O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 85

42

Como é que a Sr.ª Deputada chega hoje ao Plenário da Assembleia da República a dizer que assumiram um

compromisso firme com os professores? Não, Sr.ª Deputada, o vosso compromisso mais firme, de resto, do

PSD, do CDS e do PS, é sempre com os mesmos: com os grandes interesses económicos e financeiros. Para

esses nunca falha, Sr.ª Deputada! Nunca, nunca falha!

A Sr.ª AnaMesquita (PCP): — Exatamente!

A Sr.ª HeloísaApolónia (Os Verdes): — Não assumiram compromisso firme nenhum com os professores.

De resto, o que está aqui hoje anunciado para acontecer é uma traição aos professores e também aos outros

corpos especiais. Uma absoluta traição!

O Sr. Presidente: — Já ultrapassou o tempo de que dispunha, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª HeloísaApolónia (Os Verdes): — Pela parte de Os Verdes, pugnamos a nossa ação por uma grande

coerência e por uma grande lealdade, e é exatamente por isso que vamos votar o texto da Comissão.

Aplausos de Os Verdes e do PCP.

O Sr. Presidente: — Para uma intervenção, tem a palavra, pelo Grupo Parlamentar do PS, o Sr. Deputado

Porfírio Silva.

O Sr. PorfírioSilva (PS): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Quanto à recuperação da carreira

docente, já sabemos que Rui Rio não fez as contas, porque o próprio veio dizer, publicamente, ser impossível

fazer as contas. Mas mesmo sem as contas feitas, no fim da votação, na especialidade, em Comissão, a Vice-

Presidente da bancada, em concertação telefónica permanente com Rui Rio, proclamou um processo onde o

PSD se orgulhava de ter sido o partido fundamental para uma solução responsável e correta. Sem fazer as

contas e sem as cláusulas que ora apresenta, ora deixa cair, o PSD achava responsável e correta uma medida

que, se respeitar a equidade entre carreiras e acrescendo ao descongelamento, custaria, em velocidade de

cruzeiro, 800 milhões de euros por ano de despesa permanente.

Aplausos do PS.

Protestos do PSD.

Entendemos todos para que servem essas cláusulas: se Rui Rio fosse Governo seriam a desculpa de mau

pagador para desonrar o que votaram aqui! Sendo o PS Governo, servirão para Rui Rio continuar a alimentar a

tensão laboral na escola pública.

Depois de o País ter percebido o que o Dr. Rui Rio andava a fazer, voltam as cláusulas, mas nós não

alimentamos quimeras, não temos uma máquina do tempo para mudar o passado, mas cuidamos do futuro. Por

isso, sublinhamos a garantia de Mário Centeno, dizendo aos professores para que serve o diploma: esta carreira

não volta a parar!

Aplausos do PS.

As nossas cláusulas de sustentabilidade são as contas certas, as contas certas de toda uma Legislatura!

Aplausos do PS.

As contas certas que permitiram recuperar rendimentos e direitos, controlando o défice, começando a reduzir

a dívida pública e evitando que viesse o diabo que os senhores chamavam.

Protestos do PSD.

Páginas Relacionadas
Página 0037:
11 DE MAIO DE 2019 37 sociedade com os recursos disponíveis face à situação económi
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 85 38 Vozes do PSD: — Muito bem! <
Pág.Página 38
Página 0039:
11 DE MAIO DE 2019 39 Vozes do PS: — Ah!… A Sr.ª Margarida Man
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 85 40 Aplausos do BE. O Sr. Pre
Pág.Página 40
Página 0041:
11 DE MAIO DE 2019 41 A Sr.ª AnaMesquita (PCP): — Viabilizar isto, Sr.as e S
Pág.Página 41
Página 0043:
11 DE MAIO DE 2019 43 Não aprovamos as cláusulas da direita que servem apena
Pág.Página 43
Página 0044:
I SÉRIE — NÚMERO 85 44 … em que o futuro não seria nem a maior
Pág.Página 44
Página 0045:
11 DE MAIO DE 2019 45 c. E, no caso dos docentes posicionados no 9.º e no 10.º esca
Pág.Página 45