O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

15 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013

2 — Os níveis previstos na tabela anterior refletem o estado de conservação do locado e a existência de infraestruturas básicas, constando de diploma próprio as diretrizes para a sua fixação.
3 — A determinação do estado de conservação do locado é realizada por arquiteto ou engenheiro inscrito na respetiva ordem profissional.
4 — Ao locado aplica-se o coeficiente imediatamente inferior ao correspondente ao seu estado de conservação quando o arrendatário demonstre que o estado do prédio se deve a obras por si realizadas, sendo aplicado um coeficiente intermédio, determinado de acordo com a equidade, caso o senhorio demonstre ter também efetuado obras de conservação.
5 — O disposto no número anterior não implica atribuição de distinto nível de conservação sempre que o mesmo seja igual ou superior a 3.’»

Artigo 2.º Alteração ao Código do Imposto Municipal sobre Imóveis, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 287/2003, de 12 de novembro

O Governo aprova, no prazo de 90 dias, alteração à Secção II do Capítulo VI do Código do Imposto Municipal sobre Imóveis, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 287/2003, de 12 de novembro, por forma a que o produto do valor da avaliação realizada nos termos dos artigos 38.º e seguintes do mesmo Código tenha ainda em consideração o estado de conservação do imóvel.

Artigo 3.º Entrada em vigor

A presente lei entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.

Palácio de São Bento, 28 de fevereiro de 2013.
Os Deputados do PS: Mota Andrade — Carlos Zorrinho — Odete João — Pedro Farmhouse — Miguel Laranjeiro — Paulo Pisco — Eurídice Pereira — Maria Helena André — Jorge Fão — Sónia Fertuzinhos — Miguel Freitas — António Braga — Luísa Salgueiro — Rui Paulo Figueiredo.

———

PROJETO DE LEI N.º 368/XII (2.ª) PROTEÇÃO DOS DIREITOS INDIVIDUAIS E COMUNS À ÁGUA

Que estabelece o direito fundamental à água e ao saneamento e disposições de proteção desse direito, bem como do direito à água como ambiente e os direitos comuns à água e à propriedade pública da água como recurso e à sua gestão no interesse coletivo, hierarquizando as utilizações da água e impedindo a Consultar Diário Original

Páginas Relacionadas
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 privatização e a mercantilização do
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 garantindo a fruição dos direitos d
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 direitos humanos; o artigo 16.º da
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 naturais, salvaguardando a sua capa
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 necessidade humana, a segurança, o
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 090 | 28 de Fevereiro de 2013 Artigo 3.° Delimitação de acesso a
Pág.Página 21