O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

20 DE JUNHO DE 2013

135

7 - Se a autorização referida no n.º 1 for revogada, a empresa ou estabelecimento deve adotar serviços

internos no prazo de seis meses.

Artigo 81.º

Atividades exercidas pelo empregador ou por trabalhador designado

1 - Na empresa, estabelecimento ou conjunto de estabelecimentos distanciados até 50 km do de maior

dimensão que empregue no máximo nove trabalhadores e cuja atividade não seja de risco elevado as

atividades de segurança no trabalho podem ser exercidas diretamente pelo próprio empregador se possuir

formação adequada e permanecer habitualmente nos estabelecimentos.

2 - Nas situações referidas no número anterior, o empregador pode designar um ou mais trabalhadores

para se ocuparem de todas ou algumas das atividades de segurança no trabalho desde que possuam

formação adequada e disponham do tempo e dos meios necessários.

3 - O exercício das atividades previsto nos n.os

1 e 2 depende de autorização concedida pelo organismo

competente para a promoção da segurança e saúde no trabalho do ministério responsável pela área laboral.

4 - Para efeitos do número anterior, o requerimento de autorização deve ser, preferencialmente, efetuado

por via eletrónica, nos termos do artigo 96.º-A.

5 - [Revogado].

6 - A autorização referida no n.º 3 deve ser revogada sempre que se verifique alguma das seguintes

circunstâncias:

a) Na empresa, no estabelecimento ou conjunto de estabelecimentos tiver ocorrido um acidente de

trabalho mortal por violação de regras de segurança e de saúde no trabalho imputável ao empregador;

b) O empregador tiver sido condenado, nos dois últimos anos, pela prática de contraordenação muito

grave em matéria de segurança e de saúde no trabalho ou em reincidência pela prática de contraordenação

grave em matéria de segurança e de saúde no trabalho;

c) O empregador não tiver comunicado ao organismo com competência em matéria de promoção da

segurança e saúde no trabalho do ministério responsável pela área laboral a verificação da alteração dos

elementos que fundamentaram a autorização, no prazo de 30 dias.

7 - No caso referido no número anterior, o empregador deve adotar outra modalidade de organização do

serviço de segurança e de saúde no trabalho, no prazo de 90 dias.

8 - À formação adequada referida nos números anteriores aplica-se o disposto no n.º 2 do artigo 77.º

9 - Os trabalhadores designados nos termos do n.º 2 não podem ser prejudicados por se encontrarem no

exercício das atividades mencionadas.

10 - O organismo com competência para a promoção da segurança e saúde no trabalho do ministério

responsável pela área laboral dispõe de 45 dias a contar da data de entrada do requerimento para conceder a

autorização referida no n.º 3, considerando-se a mesma, na ausência de decisão expressa, tacitamente

deferida.

11 - Constitui contraordenação muito grave o exercício das atividades referidas nos n.os

1 e 2 sem

autorização.

SECÇÃO III

Serviço comum

Artigo 82.º

Comunicação de serviço comum

1 - O serviço comum é instituído por acordo entre várias empresas ou estabelecimentos pertencentes a

sociedades que não se encontrem em relação de grupo nem sejam abrangidas pelo disposto no n.º 3 do artigo

78.º, contemplando exclusivamente os trabalhadores por cuja segurança e saúde aqueles são responsáveis.

2 - O acordo que institua o serviço comum deve ser celebrado por escrito e comunicado ao organismo com

