O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

19 DE JULHO DE 2017

5

VOTO N.º 365/XIII (2.ª)

DE PESAR PELO FALECIMENTO DE FRANCISCO VARATOJO

Faleceu no passado dia 6 de julho, aos 56 anos, Francisco Varatojo, Diretor do Instituto Macrobiótico

de Portugal.

Nascido em Leiria em 1960, estudou no Instituto Kushi de Boston, regressando a Portugal, em 1980,

para se dedicar à educação macrobiótica.

Casado com Eugénia Horta Varatojo, com quem fundou o Instituto Macrobiótico de Portugal, ensinou a

milhares de pessoas os fundamentos de uma vida mais saudável e de uma alimentação adequada.

O seu carisma e influência, a par das suas qualificações e competências, tornou-o uma referência

mundial na abordagem macrobiótica, na cura natural e na resolução de problemas sociais, tendo

contribuído para mudanças e cura de muitas centenas de pessoas, sendo regularmente procurado pelos

principais centros europeus e norte americanos.

Foi colaborador regular dos jornais SOL e A Capital, da revista Pais e Filhos, da revista Xis e dos

programas de TV SIC 10 horas e As Manhãs de Sofia.

Foi autor e coautor de diversos livros, e professor convidado da Escola Superior de Enfermagem

Calouste Gulbenkian. Proferiu inúmeras conferências e palestras em diferentes instituições públicas

portuguesas, nomeadamente na Faculdade de Farmácia de Lisboa e na Faculdade de Medicina de

Coimbra.

Foi Presidente da International Macrobiotic Assembly e em 2010 foi agraciado com o Aveline Kushi

Award pelo seu trabalho e dedicação por um mundo melhor.

Ecologista convicto, comunicador nato e influenciador pelo exemplo e pela partilha, Francisco Varatojo

mudou o mundo à sua volta — e continuará a mudá-lo — através da sua obra, das pessoas que tocou e

dos conhecimentos que transmitiu.

Na cerimónia da sua despedida, que encheu o Teatro Thalia com centenas de pessoas, uma frase do

próprio, projetada na parede, era bem demonstrativa do que realizou e da visão que sempre partilhou.

Dizia: ‘Uma vida plena deve ser vivida com espírito de generosidade, temos de dar incessantemente não

só bens materiais mas também a nossa disponibilidade, o nosso tempo, a nossa simpatia, o nosso sorriso,

a nossa capacidade de contribuir para o bem-estar de todos. Quando fazemos isto, estamos a contribuir

para a criação de uma vida mais feliz, para nós e para os outros. Nós somos criadores da nossa vida.’

A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, expressa o seu pesar pelo falecimento de

Francisco Varatojo e endereça aos seus familiares e amigos as suas sentidas condolências

Assembleia da República, 19 de junho de 2017.

Os Deputados do PSD, Luís Montenegro — Amadeu Soares Albergaria — Luís Leite Ramos — Susana

Lamas — António Lima Costa — Maria Germana Rocha — Margarida Mano — Luís Pedro Pimentel —

Maurício Marques — Nilza de Sena — António Costa Silva — Helga Correia — Bruno Coimbra — Berta

Cabral — Cristóvão Crespo — Carlos Silva — Fernando Negrão (PSD).

_______

Páginas Relacionadas