O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

«6 ó-víalla-se-nos "Depósitos do litoral, -e o íllustre De- Q Sr.-Presidente:

çputado falíamos cie linha.....( Urna voz ; — E o Pró- rã -em .discussão —(• Fozes:—- Não.,

-jectoque-falla). eu o que vejo aqui -é ; (leu) esta linha discutidos). O Sr. Xavier da Silva :

-de que aqui se falia, não é uma linha Tnáihema-lica,, *a qirer discutir esse-Additamcnlo, eu pedirei que se

Os Additãmentos entram ngo-não —já estão —;Se a C a rua-

' pôde ser , porque era absurdo que o fosse.

d i-z o illusi-re De^uf-avlu-uesses géneros foram

discuta scQ-njuTvctame-íite o que eu apresento

Ventos ,. votos).

•íiíii c.k:pu>iKidos de boafé , debaixo da salva guarda ;O ST, 'Presidente : — Ainda que me parece ser a

tia -Lti » -e-eu -respondo , -uma de duas-:, -o-u

;ruros 'vi;eram pa-ra aH. .para se despach-areitt licita* 'discussão dos Additãmentos, com Indo no seu poder

•mente, -e então a •Coumtihsão dir-o ipnvsiriJe^duits -está 'imo gasla!r "tetnpo co-w es-sa discussão; mas a

inezes para que se f.-» .y a esse despacho , ou -vieram -obrigação é propo-los á discussão,

•para se -despachar íllidtáiHeiife,, e.(en.rão s-oíTram ''Não havendo quem pedisse a palavra , foi posto á

'}, -ís-tir-é quê são factos , :isto não são de- votação o sJdditaínerito 'do Sr-, Cardoso Cartel-Bran^

;'ea nãoestiga-satiso as theiiriííb, tiías,quero '«o, ejoi approvado.

se suidi-cm -ã. híHicíjãó dos factos , -porqtre Segwdumente foi Aposta á .vot-açãe-, e approvada a

tis f-actos -e -que -&ão a .-filosofia dos "Farlaiífenlos- e -Proposta do Sr. João .Elias. - • \-

das Nações, -e -eíesgraçada cfaqirefía quê -se guiar O Sr. Presidenta ': — Resta unfcanrenfe o Addt-»

viniranVeiite pela-s -ití-eorias-, Sr. Pre-si-deute, eu disse lamento do Sr. Xavier da Silva, que diz asrim

•.que não'mnTariu-calor, e o caso é qu-e-o vau 'toaia-i-i- (Leu-o). • .

do..-..-. (JiiAo:j-eis-aqui :c-..;ino noíi SOÍBDÍ ,' parece- - O Sr. M&ndonça : —-(Sobre a ordem) Sr. Presi-

nu>s 'muito arrenegados e de facto não crestamos; 'dente-, parece-me que-esse Additameivto do Sr. Au-

Tcalaienfè' palecenií/s pé i ores do q:con-

d\Jas, Sr. -Pi-tfid.enie , eu não vejo inconveniente v u mo dos génerosque houverem em -Deposito ( A

•eiii que o Áríigo seja apj tuyatlo, 'e. não -vejò'-Cjue dos}.

-as razões ík> iihistr-e «Depilado -/provem nada. iYão . O Sr. Presidente': —Este A d ditame n to foi rn-an-

ivego que uma -idéa s-e-aventou aqui, que .me pare- dado no meio da discussão, ainda não entrou era

r,e que pôde e eleve ser ^considerada no Artigo; discussão-; por tanto proponho se o admilte para se

-distingamos os Cereaes de todos >os outros geneios discutir. . •.

«que tem de-spa-eho -nas;St te Casas, .distingam-os; por- .'Foi odmiTfid-G-* c-appro-oaão sem discussão^ saloa a

-que' fêíilimsmé de -qoe se traera .por- este.IVojecto £iedaccâo.~ "

•é omicame-nfe de 0'bst-ar '«o •eonír-a-bí/mlu. O. Hlustr-e "Etrtfou ~-em,-discussão o

Deputado o Sr. -J. A. de Campos, -veiu -di-zer-nos Art. 3.° Xodós os Cereaes de producção Nacio-

