O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

%m

ttMríTrfres /por 'Inslrucções. seecelas. -tm De^cr-eles expe-•didos., sem prévia publicação.

"Sf.. Presidente , -se a 'publicidade de actos gover-'Ftativos não -fosse 'utna> eond-içãív essencial 'do. Gçr-^verno Consticional-, eu e-bser-varia , que eJla é tira <_6cwt9- de='de' int-.eivssíido-.='int-.eivssíido-.' apresentai='apresentai' acc-mbecimen--lo='acc-mbecimen--lo' porqtíó='porqtíó' dê='dê' rx='rx' governo='governo' quê='quê' na-a-l='na-a-l' eín='eín' tag0:_='_.pede-prsràíndir--se:_' dos='dos' dolles='dolles' do='do' ce-rlamç.pfe='ce-rlamç.pfe' justo='justo' ftaqhàl='ftaqhàl' _-facto='_-facto' tedamações-='tedamações-' tag1:evefrnr='prf:evefrnr' _-conse-giipp-rsie='_-conse-giipp-rsie' sê='sê' govenpavfis='govenpavfis' fttik='fttik' antes='antes' _='_' a='a' repíírar-í-o.='repíírar-í-o.' ficam='ficam' com-='com-' sra='sra' os='os' é='é' _-pâr-a='_-pâr-a' cegrafuemior='cegrafuemior' _-se='_-se' _-='_-' ao='ao' o='o' publicação='publicação' as='as' actos='actos' melhor='melhor' podor='podor' moio='moio' nenhum='nenhum' xmlns:tag0='urn:x-prefix:_.pede-prsràíndir--se' xmlns:tag1='urn:x-prefix:prf'>tt.et':li-v-á*n:roit!-e sou* ré r <_- a='a' eftmitas='eftmitas' dafieiías='dafieiías' os='os' anaíyse='anaíyse' _.pwblicn='_.pwblicn' hs-cíareeefi='n' imprensa='imprensa' da-fhto.='da-fhto.' q='q' heprysentan-tés='heprysentan-tés' proxí-ukas-='proxí-ukas-' supii-w='supii-w' matéria='matéria' v-efces.='v-efces.' da='da'>M3 st; •a-cluvssem. na Ca p K fcpi, poderiam-•cotVtrrbnif par-a Tera-ivver quaisquer in* •co-nvenientes, q»»e porventura houves;s#»v de encontrar sunilhaales providencias^ e ftrçalr-r.eoke to<_3o como='como' tag2:_='das:_' sigillo='sigillo' ser='ser' de='de' re-ral.='re-ral.' e='e' ip='ip' em='em' tendocou-keeimenío-='tendocou-keeimenío-' p='p' vi-a='vi-a' o-qire='o-qire' coflsas='coflsas' ar='ar' se='se' ma='ma' governa='governa' rj='rj' fic-aríam='fic-aríam' nào='nào' doultra='doultra' deve='deve' xmlns:tag2='urn:x-prefix:das'>

lísl.as verdades 'iivconlradi-ctnveis rovcotvheeev) p^er--feilamenl-e o Oeríeto ele b de FevoroiFo de 1'8)>(>, qtigmlo espfossa;ti)e«íe raaiidfMi insliltiif para este fi-m ^- sob a diréc^Cvo do Ofôciffl M»i«r da Secretaria da Marinlií* a Ulíramar, tufv j>eiiodico á custa do Gfdvprno. Mas ueti» poF(}«e e*te Decreto deixou de seg plenamente executado^ se-,segue (];ue o Diário do G.overtío iiãp seja susc^ptivelf cios Decretos, e pro-vidervcias, (f«e se expedenv |);»ra o_ Ultramar, do .MíesuK* modo como os-t-raz,. ou por clle se puhlicatn áqwíHevj (jue se expedem para p Conlinente do líeiftô.

,Se os Decretos, e outro expediente, que se dês*, jíircl^a pela-Repartição de Marinhasse publicam rso Oiftfío doíioverno, só os que se despacham peja do IJUtaraar, não hão de ser publicados tia. Folha Olfiçial do Governo sendo ambas; as Repartições d<_-nma p='p' e='e' jã3o='jã3o' possi-vel.='possi-vel.' não='não' secretaria='secretaria' mesia='mesia' _='_'>

E -por estas-, e outras muitas. r.onsideFaçò.es , qne o? Oe-piiliidos pelas Províncias Ultramarinas, que • s.»;' aeUatn icprosentadas nesta Casa , todos unnni-im+mente, niondnnios para, a Mf?^a este llequeri-íwcnto.. (Publicqr-seiha qu

O Orador?—-Sr. Presidente, continuo a fa?,er uso da palavra, que me deu, para apresentar á GíUfíara uma Proposta sobre as noí-as vaf-lfis eiíí?-porlaules Missões à-o Uhraiiíar, j>eri.encenies ao Padroado da Coroa, e asquaos vão feoj-e cayindo a pedaços. Quando, esta Proposta vier á discu&sno ,; eu. terei de detalluir minucios-ainenl-e- os facfo?,'mas entretanto o que peço, é que, impressa no. Diário do Governo se remetia á Co.t-n.missão Q^pbMnali-ca , j)ara, coysi-d-e-i;ando-a com madura reílexào,; e eon-IcereueiaiHÍo, com o Governo, pronunciar o &eu Pa-rt-cer so,i)re eíla. (Ptdilicar sc-ha quando /tver sc-Ztmda.le.ilnra). l'e.ço a urgência tanto-de? íícqueri-wei-i-to como da Proposta.

