O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 85

20

O Sr. Bruno Dias (PCP): — Sr. Presidente, Srs. Deputados, a nossa proposta é que os textos dos vários

projetos apresentados pelos vários partidos neste debate sejam objeto de um trabalho de aperfeiçoamento e

conjugação para que a Assembleia da República possa aprovar o texto mais correto e adequado em relação a

esta matéria.

Esta discussão realiza-se numa altura em que o Governo anuncia opções para a rede de metropolitano que

merecem a discordância do PCP e que devem ser devidamente debatidas, aliás, nos termos da lei, com as

autarquias e outras entidades, algo que não foi feito, e é conhecida a posição e as propostas do PCP sobre o

desenvolvimento e a melhoria da qualidade do serviço do metropolitano.

Acima de tudo, é indispensável investir de forma efetiva e séria na criação dos meios necessários para que

a empresa dê resposta às necessidades no plano material mas também humano. É preciso reforçar a empresa

com mais maquinistas, mas atenção que eles não são contratados externamente, teremos de rever o ponto 1

da proposta do Bloco de Esquerda sobre a formação de maquinista, eles são formados na Metropolitano, e 30

não vão chegar para o futuro. É preciso mais pessoal em todas as áreas da empresa. São precisos trabalhadores

para a manutenção e reparação de material circulante, para a reparação da via, agentes de tráfego, operadores

comerciais, revisores. A empresa está, neste momento, numa situação limite e é preciso tomar medidas muito

rapidamente, de forma efetiva e séria, para responder aos problemas que têm sido apontados devida e

oportunamente pelos trabalhadores, pelos utentes e pelo PCP, ao longo de muito tempo, aqui, na Assembleia

da República.

Aplausos do PCP.

O Sr. Presidente (José de Matos Correia): — Para uma intervenção, em nome do Grupo Parlamentar do

CDS-PP, tem a palavra o Sr. Deputado Hélder Amaral.

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Sou tentado a começar por

concordar com a proposta do Partido Comunista Português ao solicitar às várias bancadas que trazem iniciativas

sobre essa matéria que encontrem um texto comum, porque há, de facto, um traço em comum, que é o serviço

público de transportes em Lisboa estar pior e está ainda pior na Área Metropolitana de Lisboa.

Ora, isso não deixa de ser surpreendente, ainda que sendo uma verdade absoluta.

Os acordos da geringonça e — pasme-se! — os acordos do Partido Ecologista «Os Verdes» pressupunham

exatamente a não privatização de qualquer serviço, a reversão no setor dos transportes, tal como o Bloco de

Esquerda e o Partido Comunista Português propunham, e não é que, quase dois anos após a governação, estas

bancadas, que diziam que tudo ia ser diferente, tudo ia ficar melhor, vêm agora apresentar iniciativas dizendo

que afinal está tudo pior?! «Fomos enganados, o Partido Socialista não cumpre com os nossos acordos»!

Protesto do Deputado de Os Verdes José luís Ferreira.

Srs. Deputados do Partido Socialista, não é bonita a forma como tratam os vossos parceiros de coligação,

os partidos mais pequenos! Isso configura uma espécie de bullying político. Isso é feio, porque eles merecem

mais respeito!

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

Protestos do Deputado do PCP Bruno Dias.

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Tem toda a razão, Sr. Deputado Bruno Dias, mas, acima de tudo, eu

estava à espera que, já que o Partido Socialista não respeita nem o PCP, nem o Bloco de Esquerda nem Os

Verdes, ao menos respeitasse os utentes, os trabalhadores e as empresas públicas de transportes. Isto porque,

Sr. Deputado, se qualificassem o serviço público de transportes, a mobilidade, a interoperabilidade e a

intermodalidade, como um sistema integrado na Área Metropolitana de Lisboa, de facto, não estaríamos aqui

com iniciativas de mais carruagens no metro. É que há iniciativas de mais carruagens!

Páginas Relacionadas
Página 0015:
10 DE MAIO DE 2017 15 O Sr. Presidente (José de Matos Correia): — Queira terminar,
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 85 16 Os transportes coletivos são, incontestavelmen
Pág.Página 16
Página 0017:
10 DE MAIO DE 2017 17 plataformas a abarrotar de pessoas, facto para o qual contrib
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 85 18 O Sr. Heitor Sousa (BE): — Face a este problem
Pág.Página 18
Página 0019:
10 DE MAIO DE 2017 19 A acrescer a esta degradação do serviço público, gravosa, não
Pág.Página 19
Página 0021:
10 DE MAIO DE 2017 21 O Sr. Bruno Dias (PCP): — Mas quem é que as tirou?!
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 85 22 ficámos pasmados quando se referiu à construçã
Pág.Página 22
Página 0023:
10 DE MAIO DE 2017 23 O Sr. CarlosSantosSilva (PSD): — O Sr. Deputado falou-nos em
Pág.Página 23