O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 22

118

6. Deve o presente Parecer ser remetido à Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização

Administrativa.

Palácio de S. Bento, 22 de outubro de 2017.

O Deputado autor do parecer, João Marques — O Presidente da Comissão, José de Matos Rosa.

Nota: Os Considerandos e as Conclusões foram aprovados por unanimidade, na reunião de 25 de outubro

de 2017, registando-se a ausência de Os Verdes.

———

COMISSÃO DE TRABALHO E SEGURANÇA SOCIAL

Parecer

ÍNDICE

PARTE I – CONSIDERANDOS

A) Enquadramento Económico

1) Enquadramento Internacional

2) Economia Portuguesa

– Cenário Macroeconómico para 2018

– Emprego

B) Política Orçamental para 2018

C) Receitas e Despesas da Segurança Social

1) Receita

2) Despesa

D) Trabalho, Solidariedade e Segurança Social

PARTE II – OPINIÃO DA DEPUTADA AUTORA DO PARECER

PARTE III – CONCLUSÕES E PARECER

PARTE I – CONSIDERANDOS

O Governo apresentou à Assembleia da República, nos termos constitucionais e regimentais aplicáveis, a

Proposta de Lei n.º 100/XIII (3.ª), que Aprova o Orçamento do Estado para 2018.

A proposta de lei foi admitida a 13 de outubro de 2017 na Assembleia da República, cumprindo todos os

requisitos formais, constitucionais e regimentais, tendo, por determinação do Sr. Presidente da Assembleia da

República, nessa mesma data, baixado à Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública, como

comissão competente, nos termos do n.º 3 do artigo 205.º do Regimento da Assembleia da República.

Nos termos do n.º 3 do artigo 205.º e da alínea b) do n.º 1 do artigo 206.º do Regimento da Assembleia da

República, compete à Comissão de Trabalho e Segurança Social emitir parecer sobre a Proposta de Lei em

apreço, relativamente às matérias do seu âmbito de intervenção.

Páginas Relacionadas
Página 0119:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 A) Enquadramento Internacional As atuais pr
Pág.Página 119
Página 0120:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 120 Quadro 2 Composição da procu
Pág.Página 120
Página 0121:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 Quadro 4 Principais Indicadores (tax
Pág.Página 121
Página 0122:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 122 Emprego Prevê-se que a taxa
Pág.Página 122
Página 0123:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 Quadro 5 Medidas de Política Orçamental em 2017 e
Pág.Página 123
Página 0124:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 124 Relativamente à despesa efetiva, es
Pág.Página 124
Página 0125:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 O Governo, no OE 2018, destaca que no conjunto da despesa
Pág.Página 125
Página 0126:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 126 de abril, 44-A/2010, de 31 de dezembro, e
Pág.Página 126
Página 0127:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 relacionado com o novo contact center do Instituto da Seg
Pág.Página 127
Página 0128:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 128 Relativamente ao aumento do Aumento do Ren
Pág.Página 128
Página 0129:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 Quadro 7 Despesa Total Consolidada (milhõe
Pág.Página 129
Página 0130:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 130 Quadro 8 Despesa dos SFA e EPR por
Pág.Página 130
Página 0131:
2 DE NOVEMBRO DE 2017 362 Quadro 9 Despesa por Classificação Económica <
Pág.Página 131
Página 0132:
II SÉRIE-A — NÚMERO 22 132 “Na estrutura de distribuição da despesa p
Pág.Página 132