O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 10

6

Sr.as e Srs. Deputados, este debate foi proposto pela Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização

Administrativa e, portanto, está aqui com toda a dignidade inerente a esse facto. Antes de ser aprovado em

Conferência de Líderes, houve uma proposta da Comissão.

Passamos à frente, Srs. Deputados?

Pausa.

O Sr. António Leitão Amaro (PSD): — Sr. Presidente, siga a ordem de dimensão dos grupos parlamentares,

é o mais adequado.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, não há ordens nem desordens, há inscrições.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr. Presidente, permite-me o uso da palavra para uma

interpelação à Mesa, que penso poder resolver a questão?

O Sr. Presidente: — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Sr. Presidente, penso que havia a convicção — pelo menos era

a do Grupo Parlamentar do CDS — de que, como este era um debate atípico, proposto por uma Comissão,

como disse o Sr. Presidente, se seguiria o modelo em que os grupos parlamentares usariam da palavra do mais

pequeno para o maior.

A minha proposta resolve o problema, porque, tendo intervindo o Grupo Parlamentar do PCP, o grupo

seguinte seria o do CDS e, pela minha parte, falarei de seguida, desde que se adote essa regra e que, a partir

daí, as intervenções sejam por ordem de grandeza. Se as intervenções forem só por ordem de inscrição, não

faço menção de me inscrever, quando os outros grupos parlamentares também não fazem essa menção.

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado, evidentemente, não ficou nada resolvido em Conferência de Líderes

sobre a ordem das inscrições.

Do meu ponto de vista estritamente político-pessoal, seria a Comissão de Orçamento, Finanças e

Modernização Administrativa que devia começar por explicar o porquê da proposta deste debate. Porém, como

não foi reservado tempo para a Comissão, estou de acordo que seja o Sr. Deputado a intervir. Mas também não

estamos a respeitar, por completo, a ordem de grandeza crescente, porque, se não, tínhamos de ter começado

por Os Verdes.

O Sr. João Pinho de Almeida (CDS-PP): — Mas Os Verdes não vão intervir, Sr. Presidente!

O Sr. Presidente: — Os Verdes não vão usar da palavra neste debate?

O Sr. José Luís Ferreira (Os Verdes): — Não, Sr. Presidente.

O Sr. Presidente: — Então, se os Srs. Deputados do PSD não se opõem, dou a palavra…

O Sr. Paulo Trigo Pereira (PS): — Sr. Presidente, peço desculpa, permite-me o uso da palavra?

O Sr. Presidente: — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Paulo Trigo Pereira (PS): — Sr. Presidente, a minha interpelação é no sentido de manifestar que não

tenho qualquer objeção àquilo que o Deputado João Almeida e o Grupo Parlamentar do PSD sugeriram, mas

convém não esquecer que um grupo parlamentar pode não esgotar o seu tempo na primeira intervenção e fazer

uma segunda intervenção.

Portanto, queria só alertar relativamente a este assunto, porque…

Páginas Relacionadas