O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 24

52

potencialidades, sempre contou com a determinação de Manuel Joaquim Rodrigues Masseno na defesa de

respostas para o presente e de caminhos para o futuro para as pessoas e para os territórios da planície

alentejana.

Cidadão sempre comprometido com Beja e com a região do Baixo Alentejo tinha como lema de vida a

preocupação constante com a solidariedade e com a desigualdade entre as pessoas, uma referência que

inspirou a sua intervenção nas mais diversas atividades políticas, associativas e cívicas, da Rádio Pax, em que

foi diretor, às tertúlias do Café Luiz da Rocha, referência gastronómica da cidade de Beja.

A memória da sua intervenção cívica, política e partidária perdurará na cidade de Beja e na região do Baixo

Alentejo como inspiração para a importância de uma cidadania ativa na defesa dos valores, dos princípios e das

marcas de identidade que caracterizam as instituições e os territórios.

Assim, a Assembleia da República, reunida em Plenário, manifesta o seu pesar pelo falecimento do seu

antigo Deputado, Manuel Joaquim Rodrigues Masseno, e endereça à sua família e amigos e ao Partido

Socialista as suas mais sentidas condolências.»

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, vamos votar.

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Vamos votar agora o Voto n.º 660/XIII/4.ª (apresentado pelo PAR e subscrito por Deputados do PS e do PSD)

— De pesar pelo falecimento do General Loureiro dos Santos.

Na Galeria estão familiares do General, a quem aproveito para saudar e enviar os meus pêsames.

Peço à Sr.ª Secretária Idália Serrão para ler este voto.

A Sr.ª Secretária (Idália Salvador Serrão): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados, o voto é do seguinte

teor:

«É com profundo pesar que a Assembleia da República assinala o falecimento do General José Alberto

Loureiro dos Santos.

O General Loureiro dos Santos era considerado um dos mais notáveis militares da sua geração, cuja distinta

carreira o levou aos cargos de Vice-Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas e Chefe do Estado-

Maior do Exército. Também na política teve papel de relevo ao desempenhar o cargo de Ministro da Defesa

Nacional nos IV e V Governos Constitucionais.

Nascido a 2 de setembro de 1936, em Vilela do Douro, no concelho de Sabrosa, Vila Real, concluiu com

distinção os estudos secundários em 1953, tendo ganhado o prémio nacional de melhor aluno dos liceus, e

ingressou na Escola do Exército, onde se formou em Artilharia.

Combatente na Guerra Colonial, o General Loureiro dos Santos participou na Revolução de Abril, tendo

assumido o cargo de Secretário do Conselho da Revolução, e foi um elemento ativo no processo de transição

para a democracia em Portugal.

Doutrinador com vasta obra publicada, o General Loureiro dos Santos foi um dos grandes mestres da

moderna escola de Estratégia em Portugal, com um papel fundamental no moldar do pensamento militar do pós-

25 de Abril e na definição teórica da política externa portuguesa.

O General Loureiro dos Santos lecionou no Instituto de Estudos Superiores Militares, de cujo Conselho

Científico fez parte, e no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), no qual foi membro do

Conselho de Honra. Era também membro da Academia das Ciências de Lisboa e do Conselho Geral da

Universidade Nova de Lisboa, como personalidade externa.

Foi membro fundador do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, membro do Centro de Estudos

Estratégicos do Instituto de Altos Estudos Militares, membro do Grupo de Reflexão Estratégica do Ministério da

Defesa Nacional, e participou na Comissão de Revisão do Conceito Estratégico de Defesa Nacional em 2012.

Como comentador de assuntos de estratégia, segurança e defesa, o General Loureiro dos Santos era

presença frequente nos meios de comunicação social, tendo granjeado a admiração do grande público.

Reunida em sessão plenária, a Assembleia da República lamenta profundamente a morte do cidadão ilustre,

do militar exemplar e do pensador ímpar e endereça à família, aos amigos e ao Exército português as mais

sentidas condolências».

Páginas Relacionadas
Página 0057:
30 DE NOVEMBRO DE 2018 57 Submetido à votação, foi aprovado, com votos a favor do P
Pág.Página 57