O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 15

28

O Sr. Primeiro-Ministro: — Sr. Presidente, Sr. Deputado José Luís Ferreira, respondo telegraficamente.

Creio, aliás, que já tinha respondido, mas mais vale repetir. Não haverá qualquer compensação, seja pelo

encerramento da central do Pego, seja pelo encerramento da central de Sines. Não haverá qualquer

compensação.

Em segundo lugar, está a ser desenvolvido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) um

projeto financiado pelo fundo ambiental para estudar as necessidades de requalificação dos trabalhadores que

dela precisem, visto que uma das hipóteses relativamente à central do Pego, pelo menos, é a de poder ter uma

reutilização com outro tipo de combustível.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Tem agora a palavra o Sr. Deputado André Ventura para formular perguntas.

O Sr. André Ventura (CH): — Sr. Presidente, Sr. Primeiro-Ministro, já lhe colocámos esta questão em sede

própria — aliás, também a colocámos na 1.ª Comissão —, mas não obtivemos resposta. No entanto, volto a

colocá-la aqui diretamente.

Num momento em que não conseguimos pagar às nossas Forças Armadas aquilo que efetivamente

deveríamos pagar, pergunto-lhe olhos nos olhos: temos, ou não, um plano para ir buscar os familiares dos

combatentes jihadistas à Síria? Pergunto-lhe com toda a abertura e frontalidade: temos, ou não, um plano para

gastar dinheiro de Portugal em pessoas que, segundo disseram, continuam a querer matar-nos a todos? É isto

que lhe pergunto diretamente.

O Sr. Presidente: — Para responder, tem a palavra o Sr. Primeiro-Ministro.

O Sr. Primeiro-Ministro: — Sr. Presidente, Sr. Deputado André Ventura, não, não temos qualquer plano

para ir buscar as famílias de antigos jihadistas à Síria.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Continua no uso da palavra o Sr. Deputado André Ventura.

O Sr. André Ventura (CH): — Sr. Presidente, Sr. Primeiro-Ministro, agradeço o seu esclarecimento.

Há três questões que gostávamos de lhe colocar, sendo a primeira relativa à área da saúde.

O Sr. Deputado Sérgio Sousa Pinto disse que era anedótico achar que a saúde não está a cair aos bocados

e o seu líder parlamentar disse que todos os dias recebe queixas acerca do Sistema Nacional de Saúde.

Pergunto-lhe se a estimativa orçamental é a de voltarmos a ter um défice que seria de 90 milhões e acabou em

550 milhões de euros.

Pergunto-lhe também o que dizer do despacho do Secretário de Estado que proibiu mais contratações no

Serviço Nacional de Saúde. Na verdade, se queremos melhorar o Serviço Nacional de Saúde, não podemos

dizer que não se podem contratar mais pessoas.

Protestos da Deputada do PS Maria Antónia de Almeida Santos.

Por fim, pergunto-lhe, Sr. Primeiro-Ministro, já que o seu Ministro do Ambiente aplaudiu a chegada da jovem

Greta a Portugal e já que gosta tanto de piscar o olho ao PAN, ao PEV e ao PCP, como é possível que ninguém

nesta Casa o tenha questionado sobre o facto de Portugal ter caído oito posições — oito! — no tal famoso

ranking do ambiente e das alterações climáticas. Não era suposto ser o Chega a fazer aqui este papel, mas

somos obrigados a fazê-lo, porque, aparentemente, mais ninguém o quer fazer.

Protestos de Deputados do PS.

Obrigado! Eu oiço bem!

Páginas Relacionadas
Página 0029:
11 DE DEZEMBRO DE 2019 29 O Sr. Presidente: — Peço-lhe para concluir, Sr. De
Pág.Página 29