O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 78

18

O Sr. Nuno Serra (PSD): — Está enganado, é o contrário!

O Sr. Ministro Adjunto: — … provando que só pensa nas florestas quando vê o fogo, a meio de agosto. Foi

esse o lamentável contributo que o PSD trouxe a este debate.

A Sr.ª Júlia Rodrigues (PS): — É isso mesmo!

O Sr. Ministro Adjunto: — O Governo aprovou um conjunto vasto de iniciativas, da arborização à estratégia

de caracterização do regime de propriedade,…

O Sr. Nuno Serra (PSD): — Do regime de propriedade?!

O Sr. Ministro Adjunto: — … à valorização das terras sem dono conhecido, à defesa da floresta contra

incêndio, à promoção da gestão da biomassa enquanto modo de energia limpa, valorizando o potencial

económico da floresta.

É pena que o PSD nem tenha reparado que alguns projetos foram já aprovados por decreto-lei e todos

aqueles que, constitucionalmente, exigem a forma de lei estão hoje, aqui, a ser debatidos.

Nós, durante três meses, promovemos o debate público. O Sr. Ministro da Agricultura liderou mais de duas

dezenas de reuniões em todo o País, ouvindo todos os interessados. Recolhemos cerca de um milhar de

contributos que, como o CDS reconheceu,…

O Sr. Presidente: — Peço-lhe para concluir, Sr. Ministro, porque já ultrapassou largamente o tempo de que

dispunha.

O Sr. Ministro Adjunto: — … contribuíram para a alteração significativa de todos os diplomas, aliás, referiu,

designadamente, o diploma do cadastro simplificado.

O Sr. Presidente: — Tem de terminar, Sr. Ministro.

O Sr. Ministro Adjunto: — Apelamos a todas as bancadas um grande empenho para um grande consenso

nacional em relação a esta matéria, para que se passe do «fogo», da «piromania», à ação, ao desenvolvimento

em torno da floresta.

Aplausos do PS.

Protestos do PSD.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, chegámos ao fim do debate conjunto, na generalidade, das propostas

de lei n.os 65, 66, 67, 68 e 69/XIII (2.ª) e dos projetos de lei n.os 464 e 500/XIII (2.ª).

Antes de iniciarmos o segundo ponto da ordem de trabalhos, o debate, na generalidade, da proposta de lei

n.º 63/XIII (2.ª) — Aprova a decisão europeia de investigação em matéria penal, transpondo a Diretiva

2014/41/UE, vamos fazer uma breve pausa para que se proceda à alteração da composição da bancada do

Governo e à minha substituição na presidência da Mesa.

Pausa.

Entretanto, assumiu a presidência o Vice-Presidente José Manuel Pureza.

Srs. Membros do Governo, Sr.as e Srs. Deputados, conforme foi anunciado pelo Sr. Presidente, Ferro

Rodrigues, vamos dar início ao debate, na generalidade, da proposta de lei n.º 63/XIII (2.ª) — Aprova a decisão

europeia de investigação em matéria penal, transpondo a Diretiva 2014/41/UE.

Páginas Relacionadas
Página 0019:
21 DE ABRIL DE 2017 19 Para apresentar a iniciativa legislativa, tem a palavra a Sr
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 78 20 Pretende-se, pois, uma maior eficácia, rapidez
Pág.Página 20
Página 0021:
21 DE ABRIL DE 2017 21 Basicamente, o que se pretende é acabar com o regime fragmen
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 78 22 Todos nós temos notícia, ao longo dos anos, de
Pág.Página 22
Página 0023:
21 DE ABRIL DE 2017 23 O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Para encerrar este
Pág.Página 23