O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

22 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013

novas tecnologias de segurança como pré-requisito para o crescimento sustentável e, por fim, a investigação das novas ou acrescidas formas de exposição ocupacional a agentes químicos e biológicos.
Esta abordagem foi escolhida para enfatizar o facto da pesquisa em saúde e segurança no trabalho poder contribuir para a concretização dos objetivos fixados para a Estratégia Europa 2020. Destaca os desafios económicos, sociais e tecnológicos globais que a União Europeia enfrenta, com o objetivo de mostrar o seu impacto sobre o mundo do trabalho e, consequentemente, sobre as prioridades da investigação em matéria de segurança e saúde no trabalho.
De acordo com o relatório, as condições de trabalho saudáveis e seguras estão intimamente associadas com a produtividade e o desempenho das empresas. O ambiente de trabalho desempenha um papel crucial no aumento do potencial da força de trabalho e é um fator de competitividade importante. Com o objetivo de inovar e oferecer rapidez e eficiência, as empresas europeias dependem para a sua sobrevivência e expansão de uma força de trabalho empenhada num ambiente de trabalho de alta qualidade, usufruindo de condições de trabalho seguras e saudáveis.

AGÊNCIA EUROPEIA PARA A SEGURANÇA E A SAÚDE NO TRABALHO - European Survey of Enterprises on New and Emerging Risks [Em linha]: managing safety and health at work. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2010. 156 p. ISBN 978-92-9191-327-5. [Consult. 13 ago. 2013].
Disponível em: WWW: Resumo: O Inquérito Europeu às Empresas e Riscos Novos e Emergentes (ESENER) analisa como se processa, na prática, a gestão da saúde e segurança nos locais de trabalho na Europa. O inquérito atribui igualmente especial atenção à gestão dos riscos psicossociais, aos fatores que representam um impulso ou um obstáculo à ação e à participação dos trabalhadores na gestão da saúde e segurança. Este inquérito incluiu aproximadamente 36 000 entrevistas a gestores e representantes dos trabalhadores em matéria de saúde e segurança, em 2009. O inquérito abrangeu estabelecimentos dos setores privado e público com 10 ou mais funcionários nos 27 Estados-membros da UE, bem como na Croácia, Turquia, Noruega e Suíça. Nesse sentido, proporciona aos decisores políticos dados comparáveis no plano transnacional, relevantes para a conceção e implementação de novas políticas nesta área.

ALLI, Benjamin O. - Princípios fundamentais de segurança e saúde no trabalho. Genebra: Organização Internacional do Trabalho, 2008. 225 p. ISBN 978-989-95039-3-9. Cota: 44 - 353/2011 Resumo: Este livro da Organização Internacional do Trabalho “ç um guia prático para o desenvolvimento de políticas e programas eficazes de segurança e saúde no trabalho, baseado nas disposições das normas e instrumentos fundamentais da OIT em matérias de segurança e saúde no trabalho. Debruça-se sobre os tópicos essenciais de promoção e gestão de sistemas nacionais e empresariais e apresenta uma visão geral resumida das temáticas envolvidas, bem como linhas de orientação específicas para a sua conceção, implementação e gestão, tanto a nível nacional como ao nível das empresas. Os aspetos operacionais do preenchimento dos requisitos de segurança e saúde são também abordados, com secções detalhadas dedicadas à legislação e à aplicação da lei, à vigilância da saúde dos trabalhadores e às medidas de prevenção e proteção, tais como a educação e a formação em matçria de saõde”. [Nota ed.].

BELIN, Alice, [et al.] - Occupational health and safety risks for the most vulnerable workers [Em linha].
Brussels: European Parliament, 2011. PE 464.436. [Consult. 14 ago. 2013]. Disponível em: WWW: Resumo: O mundo do trabalho na Europa sofreu uma evolução muito rápida nas últimas décadas, face a tendências gerais. A globalização tem sido uma das forças por detrás do aumento da utilização de contratos temporários e atípicos, as migrações internas e externas levaram a um rápido aumento do número de trabalhadores migrantes nos Estados-membros da União Europeia e o número de mulheres trabalhadoras também aumentou consideravelmente. As tendências demográficas atuais compreendem um envelhecimento geral da população europeia e, consequentemente, da força de trabalho.
Este estudo aborda as questões da segurança no trabalho e da saúde ocupacional relativamente a sete categorias de trabalhadores mais vulneráveis: mulheres trabalhadoras, trabalhadores com deficiência,

Páginas Relacionadas
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 PROPOSTA DE LEI N.º 156/XII (2.ª) (PRO
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 fevereiro, regulamentado nesta matéria
Pág.Página 16
Página 0017:
17 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 PARTE III – POSIÇÃO DO AUTOR O a
Pág.Página 17
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 Palácio de S. Bento, 8 de outubro de 2
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 favoráveis do PSD e do CDS-PP, fixar e
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 II. Apreciação da conformidade dos req
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 algumas regras da diretiva quadro rela
Pág.Página 21
Página 0023:
23 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 trabalhadores idosos, jovens trabalhad
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 legislador; às instâncias europeias e
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 – Diretiva 91/383/CEE5 do Conselho, de
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 – Diretiva 98/24/CE15 do Conselho, de
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 No que respeita à liberdade de prestaç
Pág.Página 27
Página 0028:
28 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 O artigo 32.º estatui sobre as “compet
Pág.Página 28
Página 0029:
29 | II Série A - Número: 006 | 9 de Outubro de 2013 Pareceres / contributos enviados pelo Go
Pág.Página 29