O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

629

DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

É o que pedem, e esperam os abaixo assignados, e nada mais justo. — E. R. M.

Aveiro, 11 de janeiro de 1879. — (Seguem as assignaturas.)

E N.° 89

Senhores deputados da nação. — Os abaixo assignados, cidadãos d'este concelho de Fafe, adherindo ás representações que de diversos pontos do paiz têem sido dirigidas ao parlamento vem pedir-vos que empregueis todos os vossos esforços para que seja annullado o decreto de 26 de dezembro proximo passado, pelo qual o governo de Sua Magestade concedeu ao capitão Paiva de Andrada o immenso territorio, minas e florestas da Zambezia, na nossa rica provincia de Moçambique.

Não podem os abaixo assignados, em quem ainda se não apagou o sagrado fogo do verdadeiro patriotismo, ver assim desmantelada a integridade do territorio portuguez que tanto sangue e tantos sacrificios custou ás gerações que passaram.

Não podem ver, sem que o coração se lhes opprima de dor, passar a mãos estranhas, sem nenhuma compensação, uma das mais brilhantes joias da corôa de Portugal.

Senhores deputados da nação, quem lançar a vista imparcial e attenta para a situação da Zambezia, quem attender á situação das colonias limitrophes, e ás antigas pretensões ácerca d'esta nossa rica possessão, e da proxima bahia de Lourenço Marques, ha de ficar deveras contristado ao ver a facilidade com que se passou a mãos estranhas, porque estranhas hão de ser as companhias que se formarem em tão importante e tão ambicionada porção do nosso territorio africano!

Senhores deputados da nação, esta questão já tem sido suficientemente ventilada na camara dos dignos pares e na imprensa, e póde dizer-se condemnada na publica opinião, e, seria offender a vossa illustração, apresentar-vos maior copia de rasões, pelas quaes o decreto citado não deva ter execução.

Os abaixo assignados confiam na vossa illustração e patriotismo, o, confiados n'elle — P. que empregueis todos os vossos esforços para que não tenha execução o decreto de 26 de dezembro proximo passado. — E. R. M. — (Seguem as assignaturas.)

E N.° 90

Dignos pares do reino e senhores deputados da nação portugueza. — Os abaixo assignados, habitantes do concelho de Villa do Conde, adherem ás representações dos comícios reunidos em Lisboa e Porto, nos dias 5 e 19 do corrente, para que não seja approvada a concessão do decreto de 26 de dezembro ultimo, era que o governo deu gratuitamente ao capitão Paiva do Andrada quasi toda a provincia de Moçambique, com a faculdade d'elle a poder negociar com os estrangeiros.

Villa do Conde, 30 de janeiro de 1879. — (Seguem as assignaturas.)

Sessão de 28 de fevereiro de 1879.