O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

500

5 CONTA DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS POR SUBSECTOR

À semelhança de anos anteriores, a estimativa das Contas das AP, para o ano a que se refere

e para o ano imediatamente anterior, é desagregada por subsector institucional: Administração

Central (AC), Administração Regional e Local (ARL) e Fundos de Segurança Social (FSS)). Os

fluxos entre subsectores (por exemplo, as transferências recebidas e as pagas, entre outros) são

expurgados quando se contabiliza a receita e despesa consolidada das AP, o que justifica que

a soma de receitas e despesas dos subsectores possa ser superior aos totais das AP no seu

conjunto.

5.1 VISÃO COMPARADA

Os subsectores da ARL e dos FSS têm vindo a registar excedentes orçamentais desde 2013,

situação que a POE/2017 prevê que se mantenha, embora com uma degradação do

excedente dos FSS. O maior contributo para o défice decorre da AC, o qual, contudo, se encontra

influenciado pelas transferências para os restantes subsectores. Quanto à ARL, a POE/2017 prevê

um reforço do respetivo excedente em 106,9 M€, em particular da Administração Local (AL,

95,3 M€). Este reforço do superavit da ARL compensa a expetativa de degradação do excedente

dos FSS. Deste modo, a redução do défice das AP é similar à redução do défice esperado para a

AC.

Gráfico 17 – Contributo dos subsectores para o saldo acumulado ajustado (% do PIB)

Observado OE2017

2014 2015 2016 2017

1,0 0,70,5 0,60,5 0,5 0,5 0,60,4

0,0

-1,0

-2,0 -4,1 -3,7-4,4 -1,8

-3,0 -2,6-2,9

-3,0

-4,0 -3,6

-5,0

AC ARL FSS AP

Fonte: INE e Ministério das Finanças. Cálculos do CFP. | Nota: O total pode não

corresponder à soma exata dos valores apresentados no gráfico para cada

subsector devido a arredondamentos.

Em exercício similar da POE/2016 projetava-se para 2016 um défice da AC inferior em

470 M€ ao agora estimado, sendo este o maior desvio por subsector. 61A revisão da

estimativa para 2016 pela POE/2017 é favorável para os FSS e ARL por comparação com o previsto

no OE/2016 (em +26,9 M€ e +30,2 M€, respetivamente). O saldo estimado de 2016 (799,7 M€)

para a AL é praticamente igual ao do OE/2016, apesar de diferenças em diversas rubricas da

receita e da despesa, que se compensam (+274 M€ na receita, sobretudo nas outras receitas

correntes, contrabalançado pela maior despesa, em igual montante, em particular do

investimento).

61 O saldo do subsector para comparação, em termos ajustados, difere do apresentado pelo CFP na análise ao OE/2016,

o que decorre da não concretização de medidas temporárias então consideradas (concessões da IP Telecom e da SILOPOR)

e do ajustamento de valores quanto aos pagamentos à UE, que representam, em conjunto, cerca de 125 M€.

34 | Análise da proposta de Orçamento do Estado para 2017 Conselho das Finanças Públicas

Páginas Relacionadas
Página 0062:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 62 COMISSÃO DE AGRICULTURA E MAR Parece
Pág.Página 62
Página 0063:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 63 II.1.1 Enquadramento Internacional Sob um contexto
Pág.Página 63
Página 0064:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 64 (de 1,9% em 2015 para 1,3% na primeira metade de 2016), e
Pág.Página 64
Página 0065:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 65 II.2 POLÍTICA ORÇAMENTAL PARA 2017 O governo
Pág.Página 65
Página 0066:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 66  Desenvolvimento de ações que visem a continuidade do in
Pág.Página 66
Página 0067:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 67 Quadro 4 – Despesa Total Consolidada (milhões €) Fo
Pág.Página 67
Página 0068:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 68 Pelo quadro anterior, verifica-se que as despesas
Pág.Página 68
Página 0069:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 69  Executar o Plano de Ação para o Controlo e Inspeção das
Pág.Página 69
Página 0070:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 70 do Oceano na sociedade portuguesa;  Valorizar neg
Pág.Página 70
Página 0071:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 71 Quadro 7 – Despesa por classificação económica (milhões €)
Pág.Página 71
Página 0072:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 72 PARTE IV – CONCLUSÕES Em face do exp
Pág.Página 72
Página 0073:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 73 COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Parecer <
Pág.Página 73
Página 0074:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 74 considerando que“os primeiros anos são importantes na edu
Pág.Página 74
Página 0075:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 75  De acordo com o expresso no relatório “a melhoria do suc
Pág.Página 75
Página 0076:
II SÉRIE-A — NÚMERO 24 76 Autónomos (SFA), incluindo as Empresas Publicas Reclassif
Pág.Página 76
Página 0077:
3 DE NOVEMBRO DE 2016 77 As despesas com o pessoal assumem destaque na estrutura or
Pág.Página 77