O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

II SÉRIE-A — NÚMERO 101

2

DECRETO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA N.O 201/XIII

REGIME JURÍDICO DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE INDIVIDUAL E REMUNERADO DE

PASSAGEIROS EM VEÍCULOS DESCARACTERIZADOS A PARTIR DE PLATAFORMA ELETRÓNICA

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

CAPÍTULO I

Disposição inicial

Artigo 1.º

Objeto e âmbito

1- A presente lei estabelece o regime jurídico da atividade de transporte individual e remunerado de

passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica, doravante designado transporte

em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrónica (TVDE).

2- A presente lei estabelece ainda o regime jurídico das plataformas eletrónicas que organizam e

disponibilizam aos interessados a modalidade de transporte referida no número anterior.

3- A presente lei não se aplica a plataformas eletrónicas que sejam somente agregadoras de serviços e que

não definam os termos e condições de um modelo de negócio próprio.

4- São também excluídas do âmbito de aplicação da presente lei as atividades de partilha de veículos sem

fim lucrativo (carpooling) e o aluguer de veículo sem condutor de curta duração com características de partilha

(carsharing), organizadas ou não mediante plataformas eletrónicas.

CAPÍTULO II

Serviço de transporte

SECÇÃO I

Disposições gerais

Artigo 2.º

Acesso à atividade

1- A atividade de operador de TVDE é exercida em território português pelas pessoas coletivas que efetuem

transporte individual remunerado de passageiros, nos termos e condições previstos na presente lei.

2- A prestação do serviço de TVDE é permitida nos termos constantes da presente lei.

3- A prestação de um serviço de TVDE inicia-se com a aceitação, por um motorista ao serviço de um

operador, de um pedido de transporte entre dois pontos submetido por um ou mais utilizadores numa plataforma

eletrónica e termina com o abandono pelo utilizador desse veículo, depois de realizado o transporte para o

destino selecionado, ou por qualquer outra causa que implique a cessação de fruição do veículo pelo utilizador.

Artigo 3.º

Licenciamento

1- O início da atividade de operador de TVDE está sujeito a licenciamento do Instituto da Mobilidade e dos

Transportes, IP, (IMT, IP), a requerer por via eletrónica mediante o preenchimento de formulário normalizado e

disponibilizado através do Balcão do Empreendedor, a que se refere o artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 92/2010, de

26 de julho, procedendo aquela entidade, no prazo de 30 dias úteis, à análise do pedido e à respetiva decisão,

considerando-se este tacitamente deferido se no prazo previsto não for proferida decisão.

Páginas Relacionadas
Página 0003:
19 DE ABRIL DE 2018 3 2- Constitui causa de indeferimento o não preenchimento de al
Pág.Página 3
Página 0004:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 4 SECÇÃO II Exercício da atividade
Pág.Página 4
Página 0005:
19 DE ABRIL DE 2018 5 2- O transporte de bagagens só pode ser recusado nos casos em
Pág.Página 5
Página 0006:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 6 se acompanhar do certificado de motorista d
Pág.Página 6
Página 0007:
19 DE ABRIL DE 2018 7 9- Os veículos que efetuem TVDE não têm acesso às faixas de r
Pág.Página 7
Página 0008:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 8 6- A plataforma eletrónica deve também disp
Pág.Página 8
Página 0009:
19 DE ABRIL DE 2018 9 4- Além dos elementos referidos no número anterior, o operado
Pág.Página 9
Página 0010:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 10 Artigo 19.º Serviços disponibilizad
Pág.Página 10
Página 0011:
19 DE ABRIL DE 2018 11 CAPÍTULO IV Resolução de litígios Artig
Pág.Página 11
Página 0012:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 12 Artigo 25.º Regime sancionatório
Pág.Página 12
Página 0013:
19 DE ABRIL DE 2018 13 Artigo 28.º Produto das coimas O produt
Pág.Página 13
Página 0014:
II SÉRIE-A — NÚMERO 101 14 CAPÍTULO VII Disposições finais e t
Pág.Página 14