O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

3 DE NOVEMBRO DE 2017

31

isso, na decorrência do Conselho Nacional da Água, foi adotado um plano de poupança e de informação ativa

dos portugueses sobre a forma como cada um de nós, no mais simples gesto, pode contribuir para poupar água,

que é um bem precioso e imprescindível à vida dos seres humanos, de todos os seres vivos, e também à nossa

agricultura.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, vamos entrar agora na segunda fase de pedidos de esclarecimento.

Para esta fase estão inscritos Deputados do PSD, do PS, do BE, do CDS e do PCP.

Para pedir esclarecimentos, tem a palavra o Sr. Deputado Carlos Abreu Amorim.

O Sr. CarlosAbreuAmorim (PSD): — Sr. Presidente, Sr. Primeiro-Ministro, reincidiu, uma vez mais, neste

debate, em acusar o PSD de frustração, porque aquilo que eventualmente o PSD previa…

O Sr. JoãoGalamba (PS): — Eventualmente não! Realmente!

O Sr. CarlosAbreuAmorim (PSD): — … que ia acontecer em termos económicos e financeiros não se

realizou. Vou devolver, Sr. Primeiro-Ministro, essa acusação.

Tudo aquilo que o Sr. Primeiro-Ministro disse antes de o ser, na campanha para as legislativas de 2015, que

perdeu, e quanto às linhas-mestras do seu programa económico-financeiro, que prometeu na Assembleia da

República, tudo isso caiu pela base.

O Sr. Primeiro-Ministro disse que a economia ia crescer através aumento do consumo, mas não é isso que

está a acontecer.

Protestos do Deputado PS João Galamba.

O Sr. Primeiro-Ministro desdenhou o papel das exportações no crescimento económico, ao contrário do que

tinha feito o Governo anterior. Pois é através das exportações, nomeadamente, do turismo, que a economia está

a crescer e que se está a dar o equilíbrio das contas públicas.

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. CarlosAbreuAmorim (PSD): — Sr. Primeiro-Ministro, o único motivo de regozijo e de não frustração

de V. Ex.ª é, de facto, estar a ver os partidos da extrema-esquerda radical a «comerem» tudo aquilo que

disseram e prometeram em termos programáticos antes, durante e depois das eleições legislativas de 2015.

Compreendo esse regozijo, Sr. Primeiro-Ministro!

Aplausos do PSD.

Sr. Primeiro-Ministro, o País conheceu uma tragédia sem precedentes nestes incêndios florestais: foram 110

mortos e mais de 500 000 ha ardidos. Aquilo a que o País assistiu foi a uma balbúrdia completa no sistema de

proteção, prevenção e combate aos incêndios. Aquilo que o País viu foi falta de liderança por parte das entidades

governamentais. Aquilo que o País viu foi falta de coordenação.

Mas o País viu também outra coisa: o Sr. Primeiro-Ministro há mais de uma década, quando era ministro da

Administração Interna, montou um sistema, do qual o Sr. Primeiro-Ministro é o pai, a mãe e o rosto, o SIRESP

(Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), e nós sabemos o que é que aconteceu

ao SIRESP durante o período de incêndios; o Sr. Primeiro-Ministro celebrou os contratos dos Kamov, e nós

sabemos o que está a acontecer; o Sr. Primeiro-Ministro foi quem acabou, na prática, com os guardas florestais

e é reconhecido por toda a gente e por todos os relatórios que conhecemos que, de facto, os guardas florestais

fizeram muita falta neste período de incêndios; o Sr. Primeiro-Ministro montou a Autoridade Nacional de Proteção

Civil e não deixa de se autovangloriar disso mesmo, mas nós vemos o que é que as nomeações partidárias, o

Páginas Relacionadas
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 15 32 que é que a falta de reconhecimento de mérito
Pág.Página 32