O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

24 DE MARÇO DE 2018

15

Portanto, Sr.as e Srs. Deputados, na realidade, este é o momento para fazer também uma recordatória

relativamente ao passado, pese embora se saliente uma postura diferente, principalmente por parte dos partidos

à direita, no sentido em que os portugueses já não estavam habituados a ter um governo que efetivamente

cumprisse com aqueles que eram os seus compromissos.

Vozes do PS: — Muito bem!

Protestos do Deputado do CDS-PP Filipe Anacoreta Correia.

O Sr. Luís Soares (PS): — E esta é, porventura, uma matéria paradigmática a esse nível.

Aplausos do PS.

Dizia ainda o Sr. Deputado Jorge Falcato, e bem, que é tempo de pensar no que foi feito, mas é também

tempo de avançar para o que falta fazer.

Queria salientar a forma transparente, a forma clara com que a Sr.ª Secretária de Estado da Inclusão das

Pessoas com Deficiência e o Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Saúde deram explicações relativamente às

dificuldades que algumas medidas que estão em fase de implementação ainda comportam, precisamente devido

à sua fase inicial de implementação, mas também a forma clara com que disseram que medidas, que estratégias

têm para continuar a avançar nesse mesmo caminho.

Portanto, Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados, creio que há uma conclusão significativa a tirar deste debate,

que é uma ideia clara: o Partido Socialista sabe o que tem feito, o Partido Socialista sabe por onde quer caminhar

e, acima de tudo, todos os partidos querem avançar nesta matéria, mas não há ninguém que queira avançar

mais do que o Partido Socialista. Todos queremos avançar — pode ser na mesma medida, mas não mais, do

que o Partido Socialista — e, por isso, o Governo está de parabéns.

Aplausos do PS.

Protestos da Deputada do PSD Sandra Pereira.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado José Soeiro,

do Bloco de Esquerda.

O Sr. José Moura Soeiro (BE): — Sr. Presidente, queria começar por saudar novamente as pessoas com

deficiência e também os cuidadores e as cuidadoras que estão a assistir a este debate. Hoje mesmo, esperamos

dar um passo importante com a baixa à respetiva comissão, para discussão na especialidade, da proposta de

criação de um estatuto do cuidador, e esperamos poder contar também com o empenho do Governo para

concretizar o estatuto do cuidador informal.

Srs. Membros do Governo, queria falar concretamente neste debate sobre o sistema de atribuição de

produtos de apoio, que já foi abordado. É verdade que, ao nível da segurança social, houve uma recuperação

dos atrasos que existiam, mas os prazos continuam a não ser cumpridos — nomeadamente, é largamente

ultrapassado o prazo dos 60 dias, que era o prazo expectável para estes processos.

Na área da saúde, reconhecemos que houve uma desburocratização do processo relativamente ao que havia

no tempo do Governo anterior, da direita — desburocratização essa, aliás, que foi uma exigência dos

movimentos das pessoas com deficiência e uma exigência do Bloco de Esquerda, que apoiou essa medida e

que facilitou o acesso —, mas persistem problemas gritantes.

Um exemplo é o dos cateteres externos, ou dos produtos de ostomia pediátrica, os sacos para crianças que

estão ostomizadas, que deviam estar a ser pagos, porque fazem parte da lista de produtos de apoio, mas que,

depois, não entraram na lista de dispositivos médicos que são comparticipados. Portanto, ficam num limbo e,

por exemplo, há famílias que gastam 45 €/mês nesses cateteres, que não são comparticipados.

O segundo problema, que já foi referido, é o das fraldas. O Decreto-Lei sobre os produtos de apoio é muito

claro: no seu artigo 5.º, diz que a atribuição é feita «de forma gratuita e universal». Ora, sabemos que dantes

Páginas Relacionadas
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 64 24 O Sr. Pedro Filipe Soares (BE): — Concluindo,
Pág.Página 24
Página 0025:
24 DE MARÇO DE 2018 25 isso que a Câmara Municipal da Praia da Vitória quer saber,
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 64 26 O Sr. João Vasconcelos (BE): — Sr. Presidente,
Pág.Página 26
Página 0027:
24 DE MARÇO DE 2018 27 assumam os custos resultantes dos impactos na saúde pública
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 64 28 O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr. Pr
Pág.Página 28
Página 0029:
24 DE MARÇO DE 2018 29 Também o registo de níveis elevados de contaminação radioati
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 64 30 Quer parecer-nos que seria útil haver algum en
Pág.Página 30