O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 52

16

O Sr. Carlos Pereira (PS): — … com a simples questão de que a segunda rede ferroviária que querem

construir, conforme ficou claro na audiência com aquele grupo de pressão do empresário Henrique Neto, custa

só 15 mil milhões de euros. Ó Sr. Deputado, 15 mil milhões de euros é quanto custa quase todo o plano nacional

de investimentos!

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Sr. Deputado, queira terminar, se fizer o favor.

O Sr. CarlosPereira (PS): — O que está em causa é que o País tem um plano de investimentos para a

ferrovia e esse plano não cria uma ilha em Portugal, muito pelo contrário, a tecnologia permite resolver essa

questão e os investimentos que estão em cima da mesa já permitem isso mesmo.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente (José Manuel Pureza): — Para uma intervenção, em nome do Grupo Parlamentar do PSD,

tem a palavra o Sr. Deputado Emídio Guerreiro.

O Sr. EmídioGuerreiro (PSD): — Sr. Presidente, Srs. Membros do Governo, Sr.as e Srs. Deputados:

Começo por agradecer todas as críticas à oportunidade deste debate, pois as próprias críticas evidenciam bem

o incómodo do tema.

Este não é um debate de urgência, ao contrário do que quis dizer o Sr. Deputado Bruno Dias, é um debate

de atualidade.

O Sr. FernandoNegrão (PS): — Muito bem!

O Sr. Bruno Dias (PCP): — E fraturante!

O Sr. EmídioGuerreiro (PSD): — É um debate de atualidade porque, de facto, incide num tema sobre o

qual fomos escutando diversos especialistas, ao longo das últimas semanas, aqui, no Parlamento. Mas parece-

me que os Srs. Deputados dos outros partidos vão às reuniões, questionam os especialistas e, quando saem

da sala, esquecem-se do que ouviram. A atualidade está mesmo aí!

Em 2012, Portugal e Espanha assinaram um convénio para que esta linha que agora está no terreno, e que

liga Sines à Europa, fosse feita em bitola europeia. E não ser assim, foi uma opção deste Governo!

O Sr. CarlosSilva (PSD): — Exatamente!

O Sr. EmídioGuerreiro (PSD): — Eu não estaria preocupado se os nossos vizinhos não estivessem a fazer

o que ficou fechado em 2012.

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Era o tal TGV Lisboa-Madrid!

O Sr. Emídio Guerreiro (PSD): — É que eles estão a trazer a linha deles à nossa fronteira, em bitola

europeia, e por alguma razão já estão construídas, ou em fase de conclusão, três grandes plataformas logísticas

— em Vigo, em Salamanca e em Badajoz —, para acolherem pelo tempo que for necessário as mercadorias

das nossas empresas, que criam emprego e riqueza, enquanto não forem transportadas para o resto da Europa.

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. EmídioGuerreiro (PSD): — E os Srs. Deputados e o Governo continuam com a «cabeça na areia», a

fazer de conta que isto não está a acontecer lá fora. É uma opção vossa, mas só vos responsabiliza a vocês!

O Sr. AntónioLeitãoAmaro (PSD): — É um erro histórico!

Páginas Relacionadas
Página 0015:
15 DE FEVEREIRO DE 2019 15 O Sr. Heitor de Sousa (BE): — … é rigorosamente o mesmo
Pág.Página 15