja discussão hoje aqui

encerramos. Não é ainda, seguramente, aquele Orçamento que todos nós desejaríamos para os serviços que

dirigimos ou tutelamos, nem tão-pouco o que eles submeteram à nossa consideração; é aquele que os recursos

limitados do nosso País, com a devida responsabilidade, nos vão permitir utilizar.

À nossa direita, diria que é tempo de o reconhecerem e fazerem o vosso papel de oposição construtiva, mais

que não seja porque foi isso que os cidadãos deste País já fizeram há muito tempo!

Aplausos do PS.

À nossa esquerda, reafirmamos que manteremos os compromissos estabelecidos no quadro das nossas

possibilidades como País, e, obviamente, a disponibilidade para discutir em conjunto, como sempre temos feito,

novos problemas e soluções sem dogmas nem preconceitos.

Aplausos do PS.

Um claro exemplo desta cooperação foi a aceitação, por parte do Governo, de propostas feitas na discussão

na especialidade deste Orçamento, como o reforço da ação social escolar, ou a requalificação e modernização

do sistema prisional, entre vários outros exemplos que podia aqui referir.

A todos os cidadãos deste País, a quem me dirijo especialmente nesta Casa, que é e será sempre a sua

Casa, asseguramos que continuaremos a governar o presente com visão estratégica e olhos postos no futuro.

Aplausos do PS.

Asseguraremos um futuro que seja sustentável do ponto de vista ambiental e que incorpore uma estratégia

de economia circular com menos desperdício e mais reutilização.

Um futuro onde o «mar» e o seu «sal» não sejam apenas «lágrimas de Portugal», mas também uma

oportunidade que tem de ser valorizada.

Um futuro que assegure a relevância dos serviços públicos e a sua proximidade, que garanta um País mais

equilibrado na ocupação do território.

Um futuro de modernidade, onde se invista na inovação, se apoiem os inovadores, se use o potencial

transformador que algumas tecnologias emergentes nos oferecem, tanto para o setor privado como para o setor

público.

Aplausos do PS.

Um futuro onde não se despreze e, pelo contrário, se valorize os que arriscam o seu dinheiro para criar mais

riqueza e mais emprego, e têm bons resultados.

Um futuro onde a responsabilidade social das empresas, incluindo o tratamento igual de homens e mulheres,

seja tão importante como ter bons resultados no final do ano.

Um futuro que não deixe ninguém para trás, dando especial atenção aos que perdem o emprego e a profissão

tarde na vida e aos que ainda não foram favorecidos pelas vantagens de uma sociedade baseada na informação.

Um futuro com mais igualdade na distribuição da riqueza e também no acesso ao conhecimento.

Aplausos do PS.

Páginas Relacionadas
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 24 52 Segue-se o voto n.º 161/XIII (2.ª) — De pesar
Pág.Página 52