O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 76

54

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — E nós repetimos: não há qualquer motivo para adiar a resolução deste

problema nem pode haver aqui, no Parlamento, meias-soluções. O que tem de resultar da ação da Assembleia

da República é uma solução definitiva, com o calendário de faseamento proposto pelo PCP, de acordo com a

vontade expressa de milhares e milhares de trabalhadores.

O que não é responsável — também de acordo com algumas palavras hoje aqui matraqueadas várias vezes

— é que, tanto critério, tanta exigência, tantas propostas que têm tantas dificuldades e tanta subserviência aos

ditames e constrangimentos da União Europeia, tudo isso resulte numa coisa que não é praticável.

O Sr. Presidente: — Sr.ª Deputada, já ultrapassou o tempo de que dispunha.

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — Termino já, Sr. Presidente.

Portanto, o que é preciso perguntar é se PSD e CDS vão apoiar o Governo do PS, para que os professores

fiquem sem uma solução definitiva para este problema.

A Sr.ª Laura Monteiro Magalhães (PSD): — Quem apoia o Governo do PS são o PCP e o Bloco! Aprovaram

quatro Orçamentos do Estado!

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — O que é preciso perguntar é se PSD e CDS querem «dar o dito por não dito»

e trair compromissos que assumiram para com os professores.

O Sr. Bruno Dias (PCP): — Exatamente!

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — Esperemos que os professores lhes deem uma resposta à altura!

O Sr. Presidente: — Peço-lhe para concluir, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Ana Mesquita (PCP): — Termino, Sr. Presidente, dizendo o seguinte: agitar o papão das contas e do

retrocesso para o tempo da troica, utilizando os argumentos regados como foram regados aqui pelo Governo,

só indicia a falta de credibilidade dos números que para aqui foram atirados e a falta de vontade política de

resolver este problema.

Aplausos do PCP.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, entretanto, no contexto da apreciação deste Decreto-Lei n.º 36/2019,

de 15 de março, deram entrada na Mesa propostas de alteração ao mesmo, apresentadas pelos Grupos

Parlamentares do PCP, de Os Verdes, do BE, do PSD e do CDS-PP, que baixarão, como manda o Regimento,

à 8.ª Comissão.

Srs. Deputados, terminámos a apreciação, na generalidade, do Projeto de Lei n.º 944/XIII/3.ª (Iniciativa

Legislativa de Cidadãos), juntamente com o Decreto-Lei n.º 36/2019, de 15 de março [Apreciações

Parlamentares n.os 127/XIII/4.ª (PCP), 126/XIII/4.ª (BE) e 129/XIII/4.ª (PSD)] e, com isso, os nossos trabalhos de

hoje.

A próxima sessão plenária realiza-se amanhã, às 10 horas, e terá como ordem do dia o debate quinzenal

com o Primeiro-Ministro, ao abrigo da alínea a) do n.º 2 do artigo 224.º do Regimento, sobre a sustentabilidade

do sistema público da segurança social.

No final do debate, haverá votações regimentais.

Está encerrada a sessão.

Eram 18 horas e 22 minutos.

Presenças e faltas dos Deputados à reunião plenária.

A DIVISÃO DE REDAÇÃO.

Páginas Relacionadas
Página 0047:
17 DE ABRIL DE 2019 47 O Sr. Presidente: — Pelo Governo, tem a palavra, para uma in
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 76 48 Sr.as e Srs. Deputados, este Governo ne
Pág.Página 48
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 76 50 Portanto, Sr. Ministro, eu remeto-lhe agora a
Pág.Página 50
Página 0051:
17 DE ABRIL DE 2019 51 Aplausos do PS. Relativamente às contas, Sr.ª D
Pág.Página 51