•*Mj-uè o Projecto tinha também em vista-augmeni-ar nal quer etu grão , quer em farinha soerão admilti-

os impostos :-/' oxalá que assim seja-;- porque se, es- do-s a despacho para: consumo, assim na postura do

fa-belecendo ij-m- princípio d-e. justi.ça, nos -viéssemos .Terreiro, -c

-a fozfr 'Cfescer os'impostos-, nada -ha certamente gando o direito na j-azão de 40 réis por alqueire,

•.nvais feliz, obtemos -dous resultados, e obtemos isso, segundo dispõe a Lei de 11 de Outubro de 3814.

rendendo um testimunho á jusliça , tornando iguaes Os Cereaes, que viereoj por mar só lerão déspa-

lodo-s os 'Cidadãos tia presença da Lei y fazendo com cho no Terreiro. : '

-que -todos contribuam do •iifesmo modos e que se 'O Sr. Cardoso CasUl-'Branco: — Sr. Presidente,

•disfiíbuam os itupoáios do mesmo nvodo por todos, «u dt-seja^a q.ue oilluitre Uelalor daCommissão me

..(^fioindos): . ^ dissesse a que vem aqui este artigo.; porque e' exa-

O Sr. Xaokr da Siha:—- Sr. Presidente, eu iiian- ctomen.tè a -disposição de um artigo da Lei de 11

•do para a -|\á?ê>a. o.R-eguint-e ^ • . de Outubro, exaciissi'mamente, não faz differença

.--AD-BITAMENTO. — K quando .lhes :rião convenha ' nenhuma,• o artigo di? (Leu.) "E' exactamente

•despacha-lo*, ou lêvn-los para .outro Concelho'-den- qne apparece no § 2.* da Lei de 11 de Outubro

tro do praso de do-us-mexes, jwpniitre-se a coDtinwá-' de 841, qua;ndo determina "os q 'areuta reis por alquei-

»çt\o do -Dvpo=svu>, do'l-»av\o • 4a íWcalUa<ão p='p' aelliminaçâo='aelliminaçâo' r='r' pó='pó' io='io' au-to='au-to' é='é' s-='s-' porcivie='porcivie' te-='te-' tp-ropoulio='tp-ropoulio' _='_'>

•reíro, ou d-as Sch1 Casas,, sènd-o os géneros-devida- cusadó..

•nsente m-anifesS-ado-s.—-'Xavier-da Silpa,

- O Sr, Prtsid&nfó : — Não iia -tTi-n-is' -ningReiu l»ns«

«TÍpt-o , por issso "vai-se pro-ceder á "Ví)|.ayão. Eu èn-

O Sr.^/oJ0 Elios:—~Q nobre Deputado tem razão e u i parle. A disposição da Lei e o que está éin pratica, .comprelíende de facto esta disposição; aqui

í

11 • • ~ :i ..-••' . i • -i . -^ ,1 ' • -i ..." o - , l

•e:!litnii:-ayão -í!o .artig-ò proposl-a pelo Si. Mòusinho; èú eU-a v^íkO fôv op-pTos-ada , :Wfe'i ptopondo as rias p'è!a suo ordetn. •".-., . , - , '

Foste--d votação a^ilinnuaçâo 'do artig^ f&i regei-- c-rcados os registos, que sé estabeleceram na

- - í,"iHiíXcia --da Cidade, e iielles foram á Votação -a -Emenda do Sr,. Faiiiítí,no que fosse -ampliado o -firmo a qttutro rejeitada.

qnn o 'Artigo dHennina <_.ue èstabele='èstabele' a='a' se='se' ieiiacçíio='ieiiacçíio' ca='ca' _.='_.'>èssenVe-se'Qa -pressa com que se rediiíi,' ÍV|a L, i de li de Outubro de 1814 foram

cir-

iada

P-ropô da 'Gama

os g oneros a Oulubró do desta Ltíi , de á wttjçna -o artigo, -salva a 'Redacção c se a-ssentíiria.m ''os registos, e nessa Legislação:tam-

despacho, e pelo Decreto de 23 de IO -an-«o , que regula a execução ^se cjuaes eram os locaes è tu que

•çs AddH-Q-rnctdvs , -e foi aj>pr

' O ST. Presidtufe.; — Segue-se agora o Addilaííien-

to'

"•' 0 Sr. João Elias-.— A Co mal i ss ao já o-fez seu dade; tí-ouvé depois alguns-.choqu.es de.interesses, n-o

saí \ á â Ued.^ao. • : .- , Terreiro, (]ue ;íi,ze;raui coo.v que 'ellc tse supprii.ni'sse,