O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

17 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014

Para este resultado concorreu uma melhoria do saldo de todas as balanças, destacando-se a forte correção do saldo conjunto da balança de bens e serviços, cujo défice se reduziu de 7,7% do PIB, em 2010, para 1,1%, em 2013.
Prevê-se, assim, um excedente sempre superior a 4% para o horizonte de previsão (2014-2018). A melhoria do saldo da balança corrente e de capital traduz um dos principais ajustamentos ocorridos na economia portuguesa na sequência do programa de ajustamento iniciado em 2011, permitindo assim diminuir o elevado nível de endividamento externo. Gráfico I.3. Evolução da Posição de Investimento Internacional (em % do PIB) Gráfico I.4. Capacidade/Necessidades de Financiamento da Economia Portuguesa (em % do PIB) -140
-120
-100
-80
-60
-40
-20
20
00
20
01
20
02
20
03
20
04
20
05
20
06
20
07
20
08
20
09
20
10
20
11
20
12
20
13
20
14
20
15
20
16
20
17
20
18
Posição de Investimento Internacional Saldo Acumulado Balança Corrente
-15.0
-10.0
-5.0
0.0
5.0
10.0
15.0
2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Bal. Corrente e de Capital Bal. Bens
Bal. Corrente Nec./Capac. Fin. excl. Bal. Energética Fontes: INE e Ministério das Finanças.
Nota: Saldo da balança corrente acumulado com ano base 1996.
Fontes: INE e Ministério das Finanças.
Nota: Assume-se que o saldo da balança energética evolui de acordo com o projetado para as exportações e importações. A evolução dos preços, mais precisamente do IPC, deverá retomar uma trajetória moderadamente ascendente, em linha com a progressiva redução do hiato do produto e com o crescimento da procura interna. Note-se que as expectativas para a inflação encontram-se ainda assim ancoradas num valor inferior à taxa de referência para a Política Monetária, permitindo que Portugal continue a ganhar competitividade intercomunitariamente, não se esperando pressões salariais tendo em conta a ainda elevada taxa de desemprego estimada para o horizonte de previsão, e um reduzido impacto do aumento da taxa normal do IVA em 0,25 p.p.
Ao nível do mercado de trabalho, tem-se observado uma melhoria nos indicadores, prevendo-se uma redução da taxa de desemprego, de curta e longa duração, no horizonte de previsão. Assim, em 2014, a taxa de desemprego deverá fixar-se nos 15,4% (valor inferior aos 16,3% do ano anterior), evoluindo para uma taxa de 13,2% em 2018, movimento que será ancorado no crescimento da população empregada, após as reduções verificadas desde 2009. Neste contexto, a taxa de desemprego deverá convergir a um ritmo mais elevado para o seu valor estrutural.

