O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

24 DE MARÇO DE 2018

59

Fonte: Festas, M. I, Seixas, A.M.; Matos A. E Fernandes, P. (2014) «Os Tempos na Escola: estudo

comparativo da carga horária em Portugal e noutros países» — Fundação Francisco Manuel dos Santos,

https://www.ffms.pt/FileDownload/34bcf694-4883-41ee-ad4b-6a77786c0c29/os-tempos-na-escola

As autoras concluem que «Tomando como referência os países em que é possível fazer comparações,

Portugal é um dos que mais tempo dedica à Educação Física no ISCED 3, tal como acontecia no ISCED 2 (pelo

menos em relação àqueles que tinham o mesmo número de anos). Nos tempos totais o nosso país é o primeiro

em relação aos que têm o mesmo número de anos no ISCED 3 (três anos) e o segundo no conjunto dos que

foram estudados. Quanto à percentagem de tempo que a Educação Física ocupa na carga letiva deste nível de

ensino, Portugal está em primeiro lugar.»

Fonte: idem

O argumento subjacente a estes projetos é o de que «o aluno não liga à disciplina pois ela não conta para a

média...». Qualquer docente sabe que os alunos dedicam-se Às disciplinas se os professores têm vocação e os

entusiasmam para as disciplinas. Não são os exames que motivam os alunos, quando muito obrigam-nos a

estudar.

Qualquer aluno ao longo da sua escolaridade (do 1.º ao 12.º ano) tem inúmeras disciplinas. Entre todas só

algumas se podem considerar que contam para a média. Por exemplo, no 9.º ano só há exames nacionais nas

disciplinas de Português e Matemática, que ponderam nas classificações finais de cada uma das disciplinas.

Mal estariam todas as disciplinas do ensino básico (do 1.º ao 9.º), na qual também está a Educação Física

incluída, se esse argumento fosse válido e se um maior ou menor interesse ou desprezo por uma qualquer

disciplina viesse por ela não contar para uma média, ou por ela ter ou não ter exames nacionais. Será que os

proponentes destes projetos, e quem os apoia, sugerem quetodas as disciplinas do currículo devam contar para

a média? É que tal não acontece.

Em Portugal, o ensino secundário caracteriza-se por ser um patamar preparatório para a área que os alunos

pretendem prosseguir. Como tal, o elenco das disciplinas de cada curso é o formado por disciplinas consideradas

relevantes para essa área, umas obrigatórias, por exemplo a Educação Física, outras opcionais (próximas da

área a prosseguir ou da área de interesse do aluno). Um aluno candidato a Direito não é obrigado a ter Biologia,

assim como um aluno candidato a Biologia não é obrigado a ter Literatura, abrindo-se, porém, uma exceção em

duas disciplinas — qualquer candidato em qualquer prosseguimento de estudos tem de ter sucesso (passar) a

Português e a Educação Física.

Páginas Relacionadas
Página 0055:
24 DE MARÇO DE 2018 55 ——— Relativas aos projetos de resolução n.os 1
Pág.Página 55