. A C

O'Sr. l*-resi-d-çnte: — Não ha rnai-i S-KS. Deputados insciiptos, e pôr isso vai passar-a; á

ORDIÍM BO DIA,

Continuação da discussão do parecer N* lb só-

&?•£ •<_ p='p' íiill='íiill' dç='dç' mdcirinidade.='mdcirinidade.'>

- O Sr. Silva Cobrai:.*— Sr. Presidéríte , hão prín= cipiarei ;p0.r. d-izer, Jse é-'6ti =nâo árdua a minba ;posr* c-ç-ão : slio estes os cumprimentos .porque osraais co.ns-picuós., e ^abalisados Oradores principiaram já ha 'tjttat.ro dias os seus discursos, ;isto só me u te enuncia-•do bastaria .para. demonstrar'o embaraço em que de^ yo "eircorjftrar-m.e , -e-u, que -mingòado dê ""talentos imo ipossiro a vasta lição dos factos, que aquelles ?nobres "Oradc^res"; en^ que sobre esse meti defeito, me vejo .de mais acabronhad:ò sobre 'ò peso dos irresistíveis •argmiíèn-los-i, ;ie m-èspoadiveis razões, com que o il-lustre Deputada, que hontèrn fechou a discussão, feriu, despedaçou, e destruiu os seus-contrários! S:r. 'Presidente, e« desan-irnaria inteirametite á vista des-1-a consideração i, se po'r ventura ttão tivesse diante !dos olhos o i-neu dever ,-e sobre tudo a "benevolência :da Cafn-am-, ;què -eu 'solícito, é espero merecer-lhe.

Sr. Presidente, aberta crSèssão Ordinária dó Pnt'-iamento, a Caiuara , à Nação inteira deve ter notado, e observado, como a Oipposição, por algum ou alguns dos seus Membros, vem nesta Casa mês* tna disputar a patma a cerlos Periódicos^ tia poríío-sa lucta de tudo alterar, tudo confundir, e em tudo lançar o veneno da desconfiança, e do sarcasmo. ~(v4'l>oiados)>

Este' pT0ce'dim'enlo, não me pafecè leal, não e'certa , e decisivamente Parlamentar, e Constitucional e ate não me parece profícuo á-Coallisão, que empregando taes, e tão irregulares meios,'trabalha em prejuízo seu, e em detrimento do Systema Representativo, e da sã doutrina (Apoiados). ^

Sr» Presidente, não é com insultos á Maioria j apostrofando ironicamenee,. e de continuo os seus Membros, revocando habitualmente ao campo da discussão, pontos, e questões já decididas e termi-v nadas, e fulminando o ridículo contra essas deci* soes, que a Opposição pôde alcançar opinião j e sectários no Parlamento e fora delle! (Apoiado*:)^

Se a Coallisãe por impaciente pela tardança do Poder, por desmemoriada do seu próprio proceder, e por deslembrada da espécie monstruosa da sua Conir posição não vê, tiern se q.uer< que marchando pelo caminho da mais estranha intolerância,, perde o direito de ser escutada eatténdida,. note ao menos qu» se suicida à si própria ( dpoiado).

Sr, Presidente 5 quem. deu á "Maioria, ou á algum; dos seus Mernbros o direito de i nfu Habilidade ern sciis juízos pnra com jactância, sem igual erguer des-con;postas gritarias contra ás decisões da Maioria ? (/ipoiadm). Será isto estar verdadeiramente possuído da natureza , e interesses do Sjstema Representativo, e sacrificar-lhe no altar da sua consolidação e prosperidade mesquinhos interesses, indisposições pessoíies, que desvirtuariam a causa mais justa esarf-cía, quanío nniis, eivadas pretenções de quem quef que seja. . -. ? (/ipoiadosjt E persuade-se alguém da--» aut-lle lado que os deste lado têem a razão obse-cadci pnra não lerem, e estudarem osfactas? Fcudaiisanda todas as potências.da razão pertendeíá a Opposição ,arro:gar-se o-privilegio exclusivo, inadmissível e re-i voltanle de soraente 'para os seus correligionário^ querer a faculdade de pensar com acerto? (i/lpota-dos mwicr&s- s).