Páginas Relacionadas
Página 0082:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 82 PROPOSTA DE LEI N.º 156/XII (2.ª) P
Pág.Página 82
Página 0083:
20 DE JUNHO DE 2013 83 Nos termos da alínea d) do n.º 1 do artigo 197.º da Constitu
Pág.Página 83
Página 0084:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 84 b) Diretiva 92/85/CEE, do Conselho, de 19
Pág.Página 84
Página 0085:
20 DE JUNHO DE 2013 85 dos serviços de segurança e saúde no trabalho, bem como a qu
Pág.Página 85
Página 0086:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 86 falta, os próprios trabalhadores sobre:
Pág.Página 86
Página 0087:
20 DE JUNHO DE 2013 87 b) Até 31 de maio de 2015 as misturas perigosas que, nos ter
Pág.Página 87
Página 0088:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 88 Artigo 47.º […] 1 - [
Pág.Página 88
Página 0089:
20 DE JUNHO DE 2013 89 i) Carcinogenicidade, categorias 1A, 1B ou 2; ii) Tox
Pág.Página 89
Página 0090:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 90 3 - São proibidas ao menor as atividades e
Pág.Página 90
Página 0091:
20 DE JUNHO DE 2013 91 b) […]; c) Utilização de cubas, tanques, reservatório
Pág.Página 91
Página 0092:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 92 houver meios suficientes para desenvolver
Pág.Página 92
Página 0093:
20 DE JUNHO DE 2013 93 2 - Sem prejuízo da sua autonomia técnica, os técnicos que a
Pág.Página 93
Página 0094:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 94 circunstâncias: a) Na empresa, no e
Pág.Página 94
Página 0095:
20 DE JUNHO DE 2013 95 3 - [Revogado]. 4 - […]. Artigo 84.º […
Pág.Página 95
Página 0096:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 96 2 - […]. 3 - […]: a)
Pág.Página 96
Página 0097:
20 DE JUNHO DE 2013 97 2 - […]. 3 - […]. 4 - […]. 5 - […].
Pág.Página 97
Página 0098:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 98 2 - […]. 3 - […]. Art
Pág.Página 98
Página 0099:
20 DE JUNHO DE 2013 99 autorizações emitidas, expressa ou tacitamente, com indicaçã
Pág.Página 99
Página 0100:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 100 l) Conceber e desenvolver o programa de i
Pág.Página 100
Página 0101:
20 DE JUNHO DE 2013 101 Artigo 96.º-A Balcão único e registos informáticos <
Pág.Página 101
Página 0102:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 102 Artigo 6.º Norma revogatória <
Pág.Página 102
Página 0103:
20 DE JUNHO DE 2013 103 Artigo 2.º Transposição de diretivas comunitárias
Pág.Página 103
Página 0104:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 104 Artigo 4.º Conceitos
Pág.Página 104
Página 0105:
20 DE JUNHO DE 2013 105 c) A determinação das substâncias, agentes ou processos que
Pág.Página 105
Página 0106:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 106 das doenças profissionais de modo a contr
Pág.Página 106
Página 0107:
20 DE JUNHO DE 2013 107 Artigo 11.º Normalização 1 - As normas
Pág.Página 107
Página 0108:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 108 segurança no trabalho, por forma a garant
Pág.Página 108
Página 0109:
20 DE JUNHO DE 2013 109 i) Substituição do que é perigoso pelo que é isento de peri
Pág.Página 109
Página 0110:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 110 a) A empresa utilizadora, no caso de trab
Pág.Página 110
Página 0111:
20 DE JUNHO DE 2013 111 CAPÍTULO III Consulta, informação e formação dos tra
Pág.Página 111
Página 0112:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 112 Artigo 19.º Informação dos trabalh
Pág.Página 112
Página 0113:
20 DE JUNHO DE 2013 113 CAPÍTULO IV Representantes dos trabalhadores para a
Pág.Página 113
Página 0114:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 114 2 - A comissão de segurança e de saúde no
Pág.Página 114
Página 0115:
20 DE JUNHO DE 2013 115 b) O empregador deve afixá-la de imediato em local apropria
Pág.Página 115
Página 0116:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 116 Artigo 31.º Caderno eleitoral
Pág.Página 116
Página 0117:
20 DE JUNHO DE 2013 117 Artigo 36.º Ato eleitoral 1 - As urnas
Pág.Página 117
Página 0118:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 118 Artigo 40.º Início de ativi
Pág.Página 118
Página 0119:
20 DE JUNHO DE 2013 119 f) As bactérias da brucela, da sífilis, o bacilo da tubercu
Pág.Página 119
Página 0120:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 120 existência de riscos para o património ge
Pág.Página 120
Página 0121:
20 DE JUNHO DE 2013 121 registos de dados e conservação de documentos, o empregador
Pág.Página 121
Página 0122:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 122 2 - Na situação prevista no número anteri
Pág.Página 122
Página 0123:
20 DE JUNHO DE 2013 123 Artigo 53.º Agentes químicos É proibid
Pág.Página 123
Página 0124:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 124 e) Temperaturas extremas, de frio ou de c
Pág.Página 124
Página 0125:
20 DE JUNHO DE 2013 125 a) Fabrico de auramina; b) Trabalhos suscetíveis de
Pág.Página 125
Página 0126:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 126 f) Poeiras, fumos ou névoas produzidos du
Pág.Página 126
Página 0127:
20 DE JUNHO DE 2013 127 a) Toxicidade aguda, categorias 1, 2 ou 3; b) Corros
Pág.Página 127
Página 0128:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 128 SECÇÃO II Trabalho condicionado a
Pág.Página 128
Página 0129:
20 DE JUNHO DE 2013 129 e) Cetonas; f) Cloronaftalenos; g) Enzimas pr
Pág.Página 129
Página 0130:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 130 Artigo 73.º-A Objetivos
Pág.Página 130
Página 0131:
20 DE JUNHO DE 2013 131 a) Resultados das avaliações de riscos profissionais; <
Pág.Página 131
Página 0132:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 132 Artigo 74.º-A Qualificação do serv
Pág.Página 132
Página 0133:
20 DE JUNHO DE 2013 133 certificação das entidades formadoras, com as adaptações co
Pág.Página 133
Página 0134:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 134 j) Atividades que impliquem a exposição a
Pág.Página 134
Página 0136:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 136 competência para a promoção da segurança
Pág.Página 136
Página 0137:
20 DE JUNHO DE 2013 137 a) Ao organismo competente para a promoção da segurança e s
Pág.Página 137
Página 0138:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 138 2 - Caso o requerimento de autoriz
Pág.Página 138
Página 0139:
20 DE JUNHO DE 2013 139 f) Relação dos equipamentos de trabalho a utilizar na sede
Pág.Página 139
Página 0140:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 140 3 - Cada um dos organismos competentes re
Pág.Página 140
Página 0141:
20 DE JUNHO DE 2013 141 a) Apreciação do requerimento de autorização ou de alteraçã
Pág.Página 141
Página 0142:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 142 SUBSECÇÃO III Acompanhamento e aud
Pág.Página 142
Página 0143:
20 DE JUNHO DE 2013 143 Artigo 96.º-A Balcão único e registos informáticos <
Pág.Página 143
Página 0144:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 144 3 - O organismo competente para a promoçã
Pág.Página 144
Página 0145:
20 DE JUNHO DE 2013 145 a) Em estabelecimento industrial ou estabelecimento de outr
Pág.Página 145
Página 0146:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 146 Artigo 109.º Ficha clínica
Pág.Página 146
Página 0147:
20 DE JUNHO DE 2013 147 Artigo 112.º Informação sobre a atividade anual do s
Pág.Página 147
Página 0148:
II SÉRIE-A — NÚMERO 155 148 da presente lei para adaptarem os seus es
Pág.Página 148