O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 41

22

Segundo eles, a Federação Portuguesa de Futebol não reconhece as 17 edições do Campeonato de

Portugal, única prova nacional disputada entre 1922 e 1938, dando como vencedores o Futebol Clube do Porto

e o Sporting com quatro campeonatos, o Benfica e o Belenenses com três, o Marítimo, o Olhanense, o

Carcavelinhos — hoje Atlético Clube de Portugal —, com um campeonato cada. Parece que existem dúvidas,

levantando-se a questão se deve qualificar-se como taça de Portugal ou como campeonato de Portugal.

A Federação decidiu proceder à constituição de uma comissão de análise, com investigadores de várias

universidades, para analisar esta pretensão. Por acaso, essa comissão reuniu hoje e esperamos que chegue a

rápidas conclusões.

Segundo o regime jurídico das federações, neste caso em concreto o Estado delega na Federação

Portuguesa de Futebol, a competência de organizar os campeonatos, a sua regulamentação e também a

atribuição de títulos nacionais. Daí a Assembleia da República não ter competência para se pronunciar sobre

esta matéria, mas, naturalmente, espera que a Federação, através desta comissão, esclareça rapidamente esta

situação para que não existam dúvidas relativamente a esta questão dos campeonatos, para que os clubes

saibam se são campeonatos nacionais ou se são taças de Portugal.

Naturalmente, este é um tema que tem sido muito acompanhado pela comunicação social. Sabemos que o

fenómeno desportivo, em particular o futebol, gera grandes paixões e grande acompanhamento por parte das

pessoas. Verificamos que os jornais desportivos têm uma tiragem muito superior à dos outros jornais, daí o

interesse desta modalidade e a paixão que desperta, pelo que é importante o esclarecimento desta matéria. O

tema da petição, para além das assinaturas, desperta, pois, bastante a atenção por parte da imprensa desportiva

e da modalidade.

O que se pretende é que a questão seja rapidamente esclarecida e que o Governo, através do Sr. Secretário

de Estado, também proceda junto da Federação para esse efeito.

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado António Cardoso,

do PS.

O Sr. António Cardoso (PS): — Sr. Presidente, Sr.as Deputadas e Srs. Deputados: Em primeiro lugar, em

nome do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, queremos cumprimentar o Sr. Paulo Alexandre Silva Almeida

e os restantes 4500 subscritores desta petição. Congratulamo-nos pela iniciativa em que se solicita o

reconhecimento das edições do Campeonato de Futebol realizado entre 1922 e 1938.

Sr.as Deputadas e Srs. Deputados, o futebol é uma modalidade desportiva que arrasta multidões, milhares

ou milhões de adeptos, despertando neles paixões inexplicáveis. Essas paixões geram entusiasmos que

atingem o seu expoente máximo na obtenção de títulos.

Deste modo, o Grupo Parlamentar do Partido Socialista dá a melhor atenção à presente petição,

acompanhando com particular interesse as preocupações expressas na mesma, a procura de uma resposta às

pretensões dos seus subscritores, que pretendem o reconhecimento das edições do Campeonato de Portugal

de 1922 a 1938.

Citando a direção da Federação Portuguesa de Futebol, trata-se de um pedido onde existem fundadas

dúvidas acerca da natureza da competição em causa, levantando-se legitimamente a questão de saber se tal

prova se deve qualificar como Campeonato Nacional ou como Taça de Portugal.

Passados quase 100 anos da realização da primeira edição das 16 em causa, cabe à Federação Portuguesa

de Futebol tomar as devidas diligências para apurar a verdade dos factos citados. Solicitada para o efeito, a

direção da Federação Portuguesa de Futebol informou a 12.ª Comissão, de Cultura, Comunicação, Juventude

e Desporto, que deliberou proceder à constituição de uma comissão de análise, composta por investigadores

das áreas do Direito e da História, pertencentes às Universidades do Porto, de Coimbra e de Lisboa.

Esta comissão de análise irá propor que seja tomada uma decisão no sentido de reconhecer se a prova em

questão equivale a uma taça, a um campeonato ou a nenhum deles, por forma a ser submetida à Assembleia

Geral da Federação Portuguesa de Futebol para esclarecimento definitivo se os vencedores das diversas

edições do Campeonato de Portugal devem ser considerados campeões nacionais ou vencedores da taça de

Portugal.

Páginas Relacionadas
Página 0037:
19 DE JANEIRO DE 2019 37 Segue-se, no ponto dois, a discussão, na generalidade, da
Pág.Página 37