O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

7 DE DEZEMBRO DE 2016

33

problema ao Governo e a esta maioria; os senhores estão a criar um problema sério — e nós vamos fazer tudo

para que não seja bem sucedido — à Caixa Geral de Depósitos, ao País e aos contribuintes portugueses!

Queremos uma Caixa Geral de Depósitos que dê lucros e dividendos e para isso precisamos de uma

recapitalização não pelos mínimos, mas para aquilo que é necessário para a Caixa. É por isso que estamos a

fazer todo este processo. Os senhores estão a arranjar seja que pretexto for, repito, seja que pretexto for, para

inviabilizarem o processo de recapitalização da Caixa. Mas não vão ter sucesso! Não vão ter sucesso, a bem

dos portugueses e a bem do País!

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado Miguel

Tiago.

O Sr. Miguel Tiago (PCP): — Sr. Presidente, Srs. Deputados: Ainda antes de me debruçar sobre o projeto

de lei do PSD e sem estar aqui a tentar esconder os atuais problemas da Caixa — em boa parte também

provocados pelo constante bombardeamento e o constante enlamear que o PSD tem vindo a fazer —, gostaria

de dizer à Sr.ª Deputada Cecília Meireles…

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — Ora diga lá!

O Sr. Miguel Tiago (PCP): — … que me lembro de um Governo que prejudicou mais a Caixa do que o atual,

que foi o anterior Governo. Lembro-me, assim de repente, de o anterior Governo ter cobrado em dois anos 82

milhões de euros à Caixa pelo capital contingente que deveria ter sido injetado sob a forma de capital e que

injetou sob a forma de CoCo para descapitalizar a Caixa, a pretexto de uma capitalização.

Aplausos do PCP.

Olhe, Sr.ª Deputada, esses 80 milhões de euros que extorquiram à Caixa Geral de Depósitos a pretexto de

uma suposta capitalização dariam para pagar 200 anos de salários, que agora tantos vos escandalizam!

Aplausos do PCP.

Protestos da Deputada do CDS-PP Cecília Meireles.

Sr.ª Deputada Cecília Meireles, Srs. Deputados do PSD, o vosso problema não são os salários, nem a falta

de transparência; o vosso problema é a missão da atual administração. Enquanto testemunharam um secretário

de Estado do vosso Governo a sair para o Banco de Portugal para ir ganhar 30 000 € por mês para vender o

Novo Banco, como era para alienar, privatizar, dar cabo de mais um banco e entregá-lo ao grande capital, isso

mereceu todo o dinheiro, todo o salário, e que mais houvesse. Para gerir um banco público, para capitalizá-lo,

para o tornar robusto e o colocar ao serviço das populações e da economia nacional, 30 000 € por mês é um

exagero. E, Srs. Deputados, o PCP está à vontade porque acha que quer num caso, quer noutro é um exagero.

Aplausos do PCP.

Entendemos propor a esta Assembleia da República, por mais do que uma vez, que esse problema fosse

resolvido. Já na presente Legislatura, o PCP voltou a apresentar uma solução que tinha apresentado no

passado, e os Srs. Deputados conhecem-na porque votaram contra. E o resto é conversa.

Portanto, sobre limites aos salários, o PSD pode fazer trinta por uma linha. Pode fingir que pretende impor

limites aos salários dos gestores de empresas do setor empresarial do Estado, mas, quando olhamos para a

proposta do PSD, verificamos que, na verdade, o que ela defende é a recuperação do que já está na lei e o

limite que já está previsto na lei é o vencimento da média dos últimos três anos do indivíduo. Ora, isso não é

limite nenhum ou é tão válido como o limite atual, que é a mediana do setor.

Páginas Relacionadas
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 26 28 O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, damos por
Pág.Página 28
Página 0029:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 29 O Sr. Hugo Lopes Soares (PSD): — Muito bem!
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 26 30 empresas do Estado, por respeito para com o di
Pág.Página 30
Página 0031:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 31 Mais: nunca fomos coniventes com o jogo de, pura e simples
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 26 32 exclusivamente ao PSD, porque o CDS não votou
Pág.Página 32
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 26 34 Portanto, Sr. Deputado, esses são artifícios q
Pág.Página 34
Página 0035:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 35 Monteiro foi para o Banco de Portugal receber 30 000 € por
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 26 36 sólido e merece que este debate seja feito com
Pág.Página 36
Página 0037:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 37 O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Não foi! O S
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 26 38 Aplausos do CDS-PP. O Sr. Preside
Pág.Página 38
Página 0039:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 39 O Sr. MiguelTiago (PCP): — E não nos lembramos de o CDS fa
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 26 40 A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Portanto, esta
Pág.Página 40
Página 0041:
7 DE DEZEMBRO DE 2016 41 Albuquerque que, hoje, se manifestou contra os projetos de
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 26 42 O Sr. Paulo Trigo Pereira (PS): — Diga uma! Di
Pág.Página 42