Páginas Relacionadas
Página 0002:
2 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Ministério das Finanças Documento
Pág.Página 2
Página 0003:
3 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Índice INTRODUÇÃO I. Enquadramento Macro
Pág.Página 3
Página 0004:
4 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 V.1.3. Revisão / Execução da Lei de Enqu
Pág.Página 4
Página 0005:
5 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Índice de quadros Quadro I.1. Cresciment
Pág.Página 5
Página 0006:
6 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Índice de gráficos Gráfico I.1. Contribu
Pág.Página 6
Página 0007:
7 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 INTRODUÇÃO O Documento de Estratég
Pág.Página 7
Página 0008:
8 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 I. ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO I.1. Enq
Pág.Página 8
Página 0009:
9 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 condições de financiamento entre os país
Pág.Página 9
Página 0010:
10 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro I.1. Agregados de Crédito Bancár
Pág.Página 10
Página 0011:
11 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 se, no entanto, uma desaceleração parti
Pág.Página 11
Página 0012:
12 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 pendência da análise abrangente (“compr
Pág.Página 12
Página 0013:
13 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro I.2. Principais Indicadores (tax
Pág.Página 13
Página 0014:
14 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro I.3. Enquadramento Internacional
Pág.Página 14
Página 0015:
15 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 da procura interna associado à estabili
Pág.Página 15
Página 0016:
16 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico I.1. Contributos para o Crescim
Pág.Página 16
Página 0018:
18 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico I.5. Evolução dos Preços (taxa
Pág.Página 18
Página 0019:
19 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 prevista para vários países da União Eu
Pág.Página 19
Página 0020:
20 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 -5.0 -4.0 -3.0 -2.0 -1.0
Pág.Página 20
Página 0021:
21 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 -5.0 -4.0 -3.0 -2.0 -1.0
Pág.Página 21
Página 0022:
22 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 -5.5 -4.5 -3.5 -2.5 -1.5
Pág.Página 22
Página 0023:
23 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico I.10. Análise de Sensibilidade
Pág.Página 23
Página 0024:
24 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Aumento da Taxa de Desemprego em 1 p.p
Pág.Página 24
Página 0025:
25 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 O aumento da taxa de desemprego em 1 p.
Pág.Página 25
Página 0026:
26 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 sistemas; • Alteração dos procedimentos
Pág.Página 26
Página 0027:
27 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 operações, designadamente a Hungria e P
Pág.Página 27
Página 0028:
28 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 decreto-lei do Governo. Outras reformas
Pág.Página 28
Página 0029:
29 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 promoveu-se a eficiência de recursos hu
Pág.Página 29
Página 0030:
30 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 No que se refere à Justiça, as reformas
Pág.Página 30
Página 0031:
31 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 que o país está ainda a executar. Como
Pág.Página 31
Página 0032:
32 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 II. ESTRATÉGIA ORÇAMENTAL II.1. Desenvo
Pág.Página 32
Página 0033:
33 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Em 2013, o ajustamento orçamental refle
Pág.Página 33
Página 0034:
34 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.1. Conta das Administrações P
Pág.Página 34
Página 0035:
35 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Porém, a amplitude da consolidação orça
Pág.Página 35
Página 0036:
36 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Em 2013, o rácio da dívida pública atin
Pág.Página 36
Página 0037:
37 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.5. Países com Procedimento po
Pág.Página 37
Página 0038:
38 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico II.4. Variação do Saldo Estrutu
Pág.Página 38
Página 0039:
39 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 II.2. Perspetivas de Médio Prazo para a
Pág.Página 39
Página 0040:
40 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 • Das alterações à Proposta de Orçament
Pág.Página 40
Página 0041:
41 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.7. Medidas de Consolidação Or
Pág.Página 41
Página 0042:
42 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Nota: Devido a efeitos de arredondament
Pág.Página 42
Página 0043:
43 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 De forma a atingir os objetivos traçado
Pág.Página 43
Página 0044:
44 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Assim, de forma a cumprir o limite esta
Pág.Página 44
Página 0045:
45 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 (i) Redução da despesa relativa a estud
Pág.Página 45
Página 0046:
46 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 (vii) Aumento de receita pela alteração
Pág.Página 46
Página 0047:
47 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 A disciplina orçamental exige que a mas
Pág.Página 47
Página 0048:
48 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 desenvolvida, concluiu-se que importa r
Pág.Página 48
Página 0049:
49 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 pelo Tribunal Constitucional, no Acórdã
Pág.Página 49
Página 0050:
50 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.9. Medidas de Consolidação Or
Pág.Página 50
Página 0051:
51 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.10. Previsão para a Conta das
Pág.Página 51
Página 0052:
52 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro II.11. Quadro Plurianual de Prog
Pág.Página 52
Página 0053:
53 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 II.2.3. Fundos Europeus Estruturais e d
Pág.Página 53
Página 0054:
54 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Domínios transversais Abordagem territo
Pág.Página 54
Página 0055:
55 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 área da educação (OT 10) concentra 17%
Pág.Página 55
Página 0056:
56 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 2.500 5.000 7.500 10.000 Re
Pág.Página 56
Página 0057:
57 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 III. RISCOS ORÇAMENTAIS III.1. Riscos d
Pág.Página 57
Página 0058:
58 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 As consequências orçamentais da inclusã
Pág.Página 58
Página 0059:
59 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 DOCUMENTO DE ESTRATÉGIA ORÇAMENTAL 2014
Pág.Página 59
Página 0060:
60 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro III.3. Execução de Garantias Ano
Pág.Página 60
Página 0061:
61 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Não obstante esta realidade, o não reco
Pág.Página 61
Página 0062:
62 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 amortizações num determinado período, a
Pág.Página 62
Página 0063:
63 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 uma subida de 100 pontos base nas taxas
Pág.Página 63
Página 0064:
64 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 No final de 2013, a exposição cambial p
Pág.Página 64
Página 0065:
65 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 IV. SUSTENTABILIDADE DAS FINANÇAS PÚBLI
Pág.Página 65
Página 0066:
66 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro IV.2. Receita e Despesa Relacion
Pág.Página 66
Página 0067:
67 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico IV.3. Esperança de Vida à Nasce
Pág.Página 67
Página 0068:
68 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Gráfico IV.8. População por Grupos Etár
Pág.Página 68
Página 0069:
69 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Este movimento terá como consequência u
Pág.Página 69
Página 0070:
70 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Neste horizonte de projeção, a trajetór
Pág.Página 70
Página 0071:
71 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Em relação aos CTT o Governo continuará
Pág.Página 71
Página 0072:
72 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 V. QUALIDADE DAS FINANÇAS PÚBLICAS V.1
Pág.Página 72
Página 0073:
73 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 No início de 2014, e tendo em conta que
Pág.Página 73
Página 0074:
74 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Monetária. Esta revisão, com as alteraç
Pág.Página 74
Página 0075:
75 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 ficando Portugal com um referencial con
Pág.Página 75
Página 0076:
76 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Emitir pareceres a pedido do Governo d
Pág.Página 76
Página 0077:
77 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 V.2.2. Reforço do Combate à Fraude e à
Pág.Página 77
Página 0078:
78 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 respetivo NIF. Esta medida corresponde
Pág.Página 78
Página 0079:
79 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 refere, em particular, às pequenas empr
Pág.Página 79
Página 0080:
80 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 regularização dos créditos em mora há m
Pág.Página 80
Página 0081:
81 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 A Comissão de Reforma para o IRS deverá
Pág.Página 81
Página 0082:
82 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro 1a. Perspectivas Macroeconómicas
Pág.Página 82
Página 0083:
83 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro 2. Perspectivas orçamentais das
Pág.Página 83
Página 0084:
84 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro 2b. Projecções com políticas inv
Pág.Página 84
Página 0085:
85 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro 6. Diferenças face à actualizaçã
Pág.Página 85
Página 0086:
86 | II Série A - Número: 105 | 30 de Abril de 2014 Quadro 7. Sustentabilidade das Finanças
Pág.Página 86